Jorginho e o cruzamento mais importante da Copa do Mundo de 1994

Jorginho e o cruzamento mais importante da Copa do Mundo de 1994

Em um dos jogos mais difíceis da campanha, o gol de Romário desafogou a Seleção Brasileira. Cabeçada veio depois de assistência milimétrica de Jorginho

Copa do Mundo 1994 - Brasil x Suécia

Créditos: Wilson de Carvalho

O estádio Rose Bowl, em Pasadena se tomava por uma incessante aflição. Em campo, Brasil e Suécia disputavam uma vaga na final da Copa do Mundo de 1994. Foi aí que entrou em cena Jorginho. Após receber um passe de Dunga pela direita, o lateral deu um dos cruzamentos mais importantes da história da Seleção Brasileira, encontrando Romário sozinho dentro da área. O camisa 11 não perdoou, estufou a rede e carimbou o passaporte brasileiro na decisão.

25 anos depois, o lance do gol ainda está fresco na memória de Jorginho. Durante o evento de comemoração do tetracampeonato, na Granja Comary, o campeão do mundo descreveu o momento da assistência que mudou a sorte brasileira naquela tarde.

- Eu tinha tentado de todas as formas. Cruzando rápido, alto, meia altura, para trás, e a coisa não estava acontecendo. A zaga deles era muito consistente, os jogadores muito bem posicionados e altos. Eu recebi o passe do Dunga e percebi a entrada do Raí no primeiro pau. Ele chamou toda a atenção dos dois zagueiros deles. Eu costumo dar esse cruzamento atrás do primeiro homem e foi o que aconteceu. Consegui tirar do Raí, dos dois zagueiros que estavam com ele e o Baixinho subiu. Agora, ele subiu muito. Ele teve todo o mérito - lembrou Jorginho.

Aquele foi o segundo confronto entre Brasil e Suécia na Copa do Mundo. Na última rodada da primeira fase, as duas equipes se enfrentaram e saíram de campo em pé de igualdade. O empate por 1 a 1 já previa as dificuldades que a Seleção Brasileira enfrentaria na semifinal.

A Suécia tinha um dos melhores times da Copa, com um jogo muito sólido e muita força física. Por mais que imaginasse maneiras de furar a defesa sueca, o Brasil não esperava que o gol viesse da maneira como foi.

- A gente sabia que seria muito difícil, que tinha que ter paciência, trabalhar bastante, girar a bola de um lado para o outro. Nossa equipe jogava com a posse de bola, mas também era muito vertical no contra-ataque. Só que não conseguíamos fazer o gol de jeito nenhum. O menos provável foi o que aconteceu: saiu o gol de um cruzamento - destacou.

O gol de Romário foi o último gol brasileiro naquela Copa do Mundo. Na decisão, o Brasil empatou por 0 a 0 com a Itália e viu a decisão ser levada para os pênaltis. Nas cobranças, o Brasil se deu melhor e, por 3 a 2, garantiu o título mundial.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NikeItaúVIVOGuaraná AntárticaMastercardGOLGrupo CIMEDSEMP TCLFIATUltrafarmaEnglish LiveTechnogymStatsports3 Corações