Campeão mundial em 1958, Orlando Peçanha completaria 83 anos

Campeão mundial em 1958, Orlando Peçanha completaria 83 anos

Parceiro de Bellini na conquista da primeira estrela da Seleção Brasileira, Orlando Peçanha se notabilizou pela entrega e liderança no setor defensivo

1958 Final Modelo

Créditos: Divulgação / CBF

Campeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1958, na Suécia, o zagueiro Orlando Peçanha completaria 83 anos nesta quinta-feira (20). Titular na campanha que rendeu a primeira estrela à Canarinho, Orlando marcou época com a Amarelinha e se destacou como um dos maiores defensores do futebol mundial.

No universo do futebol, a Seleção Brasileira é dona da mais rica e vitoriosa história. Além das dezenas de títulos e gigantes conquistas, a trajetória é cravejada por uma sucessão de grandes estrelas. Em meio a tantos craques, ser lembrado como um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro é uma honraria para pouquíssimos. No caso de Orlando Peçanha, o “status“ faz jus à entrega, imponência e liderança.

Junto ao capitão Bellini, Orlando formou uma extraordinária dupla de zaga na conquista da Copa do Mundo de 1958, na Suécia. Titular em todos os seis jogos da Seleção no torneio, deixou nos gramados suecos toda sua luta e comprometimento em busca do primeiro título mundial do Brasil. Fora do Mundial de 1962, Orlando voltou a defender a Canarinho na competição em 1966, na Inglaterra. Foi justamente na Terra da Rainha que Orlando conheceu seu único e amargo revés representando as cores verde e amarela: a derrota e consequente eliminação para Portugal. Ao todo, foram 34 partidas e um impressionante retrospecto: 26 vitórias, sete empates e apenas uma derrota. Além do título mundial, Orlando Peçanha conquistou a Taça Bernardo O’Higgins (1959) e a Taça do Atlântico (1960).

Orlando Peçanha foi revelado pelo Vasco da Gama-RJ. Defendeu o Cruzmaltino de 1953 a 1960. Foram as atuações pelo Gigante da Colina que creditaram Orlando a integrar o elenco selecionado por Vicente Feola para ir à Suécia em 1958 em busca do sonhado título de campeão mundial. Depois da passagem pelo Vasco, seguiu para o Boca Juniors, da Argentina. Rapidamente se tornou ídolo da torcida xeneize pela raça inabalável e pela liderança dentro das quatro linhas. Foi batizado de “Senhor do Futebol“ por suas memoráveis partidas com a camisa azul-ouro. Voltou para o Brasil para defender o Santos-SP, onde conquistou a Taça Brasil de 1965. Retornou ao Vasco, clube que o projetou, para encerrar a carreira, em 1970.

Orlando Peçanha morreu em fevereiro de 2010, vítima de um ataque cardíaco.

A CBF recorda a brilhante carreira de um dos maiores zagueiros do futebol brasileiro e agradece in memorian por todas as contribuições prestadas à Seleção e ao futebol brasileiro.

Foto: Orlando ao lado de Gylmar, o segundo em pé da direita para a esquerda

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Mastercard GOL CIMED SEM TCL FIAT English Live Ultrafarma Technogym Statsports