Melhor em campo, Duda se orgulha da trajetória da Sub-17 no Mundial

Melhor em campo, Duda se orgulha da trajetória da Sub-17 no Mundial

Maria Eduarda foi eleita a melhor da partida diante da África do Sul. Meio-campista fez o último gol da vitória brasileira por 4 a 1

Copa do Mundo Feminina Sub-17: Brasil x África do Sul - Maria Eduarda

Créditos: Marcos Paulo Rebelo/CBF

 

A eliminação no Mundial Feminino Sub-17 ainda é muito recente, mas Maria Eduarda tem motivos de sobra para se orgulhar da trajetória na competição. A meio-campo foi uma das estratégias do técnico Luizão para começar a partida diante da África do Sul, nesta terça-feira (20), em Montevideo. A substituição deu certo, Duda foi eleita a melhor em campo na vitória sobre a África do Sul, por 4 a 1, e ainda fechou a participação na competição com um golaço. Com apenas 15 anos (completará 16 anos neste mês), a jovem ainda tenta fazer um balanço de tudo que viveu em 2018.

- É um sentimento de tristeza ao mesmo tempo de alegria por ter ajudado dentro de campo as minhas companheiras e elas terem me ajudado também. A gente se doou de corpo e alma, e deu no que deu. O resultado do jogo foi excelente, mas não o suficiente, ficou 1 a 1 entre Japão e México e nós não conseguimos a classificação que era o esperado. Mas foi um aprendizado essa Copa do Mundo, não foi fácil, eles já tinham dito que não seria fácil e é um aprendizado enorme esses dois anos que a gente vem trabalhando, a evolução de cada uma, da equipe foi essencial, foi muito bom - diz Duda, de forma emocionada.

Foram dois anos de trabalho e muitas convocações visando o Mundial. Nessa trajetória, Duda chegou à seleção com 14 anos e esteve presente na conquista dos dois títulos desse grupo, o Campeonato Sul-Americano Sub-17, em março, e o Torneio BRICS, em julho, que serviram de grande aprendizado para a carreira.

- A Duda aprendeu muito durante esses dois anos, e ela vai crescer mais, tem muito o que evoluir! Ainda sou nova, tenho que criar mais maturidade, tenho que ter mais experiência e trabalhar muito para que eu possa seguir na Seleção - ressalta Duda.

 

A despedida não será da forma que gostaria, mas a experiência de uma Copa do Mundo ninguém tira, e é isso que a meio-campista da Sub-17 quer levar para a carreira.

- Copa do Mundo é isso aqui, é muito difícil, mas é muito bom. Foi tudo muito bom conhecer essas meninas, a comissão também, eu só tenho que agradecer por tudo que está acontecendo na minha vida e seguir em frente - conclui.

 

 

 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira