Seleção Brasileira: comissão técnica explica escolhas de adversários

Seleção Brasileira: comissão técnica explica escolhas de adversários

Após a convocação desta sexta-feira (26), Tite, Edu Gaspar e Sylvinho fizeram uma análise dos amistosos da Canarinho

Convocação para os amistosos de novembro em Londres

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Dando sequência ao novo ciclo de trabalho da Seleção Brasileira, o técnico Tite anunciou, nesta sexta-feira (26), os 23 convocados para os amistosos contra Uruguai e Camarões, em novembro. Em momento de oportunizar, mas ao mesmo tempo montar uma estrutura básica para a Copa América de 2019, o comandante analisou os últimos confrontos da Canarinho e projetou o duelo contra os uruguaios, tradicionais rivais sul-americanos.

– A gente não pode desprezar o grau de dificuldade que tem de enfrentar Argentina, EUA, Uruguai, Arábia Saudita. Queremos também fazer jogos contra adversários europeus, mas não vamos desconsiderar que vamos enfrentar Cavani e Suárez, que foram eliminados na Copa por uma circunstância – comentou o treinador.

Com a intenção de aumentar o leque de adversários para o início do ano que vem, o coordenador de seleções Edu Gaspar explicou como é feita a escolha dos amistosos durante as datas FIFA.

– O que acontece com os adversários europeus de março é que só posso responder depois do sorteio da Liga das Nações. Nossa estratégia é no pós-sorteio já estar em contato com as equipes sem datas, para que possamos pegar a seleção mais difícil possível. Pode vagar data de seleções de nosso interesse. Vale destacar que ser do nosso interesse não significa ser do interesse do adversário. Temos nossa estratégia, sabemos contra quem é bom jogar. Só que os outros também pensam. Nosso pensamento é jogar com as seleções mais difíceis – disse.

Também sobre o desejo de encarar seleções europeias, Tite relembrou alguns adversários do período pré-Copa do Mundo e comentou a dificuldade de coincidir os calendários.

– Temos que encontrar uma forma de nos fortalecer e haver enfrentamento. Tivemos amistosos contra Inglaterra e Alemanha. Vamos precisar ter criatividade, conseguir encontrar e ter esse intercâmbio. Fomos para a Copa com 12 jogos oficiais, mais amistosos. Aumentar esse leque vai ser desafiador, e o calendário vai fechando essas situações – concluiu o treinador.

Para o auxiliar-técnico Sylvinho, todos os testes da Seleção são úteis para as avaliações da comissão técnica, mesmo nos confrontos com adversários considerados de menor nível de dificuldade.

– Nem sempre o rival é o dos sonhos. Quando o atleta entra é bonito ver o olho dele. Ele está vestindo a camisa da Seleção, para ele não importa quem vem pela frente. Vamos ser cirúrgicos nas análises e tirar as melhores conclusões – afirmou.

Confira a lista completa da convocação para os jogos contra Uruguai e Camarões!

PATROCINADORES

Seleção Brasileira