Andressa Alves acredita na troca de experiências na preparação para os Jogos de Tóquio

Andressa Alves acredita na troca de experiências na preparação para os Jogos de Tóquio

Jogadora da Roma destaca que estilos diferentes do elenco são benéficos para a evolução da Seleção Brasileira Feminina.

Segundo treino da Seleção Feminina Principal na Granja Comary - 07/04/2021 Segundo treino da Seleção Feminina Principal na Granja Comary - 07/04/2021
Créditos: Laura Zago/CBF

A Seleção Brasileira Feminina segue os treinamentos para as Olimpíadas de Tóquio, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Veterana nas listas da treinadora Pia Sundhage, a meia-atacante Andressa Alves acredita que o período de convocação vai servir para as atletas trocarem experiências e se dedicarem por completo à Amarelinha.

Por conta de restrições de viagem devido à pandemia de covid-19, a Seleção não pôde realizar amistosos preparatórios para Tóquio. Algumas jogadoras que atuam na Europa ficaram ausentes da convocação, Andressa Alves foi a única que conseguiu se reunir no Brasil com o elenco.

“Eu sei que o pessoal do staff fez todo o possível para a gente jogar. Mas sabemos a realidade que o Brasil e a dificuldade que está tendo de jogadoras que atuam na Europa virem ao Brasil e vice-versa. Infelizmente, não conseguimos fazer nenhum amistoso, mas dá para aproveitar esse tempo que vamos ter aqui na Granja. Tenho certeza que vai acrescentar muito e a gente vai poder se preparar melhorando nas áreas que precisamos”, comentou a meia-atacante.

Andressa Alves acredita na troca de experiências na preparação para os Jogos de Tóquio Andressa Alves acredita na troca de experiências na preparação para os Jogos de Tóquio
Créditos: Sam Robles/CBF

Com a lista repleta de jogadoras atuantes no Brasil, a jogadora da Roma foi questionada, em coletiva de imprensa, sobre o desejo de voltar à pisar em gramados brasileiros. Andressa não negou a vontade de retornar e ainda aproveitou para opinar sobre as características em campo do estilo de jogo no país e no exterior. 

“Eu penso em voltar para o Brasil, minha família é daqui. Mas, no momento, eu ainda tenho muita coisa para aprender na Europa. Eu não quero voltar apenas para encerrar minha carreira. Eu penso em voltar e jogar em alto nível por, pelo menos, uns dois ou três anos. Não tem muita diferença de estar na Europa ou no Brasil, você tem que se preparar 100%, não importa o ambiente que você esteja. O estilo de jogo brasileiro e europeu são um pouco diferentes. Mas eu sinto, aqui na Seleção, que as meninas são super preparadas e chegaram muito bem. A cada treino a intensidade é muito alta”, concluiu Andressa.

 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NIKE GUARANÁ ANTÁRTICA VIVO ITAÚ MASTERCARD GOL CIMED SEMP TCL FIAT PAGUE MENOS 3 CORAÇÕES TECHNOGYM STAT SPORTS