Seleção Feminina quebra recordes e tem maior comoção do Brasil em uma Copa do Mundo

Seleção Feminina quebra recordes e tem maior comoção do Brasil em uma Copa do Mundo

Seleção Feminina foi eliminada nas oitavas de final, mas campanha no Mundial foi histórica, seja pelos números individuais ou pelo apoio da torcida no Brasil

Brasil x Austrália, Copa do Mundo Feminina 2019

Créditos: Assessoria / CBF

A campanha da Seleção Brasileira acabou antes do sonho do inédito título. Nas oitavas de final, a equipe se despediu da competição, ao ser superada por 2 a 1, na prorrogação, pela França. A derrota representou o fim da campanha na Copa do Mundo 2019, mas não tirou o brilho de uma trajetória cheia de superação, luta e brilhantismo das jogadoras brasileiras que ,ao final, quebraram recordes e encantaram o torcedor brasileiro.

Foram feitos tão grandes que valem a pena ser lembrados e celebrados. As Guerreiras do Brasil foram gigantes e estão marcadas na história das Copas do Mundo.

Recorde de audiência

Uma Copa do Mundo é feito pelo empenho das jogadoras em campo, mas também do apoio dos torcedores. E no Brasil, o povo abraçou mais uma vez a Seleção Feminina. Prova desse apoio foi a incrível audiência na televisão dos jogos das Guerreiras do Brasil.

A partida das oitavas de final entre Brasil e França obteve a maior audiência da história da Copa do Mundo Feminina. Foram 35.245 milhões de espectadores acompanhando o jogo, somando as transmissões de Globo, Band e SporTV. 

O recorde anterior aconteceu na final entre Estados Unidos e Japão, no Mundial de 2015, quando 25,6 milhões de espectadores acompanharam a decisão. 

Seleção Feminina quebra recordes e enche brasileiros de orgulho Seleção Feminina quebra recordes e enche brasileiros de orgulho
Créditos: CBF

Recepção calorosa


Uma das cenas mais bonitas dessa Copa do Mundo aconteceu no Brasil. Na terça-feira (25), milhares de torcedores se reuniram para recepcionar a Seleção Brasileira no desembarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Nem mesmo a chegada das jogadoras na madrugada afastou o grupo de fãs que receberam as Guerreiras do Brasil com muito carinho. 

 

17x Marta

Rainha do futebol, Marta fez história mais uma vez. Com 17º gol marcado na partida diante da Itália, a camisa 10 do Brasil se tornou a maior artilheira da história da Copa do Mundo, entre homens e mulheres. A meia-atacante superou o alemão Miroslav Klose na disputa masculina, ao somar um gol a mais. 

No início da Copa do Mundo, Marta tinha o mesmo número de gols de Ronaldo, com 15 no total. Ao balançar as redes em duas oportunidades, uma diante da Austrália e outra na partida com a Itália, a Rainha superou o feito dos dois atacantes e se isolou na artilheira em Mundiais.

Marta e os 17 gols em Copas do Mundo Marta e os 17 gols em Copas do Mundo
Créditos: CBF

Formiga e as 7 Copas do Mundo 

Ninguém até hoje alcançou o feito de Formiga em uma Copa do Mundo. Aos 41 anos, a volante é a única atleta, entre homens e mulheres, a ter disputado sete edições de um Mundial. A dona da camisa 8 do Brasil também é reconhecida por outro feito, é a jogadora mais velha a entrar em campo em uma edição da Copa do Mundo Feminina. 

Na França, Formiga atuou em três partidas e foi peça fundamental no meio-campo do Brasil. No jogo diante da donas da casa, a volante escreveu seu último capítulo na história dos Mundiais. Obrigada, Formiga!

Formiga e as 7 Copas do Mundo Formiga e as 7 Copas do Mundo
Créditos: CBF

Cr3stiane e o hat-trick 

Na partida diante da Jamaica, Cristiane balançou a rede três vezes. Os gols além de representarem a vitória do Brasil na estreia da competição, fizeram da atacante do Brasil a jogadora mais velha da história (34 anos e 25 dias) a conseguir três gols em uma Copa do Mundo - entre homens e mulheres -, superando, Cristiano Ronaldo (33 anos e 130 dias).

Na campanha da Copa do Mundo, a camisa 11 marcou quatro vezes e chegou a onze gols em Mundiais. Cristiane é a vice-artilharia do Brasil em Mundiais femininos.

Cr3stiane e o hat-trick Cr3stiane e o hat-trick
Créditos: CBF

Samba do "fundão"


Se teve um ritual que seguiu as Guerreiras do Brasil ao longo da Copa do Mundo foi o samba do "fundão do ônibus". Com Marta no cavaquinho, Mônica no pandeiro, Érika e Cristiane na percussão e todas as jogadoras na voz, a equipe fazia o esquenta para os jogos já no trajeto para o estádio. O hino da Seleção Brasileira foi "Jogadeira", música de Cacau e Gabi Kivitz. 

 

 

 

 

 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NikeItaúVIVOGuaraná AntárticaMastercardGOLGrupo CIMEDSEMP TCLFIATUltrafarmaEnglish LiveTechnogymStatsports3 Corações