Tayla: retorno à Seleção e melhor zagueira do Paulistão

Tayla: retorno à Seleção e melhor zagueira do Paulistão

Em 2016, Tayla teve uma grave lesão. A zagueira foi cortada do grupo que se preparava para a Olimpíada. Recuperada e 100%, 2018 marcou o retorno à Seleção

A última convocação do ano da Seleção Principal Feminina tem um gostinho especial para a zagueira Tayla. Em 2016, ela se preparava para a Olimpíada Rio 2016, mas teve o sonho foi interrompido, com uma lesão no tendão de Aquiles, durante uma partida do seu time, o Iranduba, pelo Brasileirão Feminino. Afastada do futebol por quase dois anos,  ela só conseguiu retornar ao seu 100% nesta temporada. Em agosto, veio a primeira convocação para Seleção para disputar o Torneio das Nações, nos EUA. Chegou a ser titular em um dos jogos e, desde então, já figurou em mais duas listas de Vadão. 

- Fiquei bem frustrada, porque era um ano de Olimpíada, eu estava dois anos com o grupo na Seleção permanente. Foi difícil, eu fiquei muito chateada porque foi uma lesão que não é muito comum, então, fiquei muito preocupada porque não sabia se ia poder voltar ao alto nível - lembra Tayla. 

Se não bastasse a lesão, Tayla teve uma perda muito significativa. Em 2017, sua avó Alice, considera uma mãe por ela, faleceu neste período vítima de um AVC. A perda aconteceu logo assim que foi contratada pelo Santos para retornar ao futebol, onze meses após a lesão. 

- A minha recuperação foi difícil, aconteceram várias coisas. Emocionalmente eu estava bem abalada, perdi minha avó logo na minha volta ao futebol. Minha recuperação demorou uns 11 meses, e ainda voltei com muita sequela.  Só me dei conta que eu poderia voltar em alto nível, no meu décimo quinto mês, quando ainda era reserva. Esperei o ano todo e, em 2018, veio a oportunidade de ser titular - conta a zagueira. 

Como titular neste ano pelo Santos, Tayla ajudou a equipe a ser campeã do Campeonato Paulista e foi eleita a melhor zagueira da competição. No Brasileiro A-1, chegou até as quartas de final com as Sereias da Ilha, mas foram eliminadas, nos pênaltis, pela Ferroviária.  

- Eu fiquei muito tempo parada, quase dois anos devido a lesão, esse ano eu consegui a titularidade no Santos, consegui uma boa sequência no Campeonato Paulista e, consequentemente, vieram as convocações. Então, eu estou muito feliz, essa foi a minha terceira convocação no ano, e espero continuar - revelou, Tayla, zagueira da Seleção Brasileira. 

Na tarde desta quinta-feira (8), a Seleção Feminina Principal realizou o primeiro treino em Nice, na França, visando o amistoso contra as Seleção francesa no sábado (10). Com o grupo completo, o técnico Vadão juntamente com seus auxiliares, Fabrício Maia, Vaguinho dos Santos e Bia Vaz, comandou um treino de velocidade e um coletivo. A partida está marcada para 21h (18h de Brasília), na Allianz Riviera, e é o último compromisso da equipe no ano.

- A França é um time muito rápido, muito forte. Nós temos que estar acostumadas a esse tipo de jogada, tem que pensar antes da adversária. Então, o treino foi mais para induzir a gente a pensar e fazer uma leitura mais rápido que a adversária para que possamos neutralizar as jogadas delas - finalizou Tayla. 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira