Seleção Olímpica: a estreia de Guga, o melhor do mês no Brasileirão

Seleção Olímpica: a estreia de Guga, o melhor do mês no Brasileirão

Eleito para o time ideal do campeonato em maio, lateral entrou contra a Guatemala, no Torneio Maurice Revello

Brasil treina pela última vez, no sábado (1), antes da estreia no Torneio Maurice Revello (Torneio de Toulon) contra a Guatemala Brasil treina pela última vez, no sábado (1), antes da estreia no Torneio Maurice Revello (Torneio de Toulon) contra a Guatemala
Créditos: Fernando Torres / CBF

Guga ainda está no início da carreira profissional, mas já tem vitórias pra contar. Eleito o melhor lateral-direito do Brasileirão no mês de maio, em levantamento feito no perfil oficial do campeonato no Instagram (@brasileirao), o jogador do Atlético Mineiro fez, esta semana, sua primeira partida com a camisa mais vitoriosa do futebol mundial. Ele entrou no segundo tempo da vitória da Seleção Brasileira por 4 a 0 sobre a Guatemala, na estreia da equipe no Torneio Maurice Revello, antigo Torneio de Toulon, na França.

Até o início do ano passado, poucos torcedores sabiam quem era aquele garoto de cabelo cacheado, que estava se profissionalizando no Avaí. Veio, então, o prêmio de Revelação do Campeonato Catarinense. A Série B começou em seguida e Guga ajudou o time de Florianópolis a ficar na terceira posição, subindo à elite do Brasileirão. Contratado pelo Galo no fim de 2018, teve um início animador na Série A, desempenho que gerou a vaga no time ideal do mês.

– Foi algo gratificante pelo reconhecimento do trabalho. Só que está comigo no cotidiano sabe o quanto eu me cobro pra evoluir a cada treino, a cada jogo. Esse foi um reconhecimento muito legal e mostra que o trabalho está no caminho certo. Quero manter o foco, não deixar cair o nível na sequência do ano e tentar entrar de novo nessa situação de destaque, nos próximos meses – afirmou.

O carioca de 20 anos foi convocado pelo técnico André Jardine e treina há uma semana com a Seleção Olímpica. No último domingo (2), substituiu Emerson, aos 21 minutos do segundo tempo, e entrou em campo com a Amarelinha. O Brasil venceu por 4 a 0 e o jovem viveu uma noite para guardar.

– Sempre foi meu sonho vestir essa camisa e representar meu país. Desde o início um dos meus maiores objetivos era chegar até aqui. É algo incrível o que estou vivendo aqui. Tô tentando aproveitar todos os dias com essa camisa pra buscar o título do torneio. Todo mundo sonha em ter um título com a Seleção e deixar o nome marcado ao lado de tantos jogadores campeões – ressaltou.

Mas peraí... Cláudio Rodrigues Gomes. Cadê o Gustavo, nome que, normalmente, dá origem ao apelido Guga? O motivo não está na certidão de nascimento, mas no penteado, que lembra um certo tenista tricampeão de Roland Garros e ex-número 1 do mundo.

– Quando eu tinha 5 anos e comecei a jogar bola, meu primeiro treinador, Geraldo, passou a me chamar assim porque sempre esquecia meu nome nos treinos. Na época, o Guga [Gustavo Kuerten] tinha vivido o auge na carreira. Aí, o apelido acabou ficando – explicou o lateral da Seleção.

Torneio Maurice Revello

Após a vitória por 4 a 0 sobre a Guatemala, o Brasil lidera o Grupo B da competição, com 3 pontos e 4 gols de saldo. A França, que venceu o Catar por 2 a 0, tem a mesma pontuação, mas fica atrás pelo critério de desempate. Na próxima quarta-feira (5), a Seleção Brasileira Olímpica enfrenta os franceses às 19h30 (Horário Local). A ESPN Brasil transmite a partida às 14h30 pelo Horário de Brasília.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports