Brasil domina Suécia, mas perde nos pênaltis

Brasil domina Suécia, mas perde nos pênaltis

Após o empate sem gols nos 120 minutos, Seleção Brasileira é derrotada por 4 a 3 nas cobranças e disputam o bronze na sexta-feira (19)

Brasil perde nos pênaltis para a Suécia e vai decidir o bronze na Rio 2016

Créditos: Ricardo Stuckert/CBF

A Seleção Brasileira Feminina vai disputar o bronze na Rio 2016. Após pressionar a Suécia durante os 120 minutos, o Brasil não conseguiu furar a retranca da Suécia e acabou sendo derrotado nos pênaltis, por 4 a 3, nesta terça-feira (16), no Maracanã. Com a derrota na semifinal, as meninas vão em busca da terceira colocação na próxima sexta-feira (19). A adversária virá do duelo entre Alemanha e Canadá, que se enfrentam nesta terça-feira, às 16h.

O JOGO

Sem deixar a Suécia respirar, a Seleção Brasileira iniciou a partida pressionando no campo de ataque. Em ritmo intenso, o Brasil explorava as jogadas pelas pontas para tentar furar o bloqueio defensivo. Recuada, a Suécia chegou com perigo, aos 8 minutos, em lançamento longo de Fischer, mas Schelin finalizou sem direção. Mordendo a saída de bola, as meninas brasileiras mantiveram o domínio territorial. Aos 16 minutos, após chute de Thaisa e rebote da zaga, Débora arriscou de primeira, de fora da área, e assustou. Com paciência para furar a retranca sueca, a Seleção Brasileira passou a valorizar a posse de bola para encontrar espaços e, aos 22 minutos, Tamires levantou na cabeça de Débora, mas a goleira Lindahl salvou para escanteio. Incansável, Marta levou vantagem para cima das defensoras e quase marcou em duas oportunidades. Aos 26, a camisa 10 cobrou escanteio fechado e só não fez olímpico, devido ao toque sutil da zagueira. No minuto seguinte, a capitã cortou a marcação e, de bico, mandou cruzado, mas a bola passou com perigo.

Superior durante todo o primeiro tempo, com mais finalizações (15 a 2) e maior posse de bola (71% contra 29%), o Brasil continuou buscando o gol na segunda etapa. Aos 6 minutos, Beatriz emendou um belo chapéu na adversária e finalizou ao lado do gol, levantando a torcida que compareceu em peso no Maracanã. Aos 29 minutos, após a Suécia assustar em cobrança de falta, a Seleção respondeu com a velocidade de Marta. A camisa 10 arrancou do meio de campo, invadiu a área, cortou a marcação e chutou firme para boa defesa Lindahl. Aumentando o ritmo, as meninas brasileiras voltaram a pressionar na reta final, mas esbarraram na retranca sueca e o jogo foi para a prorrogação.

Assim como nas quartas de final, as duas equipes enfrentaram mais uma prorrogação na Rio 2016. Após um primeiro tempo equilibrado com poucas chances claras de gol, o Brasil voltou a pressionar nos últimos quinze minutos do tempo extra. Apesar do maior volume de jogo, a Seleção Brasileira não balançou as redes e a decisão da vaga foi para as cobranças de pênaltis. Com Cristiane e Andressinha parando nas mãos da goleira Lindhal, o Brasil acabou derrotado por 4 a 3 e vai decidir o bronze.

Brasil: Bárbara; Poliana, Rafaelle, Mônica, Tamires; Thaisa (Andressinha), Formiga, Marta; Andressa Alves, Debinha (Cristiane) e Beatriz (Raquel).

JOÃO HAVELANGE

Devido ao falecimento do ex-presidente João Havelange, a CBF solicitou ao Comitê Olímpico Internacional (COI) que fosse respeitado um minuto de silêncio antes da partida Brasil x Suécia. Também foi pedido que as jogadoras da Seleção Brasileira Feminina pudessem entrar em campo com uma tarja preta na camisa. O COI não autorizou as homenagens para esta terça-feira.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira