Tayla celebra a equidade de diárias e premiações entre as Seleções Brasileiras

Tayla celebra a equidade de diárias e premiações entre as Seleções Brasileiras

Defensora estava presente na convocação, durante o Torneio Internacional da França, em março deste ano, que marcou a decisão histórica tomada pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo

Novo Protocolo - Adaptações na Granja Comary Novo Protocolo - Adaptações na Granja Comary
Créditos: Thais Magalhães/CBF

O anúncio da equidade de diárias e premiações entre as Seleções Brasileiras não era uma novidade para a zagueira Tayla. A defensora estava presente na convocação, durante o Torneio Internacional da França, em março deste ano, que marcou a decisão histórica tomada pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo.

Aos 28 anos, Tayla, assim com as atletas da Seleção Feminina, vivem um momento único, que ao longo da carreira acreditaram que seria uma realidade distante. Além do anúncio da equidade de diárias e premiações, o momento foi engrandecido pela chegada das duas novas coordenadoras da CBF, Duda Luizelli e Aline Pellegrino.

"Essas notícias foram maravilhosas, eu fiquei muito emocionada! Foi um dia tão especial que ver a minha convocação se tornou algo secundário. Fiquei muito mais contente em ter a Aline e a Duda na CBF, que são pessoas maravilhosas e muito competentes. Elas respiram futebol feminino e sabem como é ser atleta. Sobre a equiparação das diárias e premiações, estamos muito contentes! É algo muito positivo, é o momento do futebol feminino e não podemos parar. Eu gosto muito do presidente Rogério Caboclo, ele tem boas intenções com o futebol feminino e essa ação só demonstra isso", ressalta.

 

A nova fase da Seleção Feminina será celebrada na primeira convocação, após seis meses sem trabalhos presenciais. Nos próximos dez dias, a Granja Comary volta a receber a equipe brasileira. Entre os dias 14 a 22 de setembro, a técnica Pia Sundhage terá a oportunidade de retomar a preparação para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 (adiados para 2021). Com atletas que atuam no Brasil, devido as restrições de viagens internacionais, a equipe é composta por uma mescla de jogadoras experientes e jovens.

De volta ao Brasil, após uma temporada no Benfica, em Portugal, Tayla é uma das atletas que reforçaram, nesta edição, o Brasileirão Feminino A-1. Além da capitã do Santos, as meias Andressinha, do Corinthians, e Camilinha, do Palmeiras, além de Chú, da Ferroviária, também foram "repatriadas" e fazem da edição de 2020, considerada a melhor da história da competição.

"Eu estou muito feliz fazendo essa temporada aqui no Brasil, porque eu tive a oportunidade de conhecer muitas atletas jovens e talentosas. Acredito que a Pia também esteja feliz com essa oportunidade de observar todo mundo. Estou muito feliz com as meninas do meu clube (Santos), a Tainara e a Fernanda Palermo, por também terem sido convocadas. Tenho certeza que iremos aproveitar o tempo da melhor maneira possível", destaca.

 

Esta convocação substitui a Data FIFA de setembro, reservada para jogos preparatórios. A CBF, com o intuito de seguir a preparação da Seleção Feminina para a Olimpíada, e em concordância com os clubes, irá paralisar o calendário do Campeonato Brasileiro Feminino A-1. Veterana na equipe, Tayla celebrou o período de treinamentos, que segunda ela, é uma oportunidade da técnica Pia Sundhage implementar o seu estilo de jogo.

"Eu não vejo a falta de jogos como um ponto negativo, por mais que a gente queira estar sempre competindo. Eu acho que contando com tudo que aconteceu, essa paralisação, eu acho que na minha opinião é mais interessante neste momento um treinamento a Pia dar oportunidade para outras atletas pra gente amadurecer como equipe", ressalta. 

 

 

 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports