Guta valoriza papel das competições de base para chegar à Seleção Feminina Sub-17

Guta valoriza papel das competições de base para chegar à Seleção Feminina Sub-17

Defensora do Internacional e da Seleção Brasileira possui bagagem vitoriosa nas competições de base que disputou.

Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18. Guta. Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18. Guta.
Créditos: Adriano Fontes/CBF

Com apenas 16 anos de idade, Maria Augusta já conta com uma bagagem de gente grande. Com experiência em competições de base, 'Guta’, como é conhecida, colecionou títulos e chegou até a Seleção Feminina Sub-17. Nome frequente nas listas da técnica Simone Jatobá, a defensora da Canarinho e do Internacional valorizou o papel que os torneios disputados tiveram em sua formação como atleta.

Concentrada em Pinheiral (RJ) com a Sub-17, Guta julga como essencial a passagem pelas competições de base para vislumbrar um futuro no futebol profissional. Pelo Colorado, a zagueira foi campeã brasileira sub-16, campeã gaúcha sub-14 e sub-16, campeã do Torneio Evolución (CONMEBOL), vice-campeã brasileira sub-18 e vice-campeã da Liga de Desenvolvimento CONMEBOL Feminina Sub-14.

“É uma ótima experiência. O clube nos dá ótimas oportunidades, esse trabalho foi o que me trouxe para a Seleção. Esses títulos que a gente conquista nos fazem ter mais experiência, mais oportunidades e, lá na frente, quando formos para o profissional, vamos lembrar e ter essa base de formação, que é muito importante para o nosso desenvolvimento. Quanto mais esses campeonatos de base se firmarem, mais nós estaremos preparadas para chegarmos ao profissional”. 

“Estou muito feliz por saber que a Simone me vê como referência. Isso só mostra o trabalho que a gente vem fazendo nas convocações, mostra que venho evoluindo, assim como as gurias estão evoluindo junto. O grupo está se formando, trabalhando características que a gente precisa melhorar, coisas que já estamos bem. Fico muito grata por ela ver que estou me esforçando, me empenhando nos treinos, para poder evoluir sempre”, destaca Guta.

Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18 Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18
Créditos: Adriano Fontes/CBF

Durante a janela de preparação, que se estende até o dia 28 de outubro, a Seleção Feminina Sub-17 recebeu a visita da Pia Sundhage e sua comissão técnica. Feliz com a presença da técnica da Seleção Principal, Guta admitiu os observadores pontuais aumentaram o astral do grupo.

“É uma grande oportunidade de poder ver ela (Pia Sundhage) aqui pessoalmente, que é uma referência no futebol feminino. O trabalho que ela faz com a Seleção é excelente, e nosso sonho é um dia poder trabalhar com ela na Seleção Principal. Ver ela aqui deu mais energia para a gente nos treinos, pensar sempre: ‘se um dia quero estar no profissional, tenho que começar aqui hoje na base’. Tivemos bastante entrega, foi muito legal a presença dela e de toda a comissão”, resumiu.

Além dos treinos diários, as atletas também estão sendo testadas em jogos-treinos em Pinheiral. No dia 13 de outubro, a Seleção derrotou a equipe sub-18 do Fluminense, com Guta marcando um dos gols da goleada. Até o final da janela, as comandadas de Simone Jatobá encaram mais dois desafios: nesta quarta-feira (20), diante do time masculino sub-13 do Botafogo, e no dia 26 de outubro, contra o elenco adulto feminino do Boavista.

Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18. Guta. Seleção Feminina Sub-17 faz jogo-treino diante do Fluminense Sub-18. Guta.
Créditos: Adriano Fontes/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira