Pelé 80 anos: a lesão na Copa do Mundo de 1962 e a conquista abençoada por Garrincha

Pelé 80 anos: a lesão na Copa do Mundo de 1962 e a conquista abençoada por Garrincha

No Chile, Pelé atuou por apenas um jogo e meio e viu, de fora das quatro linhas, o seu grande parceiro guiar o Brasil rumo ao título.

1962 Em pé, da esquerda para à direita Djalma Santos, Bellini, Zito, Calvet, Castilho e Nílton Santos. Agachados Santana (massagista), Garrincha, Didi, coutinho, Pelé, Pepe 1962 Em pé, da esquerda para à direita Djalma Santos, Bellini, Zito, Calvet, Castilho e Nílton Santos. Agachados Santana (massagista), Garrincha, Didi, coutinho, Pelé, Pepe
Créditos: Divulgação / CBF

Quatro anos depois de conquistar a Copa do Mundo pela primeira vez, o Brasil viajou até o Chile para defender o título. Em busca do bi, a Seleção apostava na dupla formada por Garrincha e Pelé para se igualar a Uruguai e Itália como os maiores campeões mundiais.

A Seleção abriu a competição com uma vitória tranquila por 2 a 0 sobre o México, com gols de Pelé e Zagallo. Mas a campanha de Pelé na Copa do Mundo foi encurtada graças a um infortúnio. No empate por 0 a 0 com a Tchecoslováquia, o Rei sentiu uma lesão muscular e teve de ser substituído. A distensão no adutor da coxa esquerda, aos 27 minutos do primeiro tempo, pôs um ponto final na participação de Pelé no Mundial do Chile.

O Rei foi substituído na equipe por Amarildo, que não deixou o nível da Seleção cair e foi uma peça importante na conquista do bicampeonato. Com três gols marcados, o "Posesso", como era conhecido, foi o vice-artilheiro da Seleção e da Copa do Mundo. No time brasileiro, ficou atrás apenas de Garrincha e Vavá, que marcaram quatro vezes durante a competição.

Apesar da ausência de Pelé, a Seleção ainda podia contar com o talento de Mané Garrincha, além de Nilton Santos, Zagallo, Didi e tantos outros. Sem Pelé, o Anjo das Pernas Tortas entrou em ação, assumiu o protagonismo e liderou o Brasil ao título. Foram quatro gols, dribles insinuantes e atuações de tirar o chapéu.

Nas quartas, contra a Inglaterra, o Mané foi "jurado" pelo lateral Ronald Flowers, que prometeu anular o ponta brasileiro. Resultado? 3 a 1 para o Brasil, com dois gols de Garrincha. Na semi, contra o Chile, os donos da casa, Garrincha foi mais uma vez decisivo e marcou os dois primeiros gols do Brasil no triunfo por 4 a 2. No fim do jogo, Garrincha ainda foi expulso, mas em julgamento posterior, o atacante teve o cartão anulado e pôde entrar em campo na final.

Na decisão, Garrincha fez um esforço físico para poder atuar. Com 38 graus de febre, o Mané foi titular e, mesmo assim, fez a diferença para o Brasil. Afinal, aonde quer que ele fosse, a defesa da Tchecoslováquia precisava levar dois marcadores. Ao fim, o Brasil venceu por 3 a 1, com gols de Amarildo, Zito e Vavá, e garantiu a segunda conquista de Copa do Mundo da história da Seleção Brasileira e da carreira de Pelé.

Brasil 2x0 México - 1962 Brasil 2x0 México - 1962
Créditos: Acervo CBF

Pelé na Copa do Mundo de 1962
Jogos: 2
1 vitória e 1 empate (66% de aproveitamento)
1 gol

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil