Gabriel Medina visita a sede da CBF

Gabriel Medina visita a sede da CBF

Surfista que busca o tricampeonato mundial da WSL foi recebido pelo presidente Rogério Caboclo e se emocionou com troféus do Pentacampeonato

Gabriel Medina visita Museu Seleção Brasileira

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Um bicampeão da World Surf League (WSL) visitou a casa do futebol mais vitorioso do mundo. Às vésperas de entrar na água para tentar o tricampeonato mundial de surf, o brasileiro Gabriel Medina esteve na sede da CBF. O integrante da Brazilian Storm (Tempestade Brasileira), termo usado para denominar a geração vitoriosa de surfistas nascidos em nosso país, foi recebido pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Rogério Caboclo, antes de fazer o tour pelo Museu Seleção Brasileira.

Rogério desejou sorte a Medina na última etapa do circuito mundial, que será disputada em Pipeline, no Havaí (EUA), e ressaltou a importância do surfista e suas conquistas como representação do esporte brasileiro vitorioso no exterior. A convite da SEMP TCL, Patrocinadora Oficial da Seleção, Gabriel fez o tour completo no Museu, conferindo a história do Pentacampeonato e os objetos históricos de conquistas como a Copa América 2019 e o Ouro Olímpico nos Jogos Rio 2016.

– É um orgulho acompanhar a carreira do Medina, que leva o nome do Brasil aos mais elevados pódios do mundo – destacou Caboclo, lembrando com o bicampeão dos tempos em que surfava no litoral paulista, mesmo local onde Gabriel iniciou sua espetacular trajetória no esporte.

O presidente e Medina recordaram ainda o dia em que foram apresentados: 29 de junho de 2019, Brasil x Paraguai, pelas quartas de final da Copa América, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Uma noite de muita tensão, empate em 0 a 0 no tempo normal e vitória brasileira por 4 a 3, nos pênaltis. No camarote da CBF, Rogério, Gabriel e Neymar celebraram a classificação para a semifinal da campanha que terminou com o título da Seleção Brasileira.

Natural de São Sebastião (SP), Medina conquistou o mundo sobre a prancha em 2014 e 2018. Este ano, vai para Pipeline ocupando a segunda colocação na temporada, atrás de Italo Ferreira, outro integrante da Brazilian Storm. O brazuca Filipe Toledo e o sul-africano Jordy Smith também estão na briga.

– A camisa da Seleção Brasileira é um símbolo de vitória reconhecido do mundo inteiro. Legal demais ter essa oportunidade de conhecer a sede, ser recebido pelo presidente e fazer a visita ao museu. É muita história construída por craques reverenciados por todos – concluiu Medina.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira