Percursora com a Amarelinha, Nalvinha é auxiliar pontual da Seleção Feminina Sub-17

Percursora com a Amarelinha, Nalvinha é auxiliar pontual da Seleção Feminina Sub-17

Presente na disputa da primeira Copa do Mundo de futebol feminino da história, em 1991, Nalvinha agora compartilha suas experiências com as jovens que compõem a categoria Sub-17 da Seleção Brasileira.

Seleção Feminina Sub-17 enfrenta o Botafogo Masculino Sub-13 em jogo-treino. Nalvinha Seleção Feminina Sub-17 enfrenta o Botafogo Masculino Sub-13 em jogo-treino. Nalvinha
Créditos: Adriano Fontes/CBF

A Seleção Feminina Sub-17 tem um reforço de luxo durante a janela de preparação em Pinheiral (RJ): Lunalva Torres de Almeida, ou simplesmente ‘Nalvinha’, foi convidada pela comissão técnica para atuar como auxiliar pontual da categoria. A modesta estatura de 1,48m contrasta com sua importância e extensa trajetória pela Amarelinha, que a transformou em uma gigante da modalidade. Percursora, a ex-jogadora agora mantém seu legado vivo ao dividir sua experiência com as jovens da Seleção.

Nalvinha participou da primeira Copa do Mundo de Futebol Feminino da história, em 1991, na China. Quatro anos depois, em 95, voltou a vestir a Amarelinha no Mundial da Suécia. Além da bagagem internacional, ela também coleciona títulos com a Seleção Feminina: campeã sul-americana em 1991 e 1995.

"Esse convite veio de umas três pessoas. Eu logo aceitei, porque adoro estar no futebol feminino, ainda mais em uma seleção de base, sub-17. Porque você aprende e ensina ao mesmo tempo. Eu só tenho a agradecer às pessoas que fizeram o convite. Vou dar o meu melhor para as meninas, comissão técnica, todos que precisarem, darei o meu melhor", revelou, antes de detalhar como tem sido a experiência até então.

“Para mim está sendo um aprendizado, porque depois de tanto tempo afastada do futebol estar recebendo essa oportunidade é muito bom, está sendo muito proveitoso. Receber um convite desses e ainda ser recebida com um calor humano incrível, só tenho gratidão por tudo isso que estou vivendo", completou.


Presente na concentração da Sub-17, no CT João Havelange, desde o dia 6 de outubro, Nalvinha acompanha de perto a evolução das atletas e as auxilia com dicas de quem já fez muito dentro das quatro linhas. Fora delas, a ex-jogadora da Canarinho tenta passar o máximo de seus princípios para as jovens.

"Eu fico feliz por essa geração, que vai ser o futuro do Brasil. Elas estão tendo todas essas oportunidades, por isso elas precisam abraçar de peito aberto, levarem a sério, com muita determinação, respeito e união. Porque elas estão tendo muitas coisas boas, e ainda têm muitas por vir, elas só têm a ganhar", destacou.

Depois de pavimentar o caminho para que muitas mulheres pudessem seguir o sonho de se tornarem jogadoras de futebol, Nalvinha aproveitou a oportunidade para deixar uma mensagem para as jovens que vislumbram uma trajetória de sucesso na Seleção Feminina no futuro.

"Diria para elas não desistirem dos sonhos delas, seguirem em frente. Porque só elas podem conseguir realizar esses sonhos, depende delas. É importante não desistir e seguir em frente", concluiu.

Pia Sundhage e Comissão Técnica acompanham treino da Seleção Feminina Sub-17 em Pinheiral. Nalvinha Pia Sundhage e Comissão Técnica acompanham treino da Seleção Feminina Sub-17 em Pinheiral. Nalvinha
Créditos: Thais Magalhães/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil