50 anos do Tri: Como os jornais contaram a trajetória da Seleção na Copa do Mundo de 1970

50 anos do Tri: Como os jornais contaram a trajetória da Seleção na Copa do Mundo de 1970

Os jornais brasileiros contaram a história do Tri através do olhar de seus enviados especiais ao México; veja o que falaram a cada partida

Jornal O Globo chama final da Copa do Mundo de 1970 de "jogo do século" Jornal O Globo chama final da Copa do Mundo de 1970 de "jogo do século"
Créditos: Acervo O Globo

A série "50 anos do Tri" relembra, em crônicas e reportagens, a conquista da Copa do Mundo de 1970 pela Seleção Brasileira. Serão várias publicações ao longo do mês de junho, que marca o aniversário do terceiro título mundial do Brasil.

A trajetória da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970 foi contada pelos jornais do Brasil de diversas formas. Pelo ponto de vista de jornalistas que estavam no México e de colunas escritas por aqui, os veículos transmitiram os acontecimentos da competição, análises, fotos históricas e expectativas. Ao longo do mês de junho, o site da CBF analisou as publicações de edições do Jornal O Globo, Correio da Manhã, Folha de São Paulo e Jornal dos Sports para mostrar como eram as notícias do Mundial.

A seguir, você pode conferir um pouco do que foi mostrado ao longo dos textos publicados sobre cada uma das seis partidas até o grande título no dia 21 de junho de 1970. As matérias estão divididas por jogos, com o antes e depois dos jornais em cada um dos confrontos.

Brasil 4x1 Tchecoslováquia

Os jornais que falavam sobre a estreia brasileira na Copa ainda não eram otimistas. As análises iniciais, antes da bola rolar, ressaltavam a dificuldade do grupo do Brasil, que tinha Tchecoslováquia, Inglaterra e Romênia, e o que a Seleção podia encontrar pela frente. Também estava em destaque a primeira transmissão ao vivo de um jogo de Copa do Mundo.

A véspera/o jogo: 50 anos do Tri: Brasil larga com vitória sobre a Tchecoslováquia na Copa

Brasil 1x0 Inglaterra

Antes da partida contra a Inglaterra, os jornais já começavam a mudar o discurso sobre a Seleção. A vitória na estreia animava, mas o adversário difícil pela frente manteve os pés no chão. O maior desafio da fase de grupos seria contra os ingleses, campeões em 1966. Havia a dúvida pela escalação ou não de Gérson, que acabou não entrando em campo. Após a partida, os veículos exaltaram Jairzinho e o quanto a vitória era importante historicamente. Por último, Tim Vickery fez uma análise do duelo e seu impacto.

A véspera: 50 anos do Tri: Brasil x Inglaterra foi encarado como "final" da Seleção na Copa do Mundo de 1970

O jogo: 50 anos do Tri: Brasil supera a Inglaterra em jogo épico na Copa do Mundo de 1970

Análise: 50 anos do Tri: Tim Vickery relembra duelo entre Brasil e Inglaterra

Brasil 3x2 Romênia

A partida contra a Romênia trazia muitas dúvidas aos jornais. Praticamente classificado para as quartas-de-finais, o Brasil deixava a escalação em aberto por conta dos desfalques de Gérson e Rivellino. As confusões pelas apostas, inclusive, deixaram Pelé irritado pelas afirmações de que ele seria poupando. Sem a confirmação de Zagallo, os veículos faziam suas apostas. Graças ao duelo difícil contra os romenos, a imprensa foi crítica e classificou como o pior desempenho até então. Os destaques positivos foram para Paulo Cézar e Clodoaldo.

A véspera: 50 anos do Tri: Dúvidas sobre escalação movimentaram Brasil x Romênia

O jogo: 50 anos do Tri: Brasil bate a Romênia e fecha fase de grupos com três vitórias

Brasil 4x2 Peru

A véspera do duelo contra o Peru foi de alívio pela volta de Gérson e Rivellino. Fora por lesão no último jogo, ambos estavam prontos para retornar. A dúvida ficava por conta da escalação de Everaldo ou Marco Antônio. O reencontro entre Zagallo e Didi, companheiro do Velho Lobo na Seleção Brasileira de 1958 e 1962, também foi comentado. Depois da vitória, a celebração grande da imprensa e a expectativa para o confronto contra o Uruguai eram mostrados nos jornais.

A véspera: 50 anos do Tri: Brasil x Peru foi marcado por retornos de Gérson e Rivellino

O jogo: 50 anos do Tri: Tostão brilha e Brasil supera o Peru na quartas

Brasil 3x1 Uruguai

Como já era esperado, os jornais tinham expectativa alta pela reedição da final da Copa do Mundo de 1950. Após o Maracanazo, os brasileiros relembravam o traumático jogo e falavam sobre como o Brasil poderia fazer diferente. O embate era tratado como uma revanche e assim foi falado também após a partida, principalmente depois da declaração do técnico Juan Hohberg de que os uruguaios já estavam garantidos na decisão.

A véspera: 50 anos do Tri: Lembranças de 1950 dominaram jornais antes e depois de Brasil x Uruguai

O jogo: 50 anos do Tri: Brasil derrota o Uruguai e está na final da Copa do Mundo de 1970

Brasil 4x1 Itália

Euforia completa. Esse era o clima dos jornais brasileiros e das ruas do país após o Tri. Se antes da final o otimismo já era grande, depois isso se confirmou em um desempenho memorável. A "batalha dos campeões", já que cada seleção tinha dois títulos, era o destaque da véspera do duelo. Depois da partida, edições especiais exaltando a campanha, os campeões, o técnico Zagallo e o carnaval fora de época em todas as cidades foram publicadas por todos os veículos.

A véspera/jogo:  50 anos do Tri: Jornais enaltecem jogo bonito do Brasil campeão da Copa do Mundo de 70

O jogo: 50 anos do Tri: Brasil vence Itália na final e é campeão da Copa do Mundo FIFA de 1970

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports