Pioneira com a Amarelinha, Roseli é auxiliar pontual em convocação da Seleção Feminina Sub-17

Pioneira com a Amarelinha, Roseli é auxiliar pontual em convocação da Seleção Feminina Sub-17

Integrante da primeira Seleção Feminina Brasileira, em 1988, Roseli colecionou títulos e feitos junto à Canarinho e agora transmite sua vivência para a nova geração da Amarelinha.

Roseli (à direita) ao lado da técnica Simone Jatobá e da auxiliar técnica Enir Ranzani Roseli (à direita) ao lado da técnica Simone Jatobá e da auxiliar técnica Enir Ranzani
Créditos: Felipe Soares/CBF

A Seleção Feminina Sub-17 conta com uma presença mais do que especial durante sua janela de preparação em Pinheiral (RJ). Roseli, pioneira do futebol feminino e também da Canarinho, compõe pontualmente a comissão técnica da equipe de base brasileira. A convite da técnica Simone Jatobá, a ex-atacante está concentrada junto com a delegação na função de auxiliar pontual. Multicampeã defendendo a Amarelinha, ela pretende passar todo seu conhecimento adiante para a geração de novas craques que estão por vir.

Roseli participou da primeira Seleção Feminina Brasileira da história, em 1988. Desde a estreia, foram 16 anos dedicados à Canarinho, que culminaram na conquista da medalha de prata olímpica, em Atenas 2004, sua última temporada vestindo a Amarelinha. Conhecida por seus gols bonitos, a ex-atacante também foi campeã sul-americana em 1991, 1995 e 1998 – além de medalha de ouro no Pan-Americano de 2003. Hoje do lado de fora dos gramados, Roseli quer ser tão importante para a modalidade quanto era com a bola nos pés.

“Estou tentando passar para as meninas o que eu fiz, o que deixei. Não quero guardar nada para mim, quero passar para essas meninas. Para mim é muito importante, porque elas são o nosso futuro. O que nós, pioneiras, fizemos, não queremos que fique no baú. Temos que transmitir para essas meninas o que é bom e o que é ruim para deixar elas em um ótimo patamar. Pelo que estou vendo aqui, elas já estão bem acima, porque a gente não tinha nem categoria de base, treinávamos com os homens. Hoje em dia não, temos campeonatos para elas, sub-17, sub-16. Para mim é uma alegria imensa”, contou a ex-jogadora, em conversa com o site da CBF.

 

"Não quero guardar nada para mim, quero passar para essas meninas. É muito importante, porque elas são o nosso futuro"

 

Roseli compartilhando sua experiência na modalidade para as jovens atletas da Sub-17 durante palestra, em Pinheiral (RJ) Roseli compartilhando sua experiência na modalidade para as jovens atletas da Sub-17 durante palestra, em Pinheiral (RJ)
Créditos: Felipe Soares/CBF

Se hoje as 23 jovens convocadas por Simone Jatobá podem usufruir de toda uma estrutura e suporte na Seleção Sub-17, elas devem muito à Roseli e sua geração, que pavimentaram o caminho para que outras craques pudessem surgir no futebol brasileiro. Empolgada com o que tem visto e desempenhado em Pinheiral, a ex-atacante admite que já pensa em se especializar para auxiliar ainda mais a modalidade a qual dedicou sua vida.

“A experiência é total, me motivou bastante. Ao ponto de hoje já ter na cabeça que quero fazer cursos, participar da modalidade feminina. Não tem nem como descrever essa experiência. Vendo todos esses profissionais auxiliando essas meninas. Na minha época a gente não teve isso, não tínhamos nem categoria de base. Então para mim tem sido maravilhoso estar vivenciando isso, o que não tive, estou presenciando agora. Na verdade, não dá nem vontade de ir embora porque estou vendo as meninas treinando bastante, o desempenho e a qualidade delas”, admitiu Roseli, antes de agradecer o convite feito por Simone Jatobá.

“A Simone é sem comentários, tanto quanto jogadora como agora como treinadora. O que ela era no campo, ela também passa para as jogadoras, e muito mais até. Ela estudou para isso, mantém o patamar lá em cima. Só tenho a agradecer ao convite que ela me fez para estar aqui, porque ela é sensacional”, complementou.

Simone e Roseli, parceria vitoriosa dentro dos gramados que agora rende frutos também fora dele Simone e Roseli, parceria vitoriosa dentro dos gramados que agora rende frutos também fora dele
Créditos: Felipe Soares/CBF

Apesar de serem de gerações distintas, Roseli e Simone dividiram os gramados defendendo as cores do Brasil durante alguns anos, no início dos anos 2000. Repetindo a parceria de sucesso no campo, agora com a prancheta na mão, a técnica da Seleção Feminina Sub-17 é só elogios a versão auxiliar de Roseli. Em entrevista ao site da CBF, Jatobá exaltou a forma com que a ex-atacante transmite sua bagagem para as atletas em início de carreira.

“A Roseli é uma ex-atleta de referência no nosso meio, na nossa modalidade. Então a gente sabe que o futebol feminino teve essa crescente com tudo que a Roseli e a geração dela fizeram. Depois a minha geração e agora essa nova geração que está aí. Temos que reconhecer que ela foi muito importante e ainda está sendo. Ter ela aqui com a gente com a (Seleção) Sub-17 nos traz bagagem, experiência e essa troca de conselhos que ela vem tendo com as atletas. Então está sendo muito rico essa vinda dela para cá", ressaltou a treinadora do Brasil.

Roseli e a Seleção Feminina Sub-17 ficarão concentradas em Pinheiral até o dia 6 de junho. Além dos treinos diários, a equipe comandada por Simone Jatobá disputará dois jogos preparatórios, programados para os dias 2 e 5 de junho.

Roseli (no centro, de branco) ao lado das jogadoras da Seleção Brasileira Sub-17 Roseli (no centro, de branco) ao lado das jogadoras da Seleção Brasileira Sub-17
Créditos: Felipe Soares/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Guaraná Antártica VIVO Itaú Mastercard Voe GOL CIMED Semp TCL FIAT Pague Menos Café 3 Corações Techno Gym Stat Sports Kin Analytics