Thayciane: da última vaga à estreia no Mundial Feminino Sub-17

Thayciane: da última vaga à estreia no Mundial Feminino Sub-17

Diante do México, Thayciane fez sua estreia com a camisa do Brasil. A atacante conquistou a vaga na equipe na última convocação do antes do Mundial

Seleção Feminina Sub-17 x México na Copa do Mundo do Uruguai - Thayciane

Créditos: Marcos Paulo Rebelo/CBF

Thayciane é uma daquelas meninas que tem motivos de sobra para se orgulhar. Em outubro deste ano, na última convocação antes do Mundial Feminino Sub-17, ela chegou à Granja Comary, em Teresópolis, com chances de assegurar uma vaga na equipe. A atacante da Ferroviária pegou a oportunidade e não soltou mais. Foi a última a ser escolhida para compor a lista de 21 atletas convocadas para a Copa do Mundo. Na sexta-feira (16), apesar da derrota por 1 a 0 para o México, ela teve motivos para se orgulhar mais uma vez. Estreou com a camisa da Seleção, ao entrar no segundo tempo do jogo.

- Estou me sentindo muito bem, estou feliz e ontem tive a estreia na competição. Fiquei muito feliz, minha família ficou muito orgulhosa de mim e eu espero entrar mais vezes, fazer o meu jogo e poder ajudar a equipe - revela Thayciane.

Como inspiração, Thayciane não vai muito longe para buscar um ídolo. Ao perguntada, fala sempre: Thaísa, volante da Seleção Brasileira Principal. A meio-campista do Milan, além de um exemplo, é uma das apoiadoras de Thay na carreira. As duas são da mesma cidade, Xambre, no Paraná, e foi através de Thaísa que Thay fez um teste Ferroviária, em Araraquara, São Paulo. Ela apadrinhou a jovem jogadora, que na época tinha apenas 16 anos, e ajudou em tudo que poderia. Antes Thay jogava com meninos na rua.

- Minha mãe ligou para a Thaísa, e ela disse que me levaria para fazer um teste na Ferroviária, onde estava jogando.  Eu acabei ficando em Araraquara. Ela me ajudou em tudo, eu tinha 16 anos e já fui logo para o profissional, eu não sabia muitas coisas. Foi ela que arrumou tudo, até a chuteira - lembra Thay.

O sonho é também seguir os passos de Thaísa no profissional. Mas para chegar até lá, Thayciane precisa, primeiro, encarar os desafios na recém iniciada carreira de jogadora.

Para seguir no Mundial, o Brasil tem que, na terceira rodada, vencer a África do Sul, e torcer para um resultado favorável da outra partida do Grupo B, entre Japão e México, com as japonesas vencendo as mexicanas. Ou uma goleada do México sobre as asiáticas, mas o Brasil ainda precisaria de uma combinação no saldo de gol. A chance existe e desistir nunca foi uma opção para a atacante. 

- Agora é foco, a gente tem que sair com a vitória. Veio a derrota, mas não tem nada perdido, a gente precisa se impor, fazer o nosso jogo, como vem trabalhando e treinando - diz Thayciane.

Não será uma tarefa fácil, mas o grupo se mantém firme e focado. Até o compromisso com a África do Sul, o Brasil terá mais dois dias de treinos em Montevideo, no Uruguai. Neste domingo (18), pela manhã, a equipe completa fará um treino visando o jogo decisivo. Na terça-feira (20), às 14h local (15h de Brasília), brasileiras e sul-africanas se enfrentam, no Estádio Charrúa. O jogo será transmitido pelo SporTV 2. No mesmo horário, Japão e México jogarão em Maldonado.

 

 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira NikeItaúVIVOGuaraná AntárticaMastercardGOLGrupo CIMEDSEMP TCLFIATUltrafarmaEnglish LiveTechnogymStatsports3 Corações