Estreia na despedida do Rei: César Sampaio relembra momento com Pelé

Estreia na despedida do Rei: César Sampaio relembra momento com Pelé

Atualmente auxiliar de Tite na Seleção, ex-atleta vestiu a Amarelinha pela primeira vez em duelo comemorativo de 50 anos do Rei e destaca experiência inesquecível

20171016 Lançamento do novo filme do Pelé em SP - Cesar Sampaio César Sampaio viveu momento inesquecível na última vez que Pelé vestiu a Amarelinha
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

No ano de 1990, a Seleção Brasileira realizou um amistoso contra a Seleção do Mundo, um combinado de grandes estrelas em ascensão, em Milão, na Itália. A partida foi feita para comemorar os 50 anos de Pelé e marcou a despedida do Rei com a Amarelinha. Comandado por Paulo Roberto Falcão, que iniciava um trabalho de transição após a Copa do Mundo de 1990, o time do Brasil contou com vários jovens jogadores, como Leonardo, Cafu e César Sampaio. Atual auxiliar técnico de Tite, o último citado vestiu a camisa Canarinho pela primeira vez neste jogo e lembra com carinho da oportunidade que teve de atuar com o maior jogador de futebol de todos os tempos. 

Trinta anos depois, César Sampaio tem o momento bem vivo na memória. Em entrevista ao site da CBF, o ex-atleta detalha a preparação de Pelé e a condição física do Rei, que o impressionou bastante. 

"Ele fez um período de treinamento e não sei se estava no mesmo peso que ele parou de jogar ou estava dois quilos acima, alguma coisa assim, mas estava quase igual ao peso de quando ele parou de jogar. O comprometimento dele com a causa, a homenagem, um jogo festivo, me chamou atenção. Eu e a maioria das pessoas iriam no espírito de jogar uns 15 minutos só para bater uma bolinha, mas o cara não. Foi lá e teve um respeito ao público de fazer o melhor dele. Nos treinamentos, a preparação dele foi toda nesse sentido. Um cara muito envolvido com o entorno e para a gente foi bem legal", recordou.

Quando se tem um ídolo é comum demonstrar certo nervosismo ao encontrá-lo. César Sampaio conta que passou por isso antes da partida e que sentiu um frio na barriga por não saber como abordar o craque em campo.   

"Eu não tinha ideia de como me comportar, porque jogar ao lado do Pelé... Não se sabe o que fazer. Se pede a bola, se fala: - Marca aí, Pelé! Ou: - Volta! A gente fica com vergonha. Mas ele com 50 anos, mesmo com a idade avançada, eu fiquei projetando 30 anos a menos. A habilidade dele com a bola, noção de posicionamento, tomada de decisão e tempo e espaço... Tudo isso ainda era incrível. Só posso concluir que ainda bem que eu nasci depois. Acho que jogar contra ele, marcar... Seria impossível!", acrescentou. 

A experiência de estar ao lado do Rei do futebol não é apenas desportiva para César Sampaio. O auxiliar de Tite declara que carrega esta passagem para a vida. 

"Foi um jogo inesquecível. Primeiro pelo significado. O maior dos maiores, a referência mundial, estava lá. E eu tive a honra de fazer o meu primeiro jogo na Seleção naquele dia. É algo que eu jamais planejei. Quando eu comecei a jogar, eu queria ser um profissional, tinha alguns sonhos de conquistar alguns títulos, mas isso vai muito além do que eu pensei. Sou grato a Deus por essa experiência, que foi desportiva, mas também um momento de vida inesquecível", finalizou.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil