Brasil estreia uniforme vencendo a Seleção da FIFA

Brasil estreia uniforme vencendo a Seleção da FIFA

Rivelino e Tostão marcaram os gols brasileiros na vitória por 2 a 1 no Maracanã - Albert balançou a rede para o time adversário

Seleção da FIFA

Seleção da FIFA

Créditos: Arquivo CBF

Camisa da Seleção Brasileira

Camisa da Seleção Brasileira

Créditos: Arquivo CBF

Seleção Brasileira

Seleção Brasileira

Créditos: Arquivo CBF

Estreando um novo uniforme, com calção azul escuro, camisa e meias amarelo-canário, com duas estrelas acima do escudo representando o bicampeonato mundial, a Seleção Brasileira recebeu no Maracanã a Seleção da FIFA, que era integrada por um punhado de estrelas de primeiríssima linha, como Lev Yashin, Beckenbauer, Overath, Mazurkiewicz , Pedro Rocha, Perfumo e Florian Albert.

Apesar do entusiasmo dos jogadores e da torcida que lotou o Maracanã, a partida não foi o que se esperava. Mesmo assim, o Brasil começou partindo com tudo. Tanto que aos 4 minutos chegou ao primeiro gol, num chute violento de Rivellino de fora da área, sem chances para Yashin. O mesmo Rivellino marcaria um gol de placa aos 26 minutos, quando num drible de corpo levou toda a defesa adversária, mas Natal, que participara do lance, estava em posição irregular. Aos 35 minutos, veio o empate da Seleção da FIFA. Dzajic, ponta iugoslavo, fez uma grande jogada pelo lado esquerdo e lançou o húngaro Albert, que penetrou e tocou na saída de Picasso.

No segundo tempo, a Seleção da FIFA, por conta do calor, fez várias alterações. Mesmo assim o jogo não subiu muito de produção. O Brasil procurava a vitória de todas as maneiras e chegou a ter dois pênaltis sobre Pelé não marcados pelo árbitro italiano Diego di Leo.

O gol da vitória veio no último minuto. Paulo Borges, que substituíra Natal, fez uma grande jogada pela ponta direita e cruzou para Tostão completar na saída de Mazurkiewicz e dar a vitória ao Brasil.

Dois meses depois, Aymoré Moreira deixava o comando da Seleção e assumia João Saldanha para dar início à escalada rumo ao tricampeonato no México.

06/11/1968 (21.30)
BRASIL 2:1 SELEÇÃO DA FIFA (1:1)
Competição: Amistoso.
Local: Estádio do Jornalista Mário Filho “Maracanã”, no Rio de Janeiro (RJ). Público: 93.634 espectadores.
Árbitro: Diego di Leo (Itália). Assistentes: István Zsolt (Hungria), Ramón Ivanoes Barreto Ruiz (Uruguai).
Gols: Rivellino, aos 12; Albert, aos 35; Tostão, aos 84.
BRASIL: Picasso, Carlos Alberto Torres (Moreira, aos 46), Jurandir, Roberto Dias e Everaldo; Gérson e Rivellino; Natal (Paulo Borges, aos 46), Jairzinho (Tostão, aos 61), Pelé e Paulo César Lima. Treinador: Aymoré Moreira.
SELEÇÃO DA FIFA: Lev Yashin (Mazurkiewicz, aos 46), Shesterniev (Novak, aos 46), Schulz e Marzolini (Perfumo, aos 46); Beckenbauer e Overath; Amâncio (Metreveli, aos 46), Szucs, Albert (Pedro Rocha, aos 46) e Dzajic (Farkas, aos 46). Treinador: Dettmar Cramer. 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira