Após gol do título, Malcom divide méritos pelo ouro e quer aproveitar oportunidade na Seleção Brasileira

Após gol do título, Malcom divide méritos pelo ouro e quer aproveitar oportunidade na Seleção Brasileira

Atacante marcou o gol do título da Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e ganhou nova oportunidade na equipe principal

Treino da Seleção Brasileira no CT do Corinthians. Malcom e Claudinho Treino da Seleção Brasileira no CT do Corinthians. Malcom e Claudinho
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Muita coisa mudou desde a última vez em que Malcom esteve com a Seleção Brasileira. Em três anos, o atacante mudou de clube, ganhou rodagem e viveu uma experiência e tanto: a conquista do ouro olímpico nos Jogos de Tóquio 2020. Foi dele, inclusive, o gol que coroou o título da Seleção, na vitória por 2 a 1 sobre a Espanha na final.

Convocado por Tite pela primeira vez desde que subiu no lugar mais alto do pódio, Malcom não se vê como herói daquela conquista. Mas sabe que mostrou suas qualidades na competição, a ponto de chamar a atenção do técnico da Seleção Brasileira.

"Para mim, ainda nem caiu a ficha do gol, que é um gol histórico. O pessoal às vezes me encontra na rua e pergunta: 'Você tem noção disso?'. Mas o gol poderia ter sido de qualquer outro jogador, pelo trabalho, pelo apoio de todos na Seleção Olímpica. O importante mesmo era conquistar o ouro. Acabei sendo feliz de ter feito o gol e agora é aproveitar aqui na Seleção Principal", disse Malcom, antes de dividir os méritos com seus companheiros:

"Eu não me considero herói, porque todos ali foram heróis, deram o máximo, se dedicaram. Aconteceu de eu ter feito o gol, mas para mim, os 22 que estavam na lista da Olimpíada são heróis. Todos nós merecemos, fomos um grupo desde o primeiro dia, quando cheguei lá em Tóquio, até na preparação, eu via que o grupo tinha um só objetivo: vencer e conquistar a medalha de ouro".

A última vez de Malcom com a Seleção Principal foi em setembro de 2018, quando ele ainda era jogador do Barcelona. Mais maduro, o atacante comemorou a chance de vestir novamente a Amarelinha, oportunidade pela qual vinha trabalhando há muito tempo.

"Faz três anos que eu vim para a Seleção Principal. A gente fica esperançoso, vem fazendo bons jogos, mas sabe que tem muitos jogadores brasileiros com qualidade e nível para estar aqui. Mas a gente trabalha para isso. Para mim, é uma honra estar aqui. E agora é dar meu máximo, para poder mostrar que eu quero estar aqui. Esperar a oportunidade, com humildade, para ver o que vai acontecer", afirmou.

Na Seleção Brasileira, Malcom reencontrará Tite, que foi fundamental no início da carreira do atacante. Em 2015, ele era apenas um jovem quando Tite decidiu lançá-lo na equipe profissional do Corinthians. Malcom foi titular absoluto no Alvinegro, que conquistou com folgas o Brasileirão daquele ano.

"Em 2015, a gente fez uma grande campanha. O Tite me ajudou muito, tanto dentro quanto fora de campo, na parte ofensiva e defensiva. Nosso time era muito compacto. Hoje, eu consigo defender mais, saber um pouco mais da tática defensiva, e venho ajudando meu clube também nessa parte porque ele me fez colocar na cabeça que eu tinha que defender mais, ajudar as linhas defensivas. E agora é esperar a oportunidade", lembrou o atacante.

Em São Paulo, a Seleção Brasileira segue sua preparação para as próximas três rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022. Nesta quinta-feira (2), o Brasil enfrenta o Chile, no Estádio Nacional de Santiago. Depois, no domingo (5), o Brasil recebe a Argentina na Neo Química Arena, em São Paulo. A Seleção Brasileira fecha a Data FIFA contra o Peru, na quinta-feira (9), na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE).

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil