Leônidas da Silva dá show contra a Suécia em 1938

Leônidas da Silva dá show contra a Suécia em 1938

No dia 25 de agosto de 1938, na Copa do Mundo disputada na França, o Brasil, comandado por Leônidas, vence a Suécia e garante terceiro lugar na competição.

Seleção em 1938 - Em pé: Leônidas, Batatais, Peracio, Domingos, Brandão, Zezé Procópio, Machado, Roberto, Romeu Pellicciari, Afonsinho e Patesko.

Seleção em 1938 - Em pé: Leônidas, Batatais, Peracio, Domingos, Brandão, Zezé Procópio, Machado, Roberto, Romeu Pellicciari, Afonsinho e Patesko.

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Domingos, Tim, Walter, Afonsinho e Adilson no navio em 1938

Domingos, Tim, Walter, Afonsinho e Adilson no navio em 1938

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Recepção aos jogadores no Rio de Janeiro

Recepção aos jogadores no Rio de Janeiro

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Jogo Brasil 4 x 2 Suécia em 1938

Jogo Brasil 4 x 2 Suécia em 1938

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Concentração na França

Concentração na França

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Delegação em Paris

Delegação em Paris

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Embarque da delegação

Embarque da delegação

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Pôster de 1938

Pôster de 1938

Créditos: Reprodução Fifa

Treino e concentração em Caxambu

Treino e concentração em Caxambu

Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Na Copa do Mundo de 1938, disputada na França a Seleção Brasileira se fez representar com o que tinha de melhor. Após passar pela Polônia e Tchecoslováquia chegou pela primeira vez a uma semifinal, quando foi derrotada pela Itália numa partida conturbada e cheia de polêmicas.

Restou então a disputa pelo terceiro lugar diante da Suécia. O Brasil venceu por 4 a 2 e a torcida ainda teve direito a assistir um show de Leônidas da Silva, já apelidado pelos franceses de “Homem de Borracha”, ele voltou ao time, marcou dois gols e se transformou no artilheiro da competição com sete gols.

A partida começou equilibrada, mas aos poucos o Brasil vai tomando conta do jogo e desperdiçando várias oportunidades com Leônidas, Patesko e Roberto. Só que como diz o ditado popular, quem não faz leva, Brandão erra o passe e a bola cai no pé de Jonasson, este lança Anderson que chuta violentamente e marca o primeiro gol sueco aos 27 minutos. O Brasil tenta reagir, mas os seus atacantes continuam a errar e a Suécia chegou ao segundo gol. Aos 38 minutos, novamente Jonasson desce pelo lado esquerdo e cruza para Nyberg, este dribla a Machado e chuta com violência para marcar o segundo gol sueco.

A resposta do Brasil foi quase que imediata, aos 43 minutos, Zezé lança Romeu, ele dribla dois zagueiros suecos e marca o primeiro gol brasileiro, logo em seguida termina o primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o Brasil voltou pressionando em busca do empate, e a chance veio aos logo aos 2 minutos, Domingos lançou Romeu, este a Roberto, que invadiu a área e foi derrubado por Algrem, pênalti claro marcado pelo árbitro. Patesko cobra e desperdiça chutando por cima da meta sueca. O empate só veio aos 18 minutos, Zezé lançou Romeu que cruzou para área, Leônidas se antecipou e com um toquinho encobriu Abrahamsson marcando o segundo gol brasileiro.

A partir dai o Brasil passou a ter total controle do jogo e o terceiro gol não demorou. Aos 29 minutos, Leônidas fez uma triangulação com Roberto e Romeu pelo lado direito e mandou uma bomba de fora da área marcando o terceiro gol do Brasil. O quarto gol veio aos 33 minutos, Romeu trocou passes com Leônidas, este lançou Perácio que deu um canhão de fora da área sem chance para Abrahamsson selando a vitória brasileira e a conquista do terceiro lugar na Copa do Mundo de 1938. Apesar dos percalços, a Seleção de 38 foi das melhores da história do nosso futebol em todos os tempos.

 

Curiosidades

Na disputa da Copa do Mundo de 1938 foram apresentadas duas novidades pela FIFA. No campo de jogo passou a ser demarcada a meia-lua à frente da grande área. O objetivo era demarcar a posição dos jogadores a 9,15 da marca do pênalti. Outra novidade foi a apresentação da bola sem o tiento externo – uma tira de couro externa que amarrava o bico da para o seu enchimento. O bico da bola passou a ser posicionado entre os gomos, com isso os jogadores poderiam cabecear a bola sem se machucar.

Na volta dos jogadores, milhares de torcedores aguardavam com grande expectativa o desembarque. Autoridades e políticos faziam questão de estar sempre posando para fotografias ao lado de jogadores como Leônidas da Silva, eleito o jogador mais popular do Brasil num concurso realizado pelo Cigarro Magnólia; além dele, Domingos da Guia e Romeu Pellicciari também foram muito votados.

A fama do histórico resultado fez com que a Lacta criasse o chocolate “Diamante Negro”, que passou a ser o produto mais vendido do país, dando a Leônidas a quantia de 20 contos de réis – um valor considerável para a época – pelo contrato de promoção.

A propaganda cresceu no Brasil através do futebol, uma vez que os donos das grandes redes de lojas pagavam fortunas para que Leônidas da Silva permanecesse no interior de seus estabelecimentos por curtos períodos. Sabiam que centenas de torcedores lá também estariam para ver o famoso “Diamante Negro”. As promoções tinham retorno garantido, pois todos os jornais e emissoras de rádio da época noticiavam o fato e a propaganda era eficiente.

 

 

19/06/1938 (17.00)

BRASIL 4:2 SUÉCIA (1:2)

Local: Estádio Municipal Parc de Lescure, em Bordeaux. Público: 15.000 espectadores.

Árbitro: John Langenus (Bélgica). Assistentes: Eugene Olive (França); Ferdinand Valpred (França).

Gols: Sven Jonasson, aos 18; Arne Nyberg, aos 38; Romeu, aos 43; Leônidas da Silva, aos 63; Leônidas da Silva, aos 73;  Perácio, aos 80.

BRASIL: Batatais; Domingos da Guia e Machado; Zezé Procópio, Brandão e Afonsinho; Roberto, Romeu, Leônidas da Silva, Perácio e Patesko. Treinador: Adhemar Pimenta.

SUÉCIA: Enock Abrahamsson; Ivar Eriksson e Erik Nilsson; Erik Almgren, Arne Linderholm e Kurt Svanström; Sven Jonasson, Erik Persson, Arne Nyberg, Harry Andersson e Ake Andersson. Treinador: József Nagy.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Mastercard GOL CIMED SEM TCL FIAT English Live Ultrafarma Technogym Statsports