Contra a Colômbia, Weverton revive confronto de sua estreia pela Seleção Brasileira

Contra a Colômbia, Weverton revive confronto de sua estreia pela Seleção Brasileira

Goleiro vive expectativa por oportunidade como titular nesta quarta-feira (23), contra o mesmo adversário e no mesmo palco de seu primeiro jogo pela Seleção Principal

Treino da Seleção Brasileira no CT do São Paulo. Weverton Treino da Seleção Brasileira no CT do São Paulo. Weverton
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Muita coisa pode passar pela cabeça de Weverton quando ele subir as escadas do Estádio Nilton Santos para Brasil x Colômbia, pela CONMEBOL Copa América 2021. Foi nesse mesmo local, contra o mesmo adversário, que o goleiro fez sua primeira partida pela equipe principal da Seleção Brasileira. Mais de quatro anos depois, muita coisa mudou para Weverton, que vive a expectativa de novamente ser titular da Canarinho.

"Eu me sinto muito mais experiente depois desses quatro anos e meio, vindo de algumas coisas conquistadas e eu me sinto muito mais maduro, como atleta e como pessoa. Eu estou em um momento de muita felicidade na minha vida e que eu possa levar todo esse momento para dentro de campo e fazer mais uma grande partida", disse, em entrevista exclusiva à CBF TV.

Confira a íntegra da entrevista de Weverton para a CBF TV!


A estreia de Weverton pela Seleção Principal veio depois dele já escrever uma bonita história com a Amarelinha. Medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o goleiro foi chamado em janeiro de 2017 para a disputa do Jogo da Amizade, uma partida para arrecadar fundos para as famílias das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense.

"Foi um dia muito feliz para mim, apesar do motivo da gente estar ali. Era um dia triste por lembrar aquele momento, fizemos aquele jogo para ajudar as famílias. Mas, para mim, em especial, por estrear na Seleção Principal, fazendo um jogo pela primeira vez na Seleção e saindo com vitória, foi um motivo de muita alegria. Foi um jogo bom, deu para fazer algumas defesas. Fiquei muito feliz com a vitória e com a partida", relembrou.

Como o amistoso foi uma fora do período de convocação para Data FIFA, o técnico Tite só pôde chamar atletas que atuavam no Brasil. À época no Athletico Paranaense, Weverton foi selecionado junto com Alex Muralha, do Flamengo, e Danilo Fernandes, do Internacional, e ficou sabendo que seria titular na véspera do jogo.

 

"A gente sabe o quanto é importante e o quanto é maravilhoso vestir essa camisa"

 

Um dia antes da partida, o Brasil treinou no Estádio Nilton Santos e o goleiro foi informado por Tite de que a meta brasileira ficaria sob sua responsabilidade, o que virou motivo de comemoração e ansiedade para toda uma família.

"Eu sempre converso muito com a minha esposa. Eu contei para ela que iria jogar e todo mundo ficou feliz em casa. Foi aquela expectativa, aquele dia de fazer tudo mais cedo e se preparar para o dia do jogo. Minha mãe sempre desejou ver o Galvão Bueno narrando uma defesa minha e, naquele dia, teve uma defesa de falta, que ela ficou muito contente. Foi um dia muito especial para mim, de muita alegria poder jogar e fazer um bom jogo, não sofrer gol e o time ganhar... Eu diria que foi uma noite muito feliz e especial e espero que esse próximo reencontro possa ser assim novamente", contou.

Diego e Weverton no Jogo da Amizade Weverton fez sua estreia pela Seleção Brasileira no Jogo da Amizade.
Créditos: Ricardo Stuckert/CBF

Do Athletico Paranaense, Weverton foi para o Palmeiras, onde se sagrou campeão do Brasileirão, da Conmebol Libertadores, da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista, sempre com destaque. Seu grande desempenho pelo clube o credenciou a ter cada vez mais oportunidades pela Seleção Brasileira. Nas Eliminatórias da Copa do Mundo, o goleiro foi titular nas vitórias contra Bolívia e Peru, em outubro do ano passado.

Mais experiente, Weverton já viveu muitas emoções dentro do campo de futebol. Mas tem uma que é incomparável e nunca vai deixar de emocioná-lo: a emoção de vestir a camisa da Seleção Brasileira.

"O que está igual é a alegria e a vontade de jogar pela Seleção. Aquele frio na barriga, aquela ansiedade do pré-jogo continua sempre o mesmo, porque a gente sabe o quanto é importante e o quanto é maravilhoso vestir essa camisa. Quando toca o hino, você sente uma sensação inexplicável. Você ouvir o teu hino nacional, vestindo a camisa do teu país, representando uma nação inteira... Isso é uma sensação que só quem veste a camisa da Seleção sabe explicar", confessou, antes de refletir sobre a importância de ter vivido tanta coisa para chegar até aqui:

"Às vezes eu sou muito emocionado porque eu dou muito valor para isso tudo. São coisas muito difíceis de conseguir e quando você consegue, tem que valorizar muito. Estar aqui dentro da Seleção é um prêmio e te custa muito sacrifício, você deixa muitas coisas para trás. Às vezes, a sua própria família que fica em segundo plano para você se dedicar ao trabalho. E quando você chega aqui é como se tudo isso tivesse valido muito a pena. É uma responsabilidade grande, mas é uma sensação também muito maravilhosa, que eu agradeço muito a Deus. Que Ele possa me capacitar para que eu deixe aquele gol sempre zerado", concluiu.

Nesta quarta-feira, Brasil e Colômbia se enfrentam pela quarta rodada da CONMEBOL Copa América 2021. A bola rola às 21h no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), com transmissão do SBT e da ESPN Brasil.

Peru x Brasil em Lima pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa de 2022. Weverton Weverton em ação pela Seleção Brasileira; goleiro vive expectativa por estreia na Copa América
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol semp tcl free fire kwai grupo cimed fiat pague menos bitci cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil