#TBTdaAmarelinha Rivaldo, o craque que vestiu a 10 no penta

#TBTdaAmarelinha Rivaldo, o craque que vestiu a 10 no penta

Brilhante sempre que vestia a camisa da Seleção, meia foi decisivo no último título de Copa do Mundo do Brasil

Imagens da carreira de Rivaldo com a Seleção Brasileira Imagens da carreira de Rivaldo com a Seleção Brasileira
Créditos: FIFA/Getty Images

Elegância e velocidade. Técnica e plasticidade. Um jogador definitivamente brasileiro, com origem pernambucana e brilho internacional. Rivaldo foi um dos grandes craques da história do futebol mundial. Nesta edição do #TBTdaAmarelinha, vamos relembrar a carreira do camisa 10 do último título mundial da Seleção Brasileira.

Eleito pela FIFA como o melhor jogador do mundo em 1999, Rivaldo é um expoente da essência do futebol brasileiro. Com sua habilidade e técnica singulares, brilhou no Brasil e na Europa e foi decisivo no último título mundial da Seleção. Na Copa do Mundo de 2002, na Coreia do Sul e no Japão, marcou cinco gols e foi fundamental na conquista do pentacampeonato.

Rivaldo

Meio-campista da Seleção Brasileira
Jogos: 78
Gols: 38
Títulos: Copa do Mundo (2002), Copa das Confederações (1997), Copa América (1999) e Copa Umbro (1995).

Um craque sem apelidos


O futebol brasileiro se acostumou, ao longo do tempo, a encher seus craques de apelidos. Pelé era o Rei, enquanto Zico, o Galinho de Quintino. Ronaldo foi o Fenômeno e Jairzinho, o Furacão. Em meio a tudo isso, há Rivaldo, um gênio sem apelidos, diminutivos ou outros nomes. Mas isso nunca o intimidou. Rivaldo deixava todos os requintes para dentro de campo. Dessa forma, era ele o craque que driblava qualquer um, que cruzava o campo em segundos com sua larga passada e que surpreendia o mundo com gols antológicos.

Os desafios de um gênio discreto


Com a camisa da Seleção Brasileira, Rivaldo conquistou a Copa das Confederações de 1997, a Copa América de 1999 e a Copa do Mundo, em 2002. Sua participação na Copa de 1998 também foi marcante. Nas quartas de final, contra a Dinamarca, marcou duas vezes. Foi ele quem virou o jogo para 2 a 1 e que, após o empate, decidiu a classificação brasileira, com um chutaço de fora da área, que morreu no cantinho do goleiro Schmeichel.

- Eu estava em um grande momento na minha carreira , jogando no Barcelona e jogando muito bem. A idade ajudou muito, estava com 26 anos em 98 - disse, ao lembrar daquele gol. - Está entre os mais bonitos pela Seleção, junto com os contra Inglaterra e Bélgica (na Copa de 2002).

Foi justamente após a derrota na final da Copa do Mundo de 1998 que o meia teve sua melhor temporada pelo Barcelona. Em 1999, foi premiado como Melhor Jogador do Mundo pela FIFA e também ganhou a Bola de Ouro da Revista France Football, dada ao melhor jogador da Europa.

Mas nem mesmo o grande futebol de Rivaldo foi páreo para a muito exigente torcida brasileira. Durante esse período, a Seleção passou por momentos turbulentos e as seguidas cobranças chatearam o meia.

- Teve um momento nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002. Como eu tinha sido melhor do mundo em 1999, a pressão aumentou. E o Ronaldo, que dividia esta pressão comigo, estava machucado. Então ficou quase tudo nas minhas costas. Lembro de um jogo em São Paulo, contra a Colômbia no Morumbi, que ganhamos por 1 a 0, com gol do Roque Júnior. Neste jogo, eu fiquei muito triste e falei que não sabia se voltaria mais a jogar com a Seleção. O bom é que eu tive personalidade, dei a volta por cima e hoje sou respeitado por todos os brasileiros - recordou.

