Cléber Xavier avalia adversários do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo

Cléber Xavier avalia adversários do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo

Auxiliar técnico da Seleção Brasileira faz uma análise dos três adversários da equipe no Grupo G da Copa do Mundo do Catar: Suíça, Sérvia e Camarões. Segundo ele, comissão técnica irá mergulhar no estudo desses times a partir de agora

Cleber Xavier Cleber Xavier
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Tão logo saiu a definição da chave da Seleção Brasileira na Copa do Mundo FIFA Catar 2022, nesta sexta-feira (1˚), o auxiliar técnico da equipe, Cléber Xavier, fez uma avaliação dos adversários do Brasil. Sorteada no Grupo G da competição, em evento realizado em Doha, a Canarinho enfrentará Sérvia, Suíça e Camarões na primeira fase, respectivamente. 

"Primeiro uma grande coincidência, de pegar dois adversários da primeira fase da última Copa (2018). São três seleções com treinadores novos, sendo que Sérvia e Suíça se classificaram de forma invicta em chaves com Portugal e Itália. Camarões é a mais renovada delas, mas agora vamos nos aprofundar no estudo dos três times", comentou Cléber Xavier logo após a cerimônia. 

Enquanto Sérvia e Suíça garantiram vaga na Copa do Mundo de forma direta ao terminarem na liderança de seus respectivos grupos nas Eliminatórias Europeias para o Mundial, Camarões precisou da prorrogação para eliminar a Argélia e se classificar para a competição pela oitava vez em sua história. 

"São três equipes com desenhos táticos diferentes como padrão. A Suíça joga num 4-2-3-1, mesmo desenho que jogava em 2018, mas ainda vai ter jogos da Nations League para evoluir na mão do técnico novo. A Sérvia já mostra um 3-5-2, também podendo crescer nos próximos meses, enquanto Camarões, que eliminou a forte Argélia, atua num 4-4-2", explicou o auxiliar do técnico Tite.

Passado o sorteio, Cléber Xavier seguirá no Catar para visitas técnicas nos estádios que receberão jogos do Brasil, bem como na Casa da Seleção Brasileira no país. Ele estará acompanhado da comitiva da Seleção Brasileira, formada ainda por Juninho Paulista (Coordenador de Seleção), Tite (Técnico), Luis Vágner (Gerente), Hamilton Correia (Administrador) e Aloísio Rocha (Chefe de Segurança).

"Nós ainda temos um processo de evolução da nossa equipe nos jogos amistosos que ainda nos faltam, e paralelamente a isso a observação dessas equipes e o comportamento delas nas próximas partidas com seus treinadores novos. Essa é nossa sequência de trabalho", finalizou. 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira