Na estreia com a Seleção Feminina, Valéria destaca momento especial na carreira

Na estreia com a Seleção Feminina, Valéria destaca momento especial na carreira

Com passagem pela Seleção Sub-20, Valéria disputou o Sul-Americano e o Mundial da categoria, com Pia Sundhage, vive primeira experiência de atuar na equipe principal.

Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria
Créditos: Mariana Sá / CBF

A noite da última sexta-feira (27) foi especial para a meia Valéria. Na estreia com a Seleção Feminina Principal, a piauense deixou o dia ainda mais especial ao marcar o primeiro gol com a Amarelinha. O tento foi o terceiro na vitória por 6 a 0 sobre o Equador, na Neo Química Arena, em São Paulo.

Com passagem pela Seleção Sub-20, Valéria disputou o Sul-Americano e o Mundial da categoria. A meia chegou a ser convocada em uma oportunidade pelo técnico Vadão para período de treinos, mas foi com Pia Sundhage que veio a primeira oportunidade em jogos internacionais. Com a técnica sueca, participou da última convocação em Portugal, no último mês, e agora vive a emoção de estar presente em duelos preparatórios.

"A Pia passa muita confiança pra gente desde o início da convocação. Então, isso é importante, traz uma leveza pra gente e levamos isso para os jogos. Por mais que tenha sido a nossa estreia, eu acho que essa confiança que ela passa é muito bom. Entramos em campo e mostramos o que a gente sabemos fazer, que é jogar futebol", destaca.

Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria
Créditos: Mariana Sá / CBF

No futebol brasileiro, Valéria coleciona passagens pelo Tiradentes-PI e pelo São Paulo. No Tricolor Paulista, a meia se destacou e ganhou notoriedade no cenário nacional. Em 2019, fez parte da Seleção do Campeonato Paulista. Nesta temporada, está na primeira experiência no futebol internacional, no Madrid CFF, da Liga Espanhola. Aos 22 anos, destaca que vive um dos momentos mais especiais da carreira. 

"Eu acho que a melhor fase da Valéria chegou! Ano passado tive uma boa fase no São Paulo e, agora, sou uma das artilheiras do meu time na Liga Espanhola. Estou na minha segunda convocação com a Pia, agora fui convocada para jogos e pude aproveitar a oportunidade que ela me deu fazendo um gol. Com certeza está sendo a melhor fase sim da minha carreira até aqui", ressalta.

 

Perguntada sobre a exigência física no futebol europeu e na Seleção Feminina, Valéria destacou a alta intensidade dos treinos da técnica Pia Sundhage. Para a meia, a experiência internacional fez com que a adaptação ao estilo de jogo da comissão técnica fosse mais rápida. 

"Quando eu cheguei na Europa foi um pouco difícil para poder me adaptar, mas isso aconteceu em um/dois meses eu já estava bem adaptada. As meninas do meu time também me acolheram muito bem, então eu tive um entrosamento rápido e pude me adaptar ao estilo de jogo delas. Quando eu fui convocada para a Seleção, na minha primeira convocação com a Pia quando ela passou o treino eu já me identifiquei com o ritmo de jogo, que é o mesmo da Europa, é mais rápido e isso facilitou pra mim aqui na Seleção", conta.

Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria Brasil x Equador - Jogos preparatórios da Seleção Brasileira Feminina Principal - 27/11/2020. Valéria
Créditos: Mariana Sá / CBF

Confira outras respostas de Valéria na coletiva de imprensa:

- Como está sendo a experiência na Seleção Feminina?

"O nervosismo bate mesmo, mas a confiança que a Pia passa é muito importante. O acolhimento do grupo inteiro, da Pia e da Lilie e de toda comissão. As atletas acolheram a gente também e quando entramos dentro de campo o que queremos é dar o nosso melhor, mostrar porque a gente veio e fazer gols. Quero continuar trabalhando, manter o foco para que a gente possa vencer o segundo jogo também"".

- Você ficou muito emocionada na estreia e dedicou o gol a sua família. Como é a sua relação com elas?

"Quando se trata de família mexe muito comigo e os meus sentimentos, porque sou do interior do Piauí, passei por muitas dificuldades. Minha irmã teve a carreira interrompida no futebol e lutamos muito para ela poder estar aqui comigo hoje. Eu falei pra ela que eu ia realizar esse sonho por nós, não só por mim, mas pela minha família inteira. Conversei com eles ontem mesmo depois da partida lá no vestiário, já fiz uma chamada de vídeo para que eles pudessem sentir esse sentimento comigo também e esse gol foi para eles!"

- O que representa vestir a camisa da Seleção Brasileira?

"É sempre uma honra estar vestindo essa Amarelinha e estar ao lado de grandes craques, Andressa, Formiga, Marta, a melhor do mundo 6 vezes. É de arrepiar, o nervosismo bate quando a gente chega ao lado delas, mas elas deixam a gente a vontade e isso faz com que a gente se sinta bem aqui dentro. Então é continuar trabalhando e desfrutar dos momentos que estou tendo aqui com elas, poder pegar o melhor que elas podem passar pra gente e bola pra frente, trabalhar, que as coisas vão acontecer e vamos trazer esse ouro".

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NIKE GUARANÁ ANTÁRTICA VIVO ITAÚ MASTERCARD GOL CIMED SEMP TCL FIAT PAGUE MENOS 3 CORAÇÕES TECHNOGYM STAT SPORTS