Imagens da carreira de Rivaldo com a Seleção Brasileira Rivaldo durante a final da Copa do Mundo de 1998, contra a França
Créditos: FIFA/Getty Images

Na final da Copa, o corta-luz


O Brasil vencia a Alemanha por 1 a 0 na final da Copa de 2002, quando Kleberson recebeu a bola pela direita. Avançando pelo campo de ataque, enxergou Rivaldo na entrada da área. O passe foi na medida para o meia, mas ele desmontou a defesa alemã sem encostar na bola: abriu as pernas e a deixou para Ronaldo. Livre, o artilheiro dominou e bateu sem chances para Oliver Kahn, decretando a vitória brasileira.

O corta-luz, como é chamado o movimento feito por Rivaldo para Ronaldo, não é muito comum nos jogos de futebol. E só foi possível naquela noite com muito entrosamento e inteligência dos dois craques brasileiros.

-  A gente não vê isso tantas vezes, mas ainda se faz. É uma mistura de técnica e inteligência e eu tinha um bom entrosamento com o Ronaldo na Seleção. Foi uma jogada muito rápida. O Cafu tocou no Kleberson e eu já fiquei na posição para receber a bola dele. Mas eu tinha visto o Ronaldo em boa condição e puxei a marcação para depois fazer o corta-luz. Depois, vi na TV que o Ronaldo tinha falado comigo, mas eu não escutei na hora - lembrou.

Imagens da carreira de Rivaldo com a Seleção Brasileira Rivaldo encara a marcação turca na Copa do Mundo de 2002
Créditos: FIFA/Getty Images

O 10 do Penta


Rivaldo defendeu a Seleção Brasileira em duas Copas do Mundo e, nas duas oportunidades, vestiu a histórica camisa 10. Em 1998, foram três gols na campanha que terminou no vice-campeonato. Quatro anos mais tarde, liderou o Brasil na conquista do Penta. Muito mais do que escrever seu nome na história como um campeão mundial, Rivaldo se consagrou como um dos três únicos a conquistar o mundo com a 10 do Brasil. Além dele, apenas Pelé (1958, 1962 e 1970) e Raí (1994) podem ostentar esse feito. Uma trajetória que enche o pernambucano de orgulho.

- Eu sou grato a Deus por ter jogado na Seleção Brasileira. Por ter jogado duas Copas do Mundo, feito oito gols e principalmente ter sido campeão em 2002. Ter vestido a camisa 10 é algo maravilhoso. Foi com ela que jogaram Pelé, Rivellino, Zico e outros grandes nomes. Isso não tem como descrever - concluiu.

Quem foi Rivaldo?


“É um dos jogadores mais decisivos na história do futebol brasileiro. No meu time, estava escalado sempre. É campeão." - Zico

"Eu amava ver o Rivaldo jogar! Ele jogava no estilo que eu queria, que eu me via: perna esquerda, ali no meio do campo, número 10. Era ele que me dava essa referência." - Marta

"Rivaldo é um dos poucos da atualidade que dão prazer de ver jogar. Ele tem o talento sul-americano e o profissionalismo europeu." - Johan Cruyff

"No jogo contra a Inglaterra, depois que o Ronaldinho foi expulso, estava pensando em mudar o time, mexer em alguma coisa. O Rivaldo me falou: 'não precisa, deixa que eu vou voltar para marcar'. E assim ele fez. O Rivaldo, para mim, foi o jogador mais importante taticamente do Mundial" - Felipão

Brasil x Alemanha - Copa do Mundo 2002 - Ronaldo e Rivaldo Rivaldo e Ronaldo beijam a Copa do Mundo após derrotar a Alemanha
Créditos: FIFA

O #TBTdaAmarelinha é uma forma de homenagear e resgatar os verdadeiros heróis da história da Seleção Brasileira.  A CBF saúda Rivaldo por tudo que fez com a Amarelinha e pelas contribuições imensuráveis ao nosso futebol.

- O que o presidente da CBF, Rogério Caboclo, está fazendo é muito especial, relembrando os momentos que foram lindos para os jogadores e para o país - agradeceu o pentacampeão do mundo.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports