50 anos do Tri: Em 1970, o campeão Zagallo se transformou em lenda

50 anos do Tri: Em 1970, o campeão Zagallo se transformou em lenda

Técnico assumiu comando da Seleção a menos de três meses do início da Copa do Mundo, fez alterações e conduziu o Brasil ao título

Zagallo e Pelé distribuem autógrafos durante a Copa do Mundo de 1970 Zagallo e Pelé distribuem autógrafos durante a Copa do Mundo de 1970
Créditos: FIFA/Reprodução

A série "50 anos do Tri" relembra, em crônicas e reportagens, a conquista da Copa do Mundo de 1970 pela Seleção Brasileira. Serão várias publicações ao longo do mês de junho, que marca o aniversário do terceiro título mundial do Brasil. Conheça agora o técnico Zagallo, que fecha a apresentação do elenco campeão. Confira todos os perfis aqui no site da CBF!

Zagallo

Nome: Mario Jorge Lobo Zagallo
Função: Técnico
Nascimento: 08/09/1931
Cidade natal: Maceió (AL)

É difícil falar de Seleção Brasileira sem citar o nome de Mario Jorge Lobo Zagallo. Maior vencedor da história da Copa do Mundo, ele conquistou o Mundial de diferentes maneiras com a Amarelinha. Em 1970, foi o técnico da equipe que encantou o planeta. E foi fundamental na conquista do título.

Após a demissão de João Saldanha, o Velho Lobo foi escolhido para comandar a Seleção a cerca de três meses do início do Mundial. Ainda assim, Zagallo promoveu mudanças no time, que teve 100% de aproveitamento com Saldanha nas Eliminatórias. Brito entrou na zaga ao lado de Piazza, improvisado na posição. Clodoaldo se firmou como titular, Rivellino entrou no lugar de Edu e Tostão foi mantido no time, mesmo com Pelé e Jairzinho ao lado dele.

LEIA MAIS
50 anos do Tri: Tite escreve carta aos campeões de 1970: 'A Seleção das Seleções, bem simples assim'

Estava armado o 4-2-4 de Zagallo, uma das equipes mais memoráveis e ousadas da história da Seleção. O sistema de ataque reunia cinco "camisas 10". Além de Pelé e Jairzinho, no Santos e no Botafogo, respectivamente, Gérson (São Paulo) e Rivellino (Corinthians) representavam o número em seus clubes. Por fim, Tostão, que chegou a vestir a 10 da Seleção em diferentes momentos antes da Copa.

O resultado do trabalho de Zagallo foi uma campanha irrepreensível durante o Mundial. Foram seis vitórias em seis jogos, 19 gols marcados, apenas sete sofridos e um futebol que representa bem o conceito de "jogo bonito". Com o título, Zagallo se tornou o primeiro da história a ser campeão da Copa do Mundo como treinador e jogador, já que ele fez parte dos times que ganharam o torneio em 1958 e 1962.

Mas a relação entre Zagallo e a Seleção vai muito além da Copa no México. A história começa ainda em 1950, quando, como um militar da Polícia do Exército, ele trabalhou na segurança das arquibancadas do Maracanã durante a final entre Brasil e Uruguai. Depois, já como jogador profissional, foi peça-chave no bicampeonato do mundo em 58 e 62.

VEJA TAMBÉM
50 anos do Tri: O mexicano que se apaixonou pela Seleção Brasileira anos antes da Copa de 70

Voltou à Seleção em 1970 para a conquista do tri e ficou até a Copa do Mundo seguinte, em 1974. Na Alemanha, o Brasil terminou na quarta posição. Quando o Brasil voltou a ser campeão do mundo, Zagallo estava lá. Foi em 1994, nos Estados Unidos. O Velho Lobo era o coordenador técnico da equipe de Carlos Alberto Parreira.

Quatro anos mais tarde, em 1998, Zagallo foi o técnico no vice-campeonato na Copa do Mundo da França. Ele voltaria a participar de uma campanha do Brasil na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, quando mais uma vez foi coordenador técnico de Parreira.

Chegada da Seleção Brasileira de 1970 no Brasil após o tricampeonato no México. Zagallo e Carlos Alberto Torres Chegada da Seleção Brasileira de 1970 no Brasil após o tricampeonato no México. Zagallo e Carlos Alberto Torres
Créditos: Arquivo Nacional

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports