Andressa Alves analisa concorrência no meio-campo da Seleção Feminina

Andressa Alves analisa concorrência no meio-campo da Seleção Feminina

Jogadora da Roma vê como positiva a concorrência de jogadoras no seu setor, e destaca que briga por uma vaga nos Jogos Olímpicos será acirrada.

Coletiva de imprensa com Andressa Alves - 24/11/2020 Coletiva de imprensa com Andressa Alves - 24/11/2020
Créditos: Mariana Sá / CBF

Depois de ficar de fora da última convocação da Seleção Feminina devido a uma lesão, Andressa Alves está de volta para os dois jogos preparatórios do Brasil diante do Equador. Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (24), a meia-atacante destacou a concorrência para o seu setor.

A busca por atletas que circulem todo o meio-campo - e que assumem postura versátil durante o jogo - tem sido uma das prioridades da técnica Pia Sundhage. Nesta convocação, foram chamadas nove atletas do setor, o que deixa a disputa pelo nome na lista final das Olimpíadas ainda mais acirrada.  Para Andressa, o surgimento de jogadoras intensifica o seu trabalho individual por um lugar em Tóquio.

“Serão as posições mais difíceis para a Pia escolher. Todas as meninas que estão aqui foram merecidamente convocadas, estão fazendo um grande campeonato aqui no Brasil, e a gente sabe que ninguém tem o nome na lista, você tem que trabalhar. Não importa se você já esteve no Mundial antes, se você vem sempre sendo convocada. Para vestir a camisa da Seleção, você tem que mostrar a cada dia o porquê você está aqui. Isso não é diferente para mim, eu tenho que mostrar muito para estar na lista da Pia na Olimpíada. Todos os treinos são muito importantes, toda convocação é importante, espero poder estar na lista”, contou.

Seleção Feminina x França - segunda rodada Torneio da França 2020. Andressa Alves Seleção Feminina x França - segunda rodada Torneio da França 2020. Andressa Alves
Créditos: A2M/CBF

Andressa acredita que a versatilidade em campo é um caminho para estar nas Olimpíadas, por conta da lista limitada, apenas 18 atletas serão convocadas. Nos jogos contra o Equador, Andressa pretende mostrar o seu potencial e, quem sabe, balançar as redes pela primeira vez na Era Pia.

“É muito importante ter atletas que consigam jogar em mais de uma posição, ainda mais na Olimpíada que a gente sabe que o limite de atletas é menor que no Mundial. Então, se você consegue fazer mais de uma posição, com certeza a Pia valoriza e sai um pouco na frente na briga. Acho importante essa valorização de atletas que conseguem atuar em mais de uma posição. Eu sou uma jogadora que consegue atuar em mais de uma posição e estou me adaptando ao que a Pia pede em cada treino e em cada jogo", destaca.

"Marcar um gol é o melhor momento do jogo e ele não aconteceu ainda. Nos outros jogos eu acabei não marcando, apenas dando assistências. É sempre bom (marcar) e estou trabalhando para isso acontecer nos próximos amistosos”, comenta Andressa Alves sobre a possibilidade de marcar gols.

Brasileirão Feminino

Andressa deixou o futebol brasileiro em 2014, mas desde então, acompanha os jogos à distância. Para ela, o Brasileirão Feminino deste está em sua edição mais disputada. Este fato, segundo a meia, incentiva o retorno de jogadoras que atuam em outros países. Nesta convocação, Pia selecionou 13 atletas que atuam no Brasil.

“O Brasileirão é um dos campeonatos mais difíceis. Este ano, para mim, foi muito melhor que todos os anos. A evolução é notória, os clubes estão muito mais preparados, as semifinais, o primeiro jogo da final... Se você tem um campeonato forte, isso com certeza contribui para a Seleção ter mais jogadores à disposição, e quanto mais o campeonato for forte aqui, as atletas da Europa vão querer voltar”, concluiu.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NIKE GUARANÁ ANTÁRTICA VIVO ITAÚ MASTERCARD GOL CIMED SEMP TCL FIAT PAGUE MENOS 3 CORAÇÕES TECHNOGYM STAT SPORTS