50 anos do Tri: Conheça os jogadores campeões com a Seleção Brasileira

50 anos do Tri: Conheça os jogadores campeões com a Seleção Brasileira

Confira o perfil e as características de todos os 22 campeões da Copa do Mundo de 1970, além do técnico Zagallo

Delegação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970 Delegação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970
Créditos: Acervo CBF

A série "50 anos do Tri" relembra, em crônicas e reportagens, a conquista da Copa do Mundo de 1970 pela Seleção Brasileira. Serão várias publicações ao longo do mês de junho, que marca o aniversário do terceiro título mundial do Brasil.

A Seleção Brasileira que conquistou o título da Copa do Mundo de 1970 era uma verdadeira constelação de estrelas. Com nomes que estão eternamente na história da Canarinho, aquela delegação encantou o mundo com seu talento, jogadas inesquecíveis e um futebol bonito. Ao longo do mês de junho, a CBF reuniu o perfil de cada um dos campeões, contando um pouco sobre a história deles e as características que fizeram a diferença em toda campanha até o título.

Divididos por posição, você pode conferir a seguir todos os textos com o perfil dos campeões publicados em homenagem aos 50 anos do Tri. Além disso, a reverência a Zagallo, que se firmou eternamente como lenda após aquela conquista no México.

Goleiros

O Brasil contou com três grandes goleiros na campanha do Tri. Jogador do Fluminense, Félix era o titular absoluto e fez defesas milagrosas na campanha. No banco de reservas, Leão, do Palmeiras, e Ado, do Corinthians, completavam o trio de arqueiros que foram ao México.

50 anos do Tri: Ado, goleiro da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Félix, goleiro da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Leão, goleiro da Seleção Brasileira de 1970

Félix Félix
Créditos: Divulgação

Laterais

O Brasil tinha quatro laterais de origem na Copa de 1970. Capitão e ícone daquela conquista, Carlos Alberto Torres é marcado por sua liderança única e jogava no Santos. Com ele estavam Everaldo, peça importante durante a caminhada, titular em cinco jogos e que era do Grêmio, Zé Maria, da Portuguesa de Desportos, e Marco Antônio, do Fluminense, que atuou contra o Peru na semifinal.

50 anos do Tri: Carlos Alberto Torres, lateral-direito da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Everaldo, lateral da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Zé Maria, lateral da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Marco Antônio, lateral da Seleção Brasileira de 1970

Carlos Alberto Torres com a Taça em 1970 Carlos Alberto Torres com a Taça em 1970
Créditos: Arquivo Nacional Fundo Correio da Manhã

Zagueiros

Titular em todas as partidas da Copa do Mundo, Brito era jogador do Flamengo e conhecido por sua força inigualável. O zagueiro Fontana, do Cruzeiro, jogou contra a Romênia na última rodada da fase de grupos. Quem completava o quarteto da zaga eram Joel Camargo, do Santos, e Baldocchi, do Palmeiras.

50 anos do Tri: Joel, zagueiro da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Baldocchi, zagueiro da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Brito, zagueiro da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Fontana, zagueiro da Seleção Brasileira de 1970

Wilson Piazza, campeão do mundo em 1970 Wilson Piazza, campeão do mundo em 1970
Créditos: CBF

Meio-campistas

Todos os meio-campistas convocados por Zagallo para a competição tiveram extrema importância para a Seleção em 1970. Piazza, apesar de ser meia, jogou na zaga ao lado de Brito e fez uma dupla inesquecível. O versátil jogador também poderia ser improvisado em outras funções e era do Cruzeiro, assim como o craque Tostão. Pelé e Clodoaldo, ambos do Santos, foram titulares em todas as partidas. Para completar, os igualmente fundamentais Gérson, do São Paulo, e Rivellino, do Corinthians.

50 anos do Tri: Piazza, meia da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Pelé, meia da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Clodoaldo, meia da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Gérson, meia da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Rivellino, meia da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Tostão, meia da Seleção Brasileira de 1970

Pelé é abraçado por companheiros após gol de Carlos Alberto na final da Copa do Mundo de 1970 Pelé é abraçado por companheiros após gol de Carlos Alberto na final da Copa do Mundo de 1970
Créditos: FIFA/Reprodução

Atacantes

Artilheiro da Copa e o único a marcar em todos os jogos daquele ano, Jairzinho liderava os atacantes daquela equipe. Companheiros dele no Botafogo, Roberto Miranda e Paulo Cézar Caju também fizeram parte da campanha e foram importantes no ataque nas partidas em que estiveram em campo. Edu, ex-Santos e que entrou contra a Romênia, e Dario, do Atlético-MG, eram as outras opções.

50 anos do Tri: Dario, atacante da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Edu, atacante da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Jairzinho, atacante da Seleção Brasileira de 1970

50 anos do Tri: Paulo Cézar Caju, atacante da Seleção Brasileira 1970

50 anos do Tri: Roberto Miranda, atacante da Seleção Brasileira 1970

Jairzinho comemora gol na final da Copa do Mundo de 1970 Jairzinho comemora gol na final da Copa do Mundo de 1970
Créditos: Reprodução/FIFA

Zagallo

Mario Jorge Lobo Zagallo dispensa apresentações. Único a ser tetracampeão da Copa do Mundo, levantando taças como jogador, treinador ou assistente nos anos 1958, 1962, 1970 e 1994, O Velho Lobo se consagrou como lenda no ano do Tri. Pensar em Seleção Brasileira é pensar em Zagallo, e vice-versa. Comandante de uma campanha brilhante, contamos mais sobre o técnico e sua importância para o título.

50 anos do Tri: Em 1970, o campeão Zagallo se transformou em lenda

Chegada da Seleção Brasileira de 1970 no Brasil após o tricampeonato no México. Zagallo e Carlos Alberto Torres Chegada da Seleção Brasileira de 1970 no Brasil após o tricampeonato no México. Zagallo e Carlos Alberto Torres
Créditos: Arquivo Nacional

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports