Após goleada sobre o Equador, Pia Sundhage faz balanço do ano da Seleção Feminina

Após goleada sobre o Equador, Pia Sundhage faz balanço do ano da Seleção Feminina

Em coletiva de imprensa, técnica sueca elogiou a atuação das atletas brasileiras na goleada por 8 a 0 sobre o Equador. Este foi o último compromisso da Seleção em 2020.

Brasil x Equador - Jogo preparatório da Seleção Feminina Principal no Morumbi - 01/12/2020. Pia Sundhage Brasil x Equador - Jogo preparatório da Seleção Feminina Principal no Morumbi - 01/12/2020. Pia Sundhage
Créditos: Mariana Sá / CBF

O Morumbi foi palco de mais um show de futebol por parte da Seleção Feminina Principal. Na noite desta terça-feira (1º), no último compromisso do ano, a equipe de Pia Sundhage goleou o Equador por 8 a 0 em jogo preparatório no Morumbi, em São Paulo. Em entrevista coletiva após o duelo, a técnica sueca elogiou o desempenho da equipe na partida.

"Eu acho que o primeiro tempo foi muito bom e o fato de termos começado bem significa muito para as jogadoras. Se você analisar os últimos dois jogos, vai achar que este primeiro tempo foi bem melhor. A velocidade do jogo, realmente, foi um pouco melhor comparada aos primeiros duelos. Mas não é só isso, a forma como marcamos os gols também. É muito importante sabermos fazer gols de formas diferentes. Mas eu quero que elas aumentam a velocidade ainda mais", apontou. 

Com um primeiro tempo dominado por marcação alta e forte pressão, o ataque do Brasil sobressaiu. Não à toa que o primeiro gol veio ainda no minuto inicial da partida de letra da atacante Debinha. Pia destacou o desempenho da equipe e ressaltou que a Seleção mantenha a agressividade de jogo do início ao fim da partida algo, que segundo ela, não aconteceu no segundo encontro com o Equador. 

Brasil x Equador - Jogo preparatório da Seleção Feminina Principal no Morumbi - 01/12/2020. Pia Sundhage Brasil x Equador - Jogo preparatório da Seleção Feminina Principal no Morumbi - 01/12/2020. Pia Sundhage
Créditos: Mariana Sá / CBF

"Nós começamos o jogo com muita pressão, uma de nossas forças nesse confronto foi que mantivemos a maior posse de bola com um time bem compactado, possibilitando um jogo mais rápido. No segundo tempo, tentamos mudar, optamos por uma pressão mais baixa, mas acho que não nos saímos tão bem. Precisamos ser agressivas o tempo todo, independente se estamos fazendo muita ou pouca pressão. E isso vai ser um dos nossos objetivos para trabalhar no futuro, porque precisamos ser capazes de jogar o duelo inteiro sem ficarmos cansadas. Por isso também é tão importante saber defender de diferentes formas. Ainda teremos mais alguns encontros preparatórios para trabalhar isso e espero que a gente saia melhor nas próximas vezes", explicou.

Com a segunda vitória sobre o Equador, no Morumbi, a Seleção Brasileira Feminina encerra o calendário de 2020. Ao longo do ano, a equipe de Pia Sundhage esteve reunida em quatro oportunidades, sendo duas para jogos preparatórios e para dois períodos de treinos. Para a sueca, apesar dos acontecimentos atípicos, devido a pandemia de Covid-19, esta foi uma temporada de bons aproveitamos e aprendizados.

"Cada jogo diz algo e ensina algo no qual temos que trabalhar. Então, eu adoraria ver a continuidade dos trabalhos. Acho que já achamos a base do nosso elenco e a ideia principal de jogo. Também acredito que agora as jogadoras estão mais confortáveis e já conseguem entender o que eu e a comissão esperamos delas na Seleção Brasileira. Agora temos o recesso, mas vamos manter o contato com as jogadoras e os técnicos. O ano não foi fácil para ninguém, mas acho que funcionou. A ideia é estarmos todas juntas na mesma página", explicou.

Técnica Pia Sundhage no reencontro de Brasil x Equador, no Morumbi, em jogo preparatório para as Olimpíadas de Tóquio (adiadas para 2021) Técnica Pia Sundhage momentos antes do reencontro de Brasil x Equador, no Morumbi, em jogo preparatório para as Olimpíadas de Tóquio (adiadas para 2021)
Créditos: Mariana Sá/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NIKE GUARANÁ ANTÁRTICA VIVO ITAÚ MASTERCARD GOL CIMED SEMP TCL FIAT PAGUE MENOS 3 CORAÇÕES TECHNOGYM STAT SPORTS