Marquinhos Xavier analisa desempenho do Brasil em primeiro amistoso antes do Mundial

Marquinhos Xavier analisa desempenho do Brasil em primeiro amistoso antes do Mundial

Comandante da Canarinho elogiou a postura do plantel brazuca durante o duelo contra a Polônia

Em preparação intensa para a Copa do Mundo, a Seleção Brasileira de Futsal enfim entrou em quadra para o primeiro teste antes do início do torneio. Nesta quinta-feira (2), a Canarinho venceu a Polônia por 4 a 1, em Torún (POL). Depois do jogo, o técnico Marquinhos Xavier fez uma análise das dificuldades impostas pelo adversário e do desempenho brazuca. 

"Bastante obstáculos. Mas a gente se propôs a isso, a se desafiar também contra um adversário que tínhamos conhecimento amplo da dificuldade. Um jogo muito físico. É diferente do jogo do nosso continente. O desgaste da viagem foi bastante grande. Mas a gente precisa saber também superar essas dificuldades, porque elas vão acontecer lá na frente. Em função também do ritmo, do número excessivo de partidas. Tudo isso vai vir e a gente vai ter que saber driblar", pontuou o treinador, antes de continuar:

"Então, a equipe foi bem, soube suportar, em especial, o primeiro tempo. Porque eu costumo dizer que o primeiro tempo qualquer equipe no mundo joga, o segredo é você administrar esse combustível para a segunda etapa. E aí, o Brasil conseguiu ter um nível de consciência maior. Nosso segundo tempo foi de ajuste, uma oxigenação maior por parte dos atletas, para compreender a tarefa que estava para ser feita. A gente fez um bom início, com detalhes para corrigir. O que é muito bom, está dentro do protocolo também. Mas acima de tudo uma vitória tira o peso da ansiedade da estreia. Isso é importante emocionalmente."

O duelo contra os poloneses foi o primeiro de quatro amistosos que o Brasil terá pela frente. No sábado (4), a Seleção volta a encarar os donos da casa e na sequência enfrenta a Sérvia, nos dias 6 e 8. Como cabeça de treinador não para nunca, o comandante da Canarinho projetou os próximos compromissos, que encerram a preparação para o Mundial. 

"A gente veio de um volume de praticamente 20 dias de treinamento. Há um certo exagero nas informações, porque a gente está sempre preocupado que está faltando alguma coisa. Eu acho que esse período agora é um período de acomodação. Você pode acomodar um pouco mais as informações para que elas possam representar algo mais efetivo no jogo. E também é muito natural que a Seleção tenha um comportamento diferente sempre no segundo jogo. E por que? Porque você tem mais informações. Essas informações são mais precisas do adversário, como ele jogou, e você precisa ajustar. A gente agora trabalha até o próximo jogo em cima dos dados, dos números. Em cima das análises quantitativas e qualitativas, porque às vezes os auxiliares percebem coisas que eu não consigo perceber. Porque é uma dinâmica muito grande. E aí a gente vai tentando fazer os ajustes. Significa que até o final do quarto jogo nós teremos um bom avanço. Uma boa evolução técnica e tática."

A Seleção Brasileira está no Grupo D da Copa do Mundo, ao lado de Vietnã, República Tcheca e Panamá. A estreia verde e amarela está marcada para o dia 13 de setembro contra os vietnamitas. 

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil