Baú da Seleção: Caio Rangel compartilha lembranças do título Sul-Americano Sub-15 de 2011

Baú da Seleção: Caio Rangel compartilha lembranças do título Sul-Americano Sub-15 de 2011

Atacante lembra gol feito sobre a Argentina com o pai na arquibancada, imprevisto no elevador momentos antes desta mesma decisiva partida e fala com nostalgia sobre o clima da Granja

Caio Rangel passou pelas categorias Sub-15, Sub-17 e Sub-20 da Seleção Brasileira Caio Rangel passou pelas categorias Sub-15, Sub-17 e Sub-20 da Seleção Brasileira
Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

O Baú da Seleção desta terça-feira (26) relembra o título do Campeonato Sul-Americano Sub-15 de 2011 através do relato Caio Rangel. O tricampeonato do Brasil no torneio, que tem a Canarinho como atual e maior vencedora, com cinco títulos, marcou a geração que contava com o quarteto ofensivo formado por Matheus Índio, Robert, Caio Rangel e Mosquito. Quase nove anos depois, a conquista no Uruguai continua bem viva na memória e nas paredes da casa de Caio. 

Revelado pelo Flamengo, o atacante conversou com a equipe do site da CBF e relembrou as características daquele grupo, contou histórias curiosas e mostrou nostalgia e muito carinho ao falar dos períodos vividos na Granja Comary com a Seleção Brasileira. Caio Rangel, que disputou o Campeonato Paulista de 2020 pela Ferroviária-SP e está sem clube no momento, ainda controla a emoção para falar do gol marcado contra a Argentina na Fase Final do torneio, o último da vitória por 4 a 2, que contribuiu e muito para o título da Canarinho na competição.

– O Marquinhos Santos (técnico da Seleção Sub-15) começou a competição comigo no time, mas no decorrer fez alguns testes e acabei começando esse jogo contra a Argentina no banco. Entrei no intervalo e participei bastante da partida. No final, já nos acréscimos, consegui fazer um gol. Considero este o momento mais importante de toda a minha vida. Eu só tinha 15 anos, imagina a minha emoção? Meu pai estava na arquibancada, tinha acabado de chegar no Uruguai, pois não pôde ir desde o início para ver a competição. Então, com ele lá na arquibancada, considero que foi como uma coroação para mim – declarou. 

Camisa assinada por todos da campanha do Sul-Americano foi enquadrada e é exibida com orgulho na parede da casa de Caio Rangel Camisa assinada por todos da campanha do Sul-Americano foi enquadrada e é exibida com orgulho na parede da casa de Caio Rangel
Créditos: Arquivo pessoal

Este jogo diante da Argentina foi o primeiro da Fase Final. Antes, na Fase de grupos, o Brasil empatou em 0 a 0 com a Colômbia, goleou o Peru por 5 a 1, a Bolívia por 6 a 1 e superou o Paraguai por 2 a 0. Na última fase, quando todos se enfrentavam e a equipe que somasse mais pontos ficava com a taça, a garotada que defendia a Amarelinha repetiu o placar do triunfo diante da Argentina sobre a Colômbia e fez 4 a 0 no Uruguai. Com 25 gols marcados em sete jogos, apenas seis sofridos e seis vitórias e um empate, a impactante campanha invicta só foi possível graças a um fator para Caio: a união do grupo. 

– A primeira coisa que lembro quando penso naquele Sul-Americano de 2011 é que era um grupo muito unido. A gente tinha esse conceito como algo muito forte. Éramos rivais nos clubes, mas quando todo mundo se juntava naquela Seleção formávamos algo muito legal e admirável. Todo mundo dava o seu melhor, o grupo se fechava e confesso que nunca vi essa característica tão forte em outros lugares por onde passei – acrescentou.

Caio Rangel compartilhou foto de seu acervo pessoal que exibe o grupo posado Caio Rangel compartilhou foto de seu acervo pessoal que exibe o grupo posado
Créditos: Arquivo pessoal

A Seleção Brasileira é algo marcante para Caio. Por isso, nas paredes de casa, o atacante exibe a camisa assinada por todos do grupo campeão sul-americano em 2011 e fotos de outros jogos com a Amarelinha. Como a maioria dos jogadores, o atleta também gosta de contar histórias. No Sul-Americano do Uruguai, ele recorda de um momento de tensão pouco antes de um jogo decisivo. 

– Estávamos no hotel, descendo para pegar o ônibus e partir para o estádio. Foi no dia do jogo com a Argentina. Faltava cerca de uma hora e meia para começar a partida e ficamos presos no elevador. Eu, Robert, Matheus Augusto, Índio... O treinador gritando pelos nossos nomes, porque ia passando a hora de sair para o jogo, e a gente respondia: - Estamos presos aqui no elevador! Foram uns 20 minutos até que conseguíssemos sair – revela o jogador, com algumas risadas.

Usando a camisa 7, Caio Rangel em ação no duelo com o Peru Usando a camisa 7, Caio Rangel em ação no duelo com o Peru
Créditos: Arquivo pessoal

Além da Sub-15, Caio Rangel também passou pelas categorias Sub-17 e Sub-20 da Seleção Brasileira. Em 2013, inclusive, o atacante disputou a Copa do Mundo Sub-17 nos Emirados Árabes e marcou dois gols na campanha do Brasil, que terminou nas quartas de final com derrota para o México nos pênaltis. Ele lembra com nostalgia e carinho os períodos de preparação na Granja Comary, Centro de Treinamento e casa de todas as Seleções Brasileiras de futebol. 

– Quando eu chegava na Granja sentia algo muito legal. Hoje tenho muita saudade. A Granja tem uma paz, um clima... As tias da cozinha, o dia a dia, o treinamento. Tudo é perfeito. Passar pela Seleção me ajudou bastante. Agradeço muito a Deus pela oportunidade. Quando lembro sempre falo para o meu pai, que é o meu melhor amigo: - Pai, fui muito feliz naquela época! – recorda Caio Rangel. 

Já na Sub-17, Caio Rangel (o 1º da esquerda para direita) ao lado dos companheiros em um treino na Granja Comary Já na Sub-17, Caio Rangel (o 1º da esquerda para direita) ao lado dos companheiros em um treino na Granja Comary
Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Sob o comando do técnico Marquinhos Santos, o Brasil disputou o Sul-Americano Sub-15, no Uruguai, com um grupo de 20 atletas formado por: Marcos, Thiago, Leonardo,  Lincoln, Lucas, Alef, Wellington, Caio Rangel, Danilo, Davi, Gabriel, Gustavo, Heitor, Matheus Índio, Robert, Matheus, Gustavo Tocantins, Robert, Mosquito e Yan Petter. 

Caio Rangel em treino do Mundial Sub-17 com a Seleção nos Emirados Árabes Caio Rangel em treino do Mundial Sub-17 com a Seleção nos Emirados Árabes
Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Através de depoimentos, objetos e lembranças compartilhados pelos próprios atletas, o site da CBF relembra conquistas das Seleções Masculinas e Femininas, de base e profissional, através do Baú da Seleção. Toda terça-feira algum personagem que brilhou com camisa Amarelinha aparece por aqui com alguma história inédita. Continue ligado!

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports