A campanha do "Vocês vão ter que me engolir"

A campanha do "Vocês vão ter que me engolir"

Sob o comando de Zagallo, Seleção Brasileira conquistou o título da competição pela primeira vez fora de casa

Técnico Zagallo levantando a taça da Copa América de 1997

Técnico Zagallo levantando a taça da Copa América de 1997

Créditos: CBF

Brasil 3 x 1 Bolívia - Copa América de 1997

Brasil 3 x 1 Bolívia - Copa América de 1997

Créditos: CBF

Brasil 7 x 0 Peru - Copa América de 1997

Brasil 7 x 0 Peru - Copa América de 1997

Créditos: CBF

Brasil 2 x 0 Colômbia - Copa América 1997

Brasil 2 x 0 Colômbia - Copa América 1997

Créditos: CBF

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Créditos: CBF

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Créditos: CBF

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Créditos: CBF

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título da Copa América de 1997

Créditos: CBF

Brasil 2 x 0 Paraguai - Copa América de 1997

Brasil 2 x 0 Paraguai - Copa América de 1997

Créditos: CBF

Na Copa América de 1997, disputada na Bolívia, havia pelo menos um desafio a ser vencido quando o Brasil estreou goleando a Costa Rica por 5 a 0, em Santa Cruz de La Sierra: desde o primeiro torneio, em 1916, o país jamais conquistara o campeonato continental fora de casa. E quem esquece a segunda partida? O México jogou uma barbaridade no primeiro tempo e foi para o intervalo com vantagem de 2 a 0. Mas o Brasil encaixou na etapa final, virando o placar aos 33 minutos, com um belo gol de Leonardo, provocando no jornal mexicano o conformismo que produziu a manchete inesquecível: “Jogamos como nunca. Perdemos como sempre”.

Exibindo bom futebol, a Seleção passou pela Colômbia e pelo Paraguai vencendo ambos por 2 a 0. Na semifinal, goleou o Peru por 7 a 0, e decidiu o título com a Bolívia, com duas preocupações: a ausência de Romário, machucado, e a velha e traiçoeira altitude de quase quatro mil metros do Estádio Hernán Siles Suazo, em La Paz. Mas o time estava tão afiado que mesmo empatando no primeiro tempo por 1 a 1 (gols de Edmundo, aos 40; Erwin Sánchez, empatando aos 45), soube superar a pressão dos quase 44 mil torcedores, definindo a partida no segundo tempo marcando duas vezes nos últimos 12 minutos: a primeira, com um chute forte de Ronaldo. A segunda, com um toque sutil de Zé Roberto sobre o goleiro Carlos Trucco. Pela primeira vez o Brasil conquistava o campeonato além de suas fronteiras. Zagallo, criticado por parte da crônica, fez o desabafo que entrou para a história: “Vocês vão ter que me engolir”.

OS JOGOS

13/06/1997

BRASIL 5 x 0 COSTA RICA

Competição: Copa América.

Local: Estádio Ramon Tahuichi Aguillera, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Público: 26.080 pagantes.

Árbitro: Epifanio Gonzalez (Paraguai). 

Cartão Amarelo: Aldair, Roberto Carlos, Soto.

Gols: Djalminha, aos 22; Ronald Gonzalez (contra), aos 35; Ronaldo, aos 46; Ronaldo, aos 51; Romário, aos 59.

BRASIL: Taffarel, Cafu (Zé Maria, aos 65), Gonçalves, Aldair e Roberto Carlos; Flávio Conceição, Dunga, Leonardo e Djalminha (Edmundo, aos 62); Ronaldo e Romário (Giovanni, aos 72). Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

COSTA RICA: Lonnis, Wallace (Delgado, aos 62), Ronald González, Wright e Berry; Solis, Guillén, López e Soto (Myers, aos 65); Medford (Oviedo, aos 87) e Ronald Gómez. Treinador: Horacio Cordero.

16/06/1997

BRASIL 3 x 2 MÉXICO

Competição: Copa América.

Local: Estádio Ramon Tahuichi Aguillera, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Público: 26.881 pagantes.

Árbitro: Jose Arana (Peru).

Cartão Amarelo: Cafu, Roberto Carlos, Davino, Palencia, Pavel Pardo, Villa, Suárez.

Cartão Vermelho: Flávio Conceição, aos 87.

Gols: Luiz Hernández (cabeça), aos 13; Luiz Hernándes, aos 31; Aldair, aos 48; Romário, aos 59; Leonardo, aos 78.

BRASIL: Taffarel, Cafu, Célio Silva, Aldair e Roberto Carlos; Dunga, Flávio Conceição, Leonardo (Zé Roberto, aos 88) e Djalminha (Denílson, aos 46); Ronaldo e Romário. Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

MÉXICO: Ríos, Pavel Pardo, Suárez, Sánchez e Davino; Romero (Abundis, aos 82), Villa, Lara e Ramírez (Rafael García, aos 73); Luiz Hernández e Palencia (Blanco, aos 61). Treinador: Bora Milutinovic.

19/06/1997

BRASIL 2 x 0 COLÔMBIA

Competição: Copa América.

Local: Estádio Ramón Tahuichi Aguillera, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Público: 30.567 pagantes.

Árbitro: Epifanio Gonzalez (Paraguai).

Cartão Amarelo: Cafu, Dunga, Aristizábal, Pacheco.

Gols: Dunga (falta), aos 11; Edmundo, aos 67.

BRASIL: Taffarel, Cafu (Zé Maria, aos 74), Aldair, Gonçalves e Zé Roberto; Dunga (César Sampaio, aos 80), Mauro Silva, Leonardo e Denílson; Ronaldo (Edmundo, aos 60) e Romário. Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

COLÔMBIA: Calero, Santa, Bermudez, Ivan Córdoba e Mosquera; Cabrera, Pérez, Bonilla (Ricard, aos 46) e Pacheco; Morantes (Estrada, aos 71) e Aristizábal. Treinador: Hernán Dario Gomez.

22/06/1997

BRASIL 2 x 0 PARAGUAI

Competição: Copa América.

Local: Estádio Ramón Tahuichi Aguillera, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Público: 21.937 pagantes.

Árbitro: Rafael Sanabria (Colômbia).

Cartão Amarelo: Dunga, Leonardo, Gomez, Gamarra, Arce, Chilavert.

 Gols: Ronaldo, aos 19; Ronaldo, aos 34.

BRASIL: Taffarel, Zé Maria, Aldair, Gonçalves e Roberto Carlos; Flávio Conceição, Dunga, Leonardo e Denílson; Ronaldo e Romário. Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

PARAGUAI: Chilavert, Gamarra, Alcaraz e Sarabia; Arce, Gómez, Villamayor (Ovelar, aos 59), Acuña e Espínola (Jara, aos 37); Rojas e Soto (Cardozo, aos 42). Treinador: Paulo César Carpeggiani.

26/06/1997

BRASIL 7 x 0 PERU

Competição: Copa América.

Local: Estádio Ramón Tahuichi Aguillera, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Público: 21.000 pagantes.

Árbitro: Epifanio Gonzalez (Paraguai).

Cartão Amarelo: Ronaldo, Prado.

Gols: Denílson, a 1; Flávio Conceição, aos 27; Romário, aos 35; Leonardo (cabeça), aos 45; Romário, aos 48; Leonardo, aos 55; Djalminha, aos 77.

BRASIL: Taffarel, Cafu, Aldair, Gonçalves e Roberto Carlos; Dunga (Mauro Silva, aos 58), Flávio Conceição, Leonardo (Djalminha, aos 63) e Denílson; Ronaldo (Edmundo, aos 58) e Romário. Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

PERU: Miranda, Reyna (Prado, aos 57), Dulanto, Rebosio e Hidalgo; Torres, Muñoz, Magallañes e Palácios (Saeñz, aos 57); Carazas (Palomino, aos 57) e Cominges. Treinador: Freddy Ternero.

29/06/1997

BRASIL 3 x 1 BOLÍVIA

Competição: Copa América.

Local: Estádio Hernán Siles Zuazo, em La Paz (Bolívia). Público: 43.753 espectadores.

Árbitro: Jorge Luis Nieves Parra (Uruguai). Assistentes: Carlos Velásquez (Uruguai), Javier Campos (Chile).

Cartão Amarelo: Cristaldo, Mauro Silva, Erwin Sánchez.

Gols: Edmundo, aos 40; Erwin Sánchez, aos 45; Ronaldo, aos 79; Zé Roberto, aos 89.

BRASIL: Taffarel, Cafu, Aldair, Gonçalves e Roberto Carlos; Dunga, Flávio Conceição (Zé Roberto, aos 70), Leonardo (Mauro Silva, aos 80) e Denílson; Edmundo (Paulo Nunes, aos 68) e Ronaldo. Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo.

BOLÍVIA: Trucco, Oscar Sánchez, Peña, Sandy e Cristaldo; Soria, Castillo, Baldivieso e Erwin Sánchez; Moreno (Coimbra, aos 74) e Etcheverry. Treinador: Antonio López.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira