Campeão da Copinha em 2019, Antony valoriza competição: 'Onde tudo começou'

Campeão da Copinha em 2019, Antony valoriza competição: 'Onde tudo começou'

Há três anos, atacante da Seleção Brasileira era campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior com o São Paulo

O ano era 2019. São Paulo e Vasco decidiam a Copa São Paulo de Futebol Júnior, e o Tricolor Paulista depositava suas esperanças em um jovem atacante: Antony. Hoje na Seleção Brasileira, ele não esconde a gratidão por ter jogado a competição, que tem nova decisão marcada para esta terça-feira (25), entre Santos e Palmeiras.

E não faltam motivos para Antony se lembrar com muito carinho da Copinha. Principal nome do São Paulo na quarta conquista da história do clube, o atacante brilhou na decisão. Ele fez um gol e deu a assistência para o outro no empate por 2 a 2 com o Vasco, na final. O Tricolor Paulista levou o título nos pênaltis.

"Para mim, foi o start da minha vida, a Copinha, onde tudo começou. Tive a honra e o privilégio de ser campeão da Copinha, de poder ter feito um gol e dado uma assistência (na final). Eu me sinto muito feliz e realizado", lembrou, antes de projetar a decisão desta terça-feira:

"Vai ser um grande jogo. Tive o privilégio de participar de uma final, com torcida, meus companheiros. Desejo toda a sorte para as duas equipes. Não tenho dúvida que vai ser um grande jogo, e que o melhor vai vencer".

Homenagem na final


Não foi só pelo título que a final da Copinha foi especial para Antony. Na ocasião, o atacante decidiu fazer uma linda homenagem a uma pequena fã. À época, Larissa tinha sete anos de idade e se recuperava da remoção de um tumor cerebral. Na decisão, Antony raspou a cabeça em homenagem à ela, que sofria com a queda dos cabelos pelo tratamento do tumor. Após marcar seu gol na final, o atacante comemorou fazendo um "L" com as mãos, lembrando de Larissa.

Antony e a jovem Larissa após o título da Copinha, em 2019 Antony e Larissa após a conquista da Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 2019
Créditos: Rubens Chiri/São Paulo

Da Copinha à Seleção


Desde a final da Copinha, muita coisa aconteceu na vida e na carreira de Antony. Hoje, aos 21 anos, é um dos principais destaques do Ajax, da Holanda, para onde se transferiu após fazer sucesso no profissional do São Paulo. O grande desempenho de Antony nos últimos anos o fez ganhar oportunidades na Seleção Brasileira, inclusive nas categorias de base.

 

"Quando eu digo que foi o start da minha carreira, o começo de tudo, não tenho dúvidas"

 

Em 2021, o atacante foi medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio. E mais uma vez brilhou na decisão: foi dele o passe para Malcom fazer o gol do título em Yokohama. Após o ouro, Antony ganhou suas primeiras oportunidades com a Seleção Principal. Convocado pelo técnico Tite nas últimas rodadas das Eliminatórias, ele até mesmo já fez seu primeiro gol com a Amarelinha, na vitória por 3 a 1 sobre a Venezuela.

Nos jogos contra Equador e Paraguai, na Data FIFA de janeiro, Antony terá a chance de mais uma vez usar seu talento em prol da Seleção Brasileira.

Seleção Olímpica enfrentou a Espanha no Estádio de Yokohama, na final da Olimpíada de Tóquio 2020 Emocionado, Antony comemora a conquista do ouro olímpico
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Conselho para os mais novos


A trajetória de Antony mostra que a Copinha pode ser o ponto de partida para uma carreira de muito sucesso. É mais do que uma competição, é a chance de começar a escrever uma grande história. Por isso, o atacante deixou um conselho para os jovens que entram em campo nesta terça-feira para decidir o torneio.

"É o que eu tirei para mim. Vi a importância que era, a visibilidade que tem a Copa São Paulo. Quando eu digo que foi o start da minha carreira, o começo de tudo, não tenho dúvidas. Foi dali que comecei a ser mais visto, onde tive um processo profissional. Aconselharia eles a aproveitarem a oportunidade, viver esse momento, que é uma oportunidade única. Hoje eles estão jogando a Copa São Paulo e amanhã eles podem estar jogando no profissional, uma Copa do Mundo. Que agarrem essa oportunidade de braços abertos e aproveitem o momento", completou Antony.

Outros campeões


Além de Antony, a Seleção Brasileira tem, no atual grupo, outros jogadores que conquistaram a Copinha. É o caso de Lucas Paquetá (Flamengo, 2016), Marquinhos (Corinthians, 2012) e Casemiro (São Paulo, 2010). Outros tantos disputaram a competição, que é, há muito tempo, um grande celeiro de talentos não só para a Seleção, como para o futebol mundial.

Com Antony e cia., a Seleção Brasileira segue sua preparação para os próximos compromissos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Brasil e Equador se enfrentam às 16 horas (18h de Brasília) de quinta-feira (27), no Estádio Roberto Paz Delgado. O jogo é válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Com 34 pontos, a Seleção Brasileira lidera a tabela de classificação e já garantiu vaga no Mundial. Os equatorianos, por sua vez, têm 23 pontos e estão na terceira colocação.

Brasil x Peru pela semi final da Copa América 2021 Casemiro, Marquinhos e Lucas Paquetá, outros campeões da Copinha que defendem a Seleção Brasileira
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira