Rafa analisa desempenho da Seleção de Futsal na Data FIFA de abril: ‘Fomos muito bem’

Rafa analisa desempenho da Seleção de Futsal na Data FIFA de abril: ‘Fomos muito bem’

Pivô canarinho também comentou sobre a felicidade de vestir a Amarelinha em mais uma oportunidade

Seleção de Futsal encara Comores no último compromisso na Europa nesta Data FIFA. Rafa Santos Seleção de Futsal encara Comores no último compromisso na Europa nesta Data FIFA. Rafa Santos
Créditos: Thais Magalhães/CBF

O Brasil encerrou a Data FIFA de abril com 100% de aproveitamento. A Seleção de Futsal goleou dois adversários: Eslovênia, por 8 a 0, e Comores, por 5 a 1. Além do mais, venceu a França por 3 a 2 no Torneio de Toulon e ficou com a taça. Rafa foi um jogador importante nesses três jogos disputados. À CBF, ele analisou o desempenho canarinho nesses períodos.

“Contente com o desempenho de todos. Nos dedicamos bastante. Chegamos de campeonatos desgastantes e foram três jogos bem competitivos. Fomos muito bem no Torneio da França. Saímos com as duas vitórias que era o esperado. Esses dois treinamentos que fizemos também, estão todos de parabéns. O jogo de hoje fechou com chave de ouro”, destacou.

Perguntado sobre a sensação de mais uma convocação, Rafa exaltou a alegria que é defender a camisa da Canarinho.

“Sempre quando vem a notícia que fui convocado, é uma grande alegria para mim e minha família, pois o dia a dia é para isso. Comecei a jogar futsal para estar aqui na Seleção. Então quero fazer por onde, estar bem, que eu possa cada vez fazer mais gols", declarou.

Seleção de Futsal encara Comores no último compromisso na Europa nesta Data FIFA. Rafa Santos Seleção de Futsal encara Comores no último compromisso na Europa nesta Data FIFA. Rafa Santos
Créditos: Thais Magalhães/CBF

O pivô, ao lado de Marcênio e Léo Santana, se apresentou um dia antes do primeiro compromisso da Seleção nesta Data FIFA. Isso aconteceu pois eles disputaram a final da Copa da Espanha - decidida nos pênaltis. Rafa comentou sobre essa situação e o possível desgaste na sequência de jogos.

“Não tem cansaço. O chip muda muito rapidamente. Quando o jogo acabou, a cabeça já estava na Seleção. Foi uma partida muito dura, disputada (final da Copa da Espanha). Ficamos com o mental focado nela. Mas, depois que vamos defender o Brasil, não tem coisa melhor. É um bônus por todo o trabalho realizado”, concluiu.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira