50 anos do Tri: Everaldo, lateral da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Everaldo, lateral da Seleção Brasileira de 1970

Lateral mais defensivo do time, Everaldo aproveitou oportunidade na estreia para se eternizar na melhor formação de todos os tempos

Everaldo, craque do Grêmio e da Seleção Brasileira Everaldo, craque do Grêmio e da Seleção Brasileira
Créditos: Divulgação

A série "50 anos do Tri" relembra, em crônicas e reportagens, a conquista da Copa do Mundo de 1970 pela Seleção Brasileira. Serão várias publicações ao longo do mês de junho, que marca o aniversário do terceiro título mundial do Brasil. Conheça agora o lateral Everaldo, um dos campeões. Até o aniversário da final da Copa, serão apresentados todos os atletas e o técnico Zagallo, por ordem alfabética.

16. Everaldo

Nome: Everaldo Marques da Silva
Posição: Lateral
Nascimento: 10/09/1944
Cidade natal: Porto Alegre (RS)
Clube: Grêmio

Antes do início da Copa do Mundo de 1970, a maioria da imprensa imaginava que Marco Antônio ocupasse a lateral-esquerda da Seleção Brasileira. Mas uma lesão o afastou dos gramados na estreia do Brasil, contra a Tchecoslováquia, e deu a oportunidade a outro grande jogador da história da Amarelinha: Everaldo.

Com características mais defensivas, o lateral formou a defesa ao lado de Carlos Alberto, Piazza e Brito no primeiro jogo e garantiu sua vaga. Zagallo o manteve como titular em cinco das seis partidas da Seleção na Copa do Mundo, eternizando o gaúcho na escalação mais famosa do futebol mundial.

LEIA MAIS
50 anos do Tri: Carlos Alberto Torres, lateral-direito da Seleção Brasileira de 1970

Único gremista presente na conquista do Tri, Everaldo foi muito festejado em sua volta à Porto Alegre. Impulsionados pelo fato do Internacional, maior rival do clube, não ter nenhum representante na Seleção de 70, os torcedores gremistas saíram às ruas para receber o craque com a gratidão tricolor e brasileira.

Mas as homenagens não pararam por aí. No dia 30 de junho de 1970, o Conselho Deliberativo do Grêmio decidiu perpetuar a figura de Everaldo no maior símbolo do clube: sua bandeira. Em uma sessão solene, foi estabelecido que a bandeira do Grêmio levaria uma estrela dourada sobre o escudo para lembrar a conquista da Copa do Mundo. Na mesma sessão solene, Everaldo ainda recebeu o título de Atleta Laureado, além de duas cadeiras quitadas no Estádio Olímpico.

Quatro anos depois do título mundial, no dia 27 de outubro de 1974, uma tragédia encerrou precocemente de Everaldo. Ele voltava de uma viagem ao interior do Rio Grande do Sul, de carro, quando sofreu um acidente fatal. A partida prematura do nosso ídolo fez o futebol brasileiro chorar, mas as lembranças e as glórias que Everaldo nos deu nunca serão apagadas. Para sempre, brilhará no céu a Estrela Dourada da Seleção de 70.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports