Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Trabalhando com futebol de base desde 1999, Caio Zanardi terá seu maior desafio da carreira no Paraguai

Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Créditos: CBF

Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Por dentro da delegação: Caio Zanardi, o técnico da Sub-17

Créditos: CBF

Perto da estreia da Seleção Brasileira Sub-17, o site CBF apresenta o técnico da equipe no quadro "Por dentro da delegação". Caio Zanardi será o responsável por guiar essa geração rumo ao 11˚ título do Sul-Americano Sub-17.

Já são mais de 20 anos vivendo do futebol. Como jogador, Caio Zanardi foi formado nas categorias de base do São Paulo até se transferir para o Corinthians antes mesmo de completar os 20 anos. Disputou final de Copa São Paulo em 1993, subiu para o profissional e aí quebrou a perna. Ainda tentou voltar a jogar em alto nível, mas desistiu em 1995. Em 1999, começou sua trajetória do lado de fora das quatro linhas.

Caio Zanardi foi técnico nas categorias de base do Palmeiras, chegou a dirigir o Palmeiras B, participou da criação do sub-20 do Audax-SP (à época ainda com o nome de Pão de Açucar), trabalhou na Lituânia, voltou para o Brasil para comandar o sub-20 do Paulista de Jundiaí e depois passou seis anos como coordenador técnico do Al Nassr, dos Emirados Árabes. Uma carreira completa e diversificada até chegar ao seu maior desafio: a Seleção Brasileira.

- Quando comecei, naturalmente, Seleção Brasileira era algo muito distante. A gente vai trabalhando, construindo um nome, uma carreira, mas nosso país tem muitos profissionais excelentes e qualificados nessa área. O importante é estar preparado no dia em que a oportunidade chegar. Sei que é uma responsabilidade grande, mas me preparei muito e sei o quanto posso contribuir nesse processo de formação - disse Caio, que chegou à CBF em 2013 justamente para trabalhar com esta geração de jogadores nascidos entre 1998 e 1999.

Interessado em aprender e dominar várias áreas por natureza, Caio Zanardi buscou conhecimento por onde passou. Formou-se em Gestão Esportiva no Brasil, obteve a FA International License (formação de técnicos da Federação Inglesa de Futebol), estagiou com grandes nomes do esporte mundial como Fabio Capello, Sven Goran Eriksson, Louis van Gaal, Carlo Ancelotti e até um curso de Filosofia chegou a iniciar. Dá para dizer que é um técnico com formação europeia, mas com DNA brasileiro.

- Estudei muito sobre futebol e acho que consegui equilibrar duas coisas que considero importantes nessa profissão: a prática e a teoria. Por ter sido jogador, conhecer o universo, acho que isso me ajuda muito, mas não é o bastante. Busquei compreender mais sobre o esporte, todas as suas áreas e possibilidades. Hoje me considero um técnico que dá muita ênfase à parte tática e ao jogo coletivo, mas ciente das características do jogador brasileiro. O que podem esperar desta equipe no Sul-Americano é muita aplicação tática sem a bola e liberdade para improvisar no ataque.

Em mais de um ano e meio trabalhando com esta geração, Caio Zanardi já pôde conhecer a fundo cada um de seus jogadores. Confiante na preparação que foi realizada, com direito a dois títulos em competições preparatórias (Quadrangular de Seleções no Chile e Torneio Nike Friendlies nos EUA), ele espera que sua equipe apresente um bom futebol no Sul-Americano. Em casa, a torcida será grande. A mulher, Camila, com quem é casado há 18 anos, e o casal de filhos, Bianca (16) e Caio Junior (13), já estão ansiosos pela estreia.

- Minha família sempre me apoiou, desde o início da carreira, em todos os lugares que eu fui, o que é muito importante nessa função. Eles certamente estão torcendo para eu ficar mais um mês longe e voltar com sorriso no rosto - brincou Caio com o fato de o Sul-Americano durar todo o mês de março caso o Brasil passe para o hexagonal final.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira