Pia avalia importância de enfrentar a Dinamarca e a Suécia antes da disputa da Copa América

Pia avalia importância de enfrentar a Dinamarca e a Suécia antes da disputa da Copa América

Seleção Feminina enfrenta a Dinamarca nesta sexta-feira (24), às 14h (de Brasília). Na terça-feira (28), às 13h30, a Canarinho encara a Suécia.

Primeiro treino da Seleção Feminina em Copenhagen. Pia Sundhage. Pia Sundhage Pia comanda treino antes do confronto contra a Dinamarca
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Em Copenhague, a Seleção Feminina Principal fez seu último treino antes de enfrentar a Dinamarca, nesta sexta-feira (24), às 14h (de Brasília). Ainda buscando pela equipe titular ideal, a treinadora Pia Sundhage espera definir alguns pontos antes do início da CONMEBOL Copa América Feminina Colômbia 2022, no dia 8 julho.

Antes do confronto desta sexta-feira, a comandante da Canarinho ressaltou, em entrevista coletiva, a importância de enfrentar adversários de alto nível, ainda que estes sejam diferentes das equipes da América do Sul. 

"Acredito que esses dois jogos serão muito importantes para nós. Buscamos algumas respostas, queremos saber se estamos bem o suficiente na defesa e no ataque, principalmente marcando gols. A Dinamarca e a Suécia são equipes bem diferentes das que enfrentaremos na América do Sul, mas esses amistosos são sobre competição, velocidade de jogo, situações de um contra um. Então, se formos bem nas situações novas que treinamos, servirá para ganharmos confiança", analisou a treinadora.

Pia também avaliou o estilo de jogo da seleção dinamarquesa. Para ela, a principal arma adversária está no lado esquerdo com atletas de pesa como Pernille Harder, atacante do Chelsea. Para o confronto, a ideia da técnica é se adaptar às situações diferentes de jogo. 

"Não sabemos se elas jogarão com três ou quatro atletas no setor defensivo. A Dinamarca tem um lado esquerdo que é realmente muito bom. Temos que preparar o time para enfrentar um adversário assim. A chave para fazermos uma boa partida é estarmos compactas. Falamos sobre compactação, mas também sobre balanço e precisamos ter certeza de que teremos um bom balanceamento na defesa e que nos movimentaremos em busca da bola. Se ganharmos a posse com a pressão alta, o meio-campo delas vai ceder e, dessa forma, criaremos chances entre as linhas. Depende de quem ficar com a bola, mas não formos bem sucedidas na pressão alta, será um outro tipo de jogo. Se elas forem bem sucedidas, teremos que ter coragem para jogar ainda na defesa. Temos que estar preparadas para todos os tipos de cenários, por isso é tão importante jogarmos contra diferentes equipes e, principalmente, as de alto nível. Será um bom desafio para nós", pontuou.

Primeiro treino da Seleção Feminina em Copenhagen. Pia Sundhage Pia Sundhage está na Dinamarca com a Seleção Feminina Principal
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Para os compromissos futuros, Pia quer aproveitar as oportunidades para encontrar a escalação ideal para a disputa da CONMEBOL Copa América Feminina.

"Quando se trata da escalação inicial, eu gostaria de achar uma ideia próxima das titulares para estarmos mais conectadas. Acho que temos uma razão para não estarmos marcando gols o suficiente, e uma delas é que precisamos atuar do mesmo jeito e com jogadoras que tenham características similares para que elas se conheçam melhor. No momento, estamos tentando encontrar um onze inicial, então, é claro que estamos fazendo algumas modificações. Se acharmos a equipe ideal, também contaremos com atletas no banco de reservas que poderão fazer a diferença. A cada jogo tentaremos colocar em prática algumas coisas novas e, se conseguirmos achar essas titulares, confio que faremos mais gols", concluiu.

Último treino da Seleção Feminina antes do amistoso contra a Dinamarca em Copenhage Último treino da Seleção Feminina antes do amistoso contra a Dinamarca em Copenhage
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

 

 

PATROCINADORES

Sel Feminina Patrocinador - Notícias