Brasil empata em duelos emocionantes e é campeão da Liga de Futsal

Brasil empata em duelos emocionantes e é campeão da Liga de Futsal

Após empate da equipe Sub-20 em 1 a 1, a equipe principal precisava apenas de mais um empate para conquistar o título e conseguiu em duelo emocionante

Neste domingo (16) a Liga Sul Americana de Futsal da Zona Norte, organizada pela Conmebol, conheceu seu grande campeão. No duelo da Sub-20, a missão colombiana era pontuar para que o profissional tivesse chance de título, e conseguiu manter o resultado do duelo em 1 a 1. Na sequência, um confronto emocionante que mostrou aos torcedores o porque "o jogo só termina quando o juiz apita". 

A batalha no Sub-20

O início de jogo começou forte como esperado. A Seleção colombiana não podia dar chance para o Brasil e precisava sair da Arena Carioca 1 com pelo menos um ponto para manter viva a esperança de título. Caso vencesse, os brasileiros teriam maiores chances para ser campeões, pois só perderiam o título se saíssem derrotado por uma diferença grande de gols. 

E como prometido, a Colômbia foi para cima. Aos três minutos iniciais, Eduardo Garcia chuta cruzado e Francisco Stiven não alcançou. Dois minutos após, outra chegada colombiana. Richard Rios rouba a bola e toca em profundidade para David Santiago, que chutou para fora. Na saída de bola deste mesmo lance a Seleção brasileira sai jogando errado e Bryan Zapata chuta por cima. Os brasileiros aparentavam dificuldades, contudo, o primeiro lance mais perigoso da partida veio para equilibrar o duelo. Richard Henrique cobrou escanteio curto e Alisson neves chuta no travessão. O primeiro tempo se manteve com lances perigosos para ambas as equipes, mas sem gols. 

No segundo tempo a situação foi diferente. Logo aos cinco minutos a equipe brasileira realiza uma troca de passes rápida e o craque e capitão Higor Ribeiro chuta no ângulo, sem chances para Dany Sierra. Mas a alegria brasileira durou pouco tempo. No minuto seguinte, em saída de bola errada, os colombianos recuperaram a posse e Felipe Ângulo empata. Desde então foi ataque contra defesa, e o arqueiro colombiano fez seu nome no fim do jogo com defesas inacreditáveis garantindo o empate, jogando a responsabilidade para a equipe profissional. 

Dany Sierra abraçando seus companheiros da Colômbia Camisa 12, Dany Sierra, salvou a equipe Sub-20 colombiana no fim do confronto contra o Brasil
Créditos: Lucas Lima/CBF

A grande decisão

E o primeiro tempo começou eletrizante. Aos três minutos de jogo o Brasil abre o placar. Em cobrança de escanteio ensaiada o camisa 14, e artilheiro da noite, Rodrigo, estufa as redes colombianas. Mas, assim como no Sub-20, a alegria brasileira durou pouco tempo. Angellot Alexander recebe um lançamento e escora para o meio, Marcel tentou o corte mas acabou jogando contra o próprio gol. O duelo se manteve estudado com mais chances para os colombianos, mas sem lances de muito perigo. A emoção ficou para a segunda etapa. 

No início do segundo tempo, aos dois minutos, em uma triangulação colombiana Sabastian Camilo vira a partida para 2 a 1, resultado que daria o título para sua equipe. Mas, Marcel se redimiu. O camisa 11 driblou três adversários e deixou Rodrigo livre para empatar o confronto, logo aos sete minutos. Mas, a Colômbia precisava da vitória e foi em busca dela. E em um contra ataque o camisa 15, Felipe Echeverry, deixou 3 a 2 para os visitantes, aos onze minutos. O jogo se encaminhava para o fim e, aos quinze minutos, o que parecia ser o tiro fatal. Em um lance que a equipe brasileira reclamou de pênalti sofrido, os colombianos puxaram um contra ataque para que o camisa 7, Jonathan Andres, ampliasse o placar para 4 a 2. 

Mas, o jogo só acaba quando o juiz apita. Marcel se tornou goleiro linha e a pressão brasileira tomou conta do jogo. Faltando apenas quarenta e três segundos para se encerrar o confronto, Douglas se embola com o goleiro e toca para Matheus diminuir para a Seleção Brasileira. Então, ataque verde amarelo. Faltando nove segundos para que os colombianos se sagrassem campeões, uma falta no ataque. Poderia ser algo que não se preocupasse, mas, os visitantes haviam estourado o limite de cinco faltas. Ou seja, chute em nove metros de distância do gol. E o artilheiro da manhã, Rodrigo, venceu o goleiro Jose Esteban e fez o gol do título brasileiro. 

Marcel, camisa 11 da Seleção Brasileira Gol contra, jogadas lindas e goleiro linha no fim. Marcel foi um dos principais nomes brasileiros na conquista deste domingo (16)
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Abre aspas

Um dos principais jogadores em campo, o camisa 11 Marcel analisou o quão difícil e corrido foi o seu ano e dos atletas do Sorocaba, clube que defende, mas também ressaltou a luta dos jogadores e a felicidade pelo título 

– Nosso desempenho foi bom, poderia ser melhor. Tivemos muitas dificuldades mas a gente tem que levar em consideração o final de ano, e a temporada pesada e cansativa. Nós fizemos, pelo menos minha equipe de Sorocaba, cem jogos no ano, então, sinceramente, jogamos no limite da exaustão. Mas sabíamos seria um grande jogo hoje, que seria uma grande final. Infelizmente acabou com o empate, queríamos terminar com vitória e aí sim saber que formos campeões. Ficamos tristes pelo fato, mas feliz pelo desempenho – ressaltou o camisa 11 da Seleção Brasileira. 

Marcel teve a infelicidade de fazer um gol contra no início do jogo, mas com lindas jogadas e uma assistência , pode ser considerado, junto de Rodrigo, um dos destaques da equipe brasileira neste jogo. 

– Foi um ótimo jogo. Nas jogadas a gente vai fazendo no improviso, com pouco espaço, tem que ter habilidade, tem que pisar. Sobre o posicionamento do Rodrigo, a gente já se conhece há bastante tempo, e ele se posicionou bem para que eu pudesse dar o passe para ele – analisou Marcel. 

Nos minutos finais, diante da dificuldade e da busca pelo placar, o ala brasileiro se tornou goleiro linha. Tomou alguns sustos, como o gol que o camisa 10 colombiano, Angellot Alexander, perdeu sozinho. Mas ajudou muito na busca pelo empate. 

– Em relação ao goleiro linha é uma coisa que a gente trabalha. As vezes eu faço o goleiro linha quando o Falcão não está na minha equipe, então é uma coisa trabalhada. Conseguimos fazer o gol, tivemos diversas chances e a gente sai daqui feliz hoje – concluiu o ala da Seleção Brasileira. 

Nesta tarde

Pela parte da tarde, confrontos que apenas cumpriram tabela. Pelo Sub-20, a Seleção do Peru venceu a Venezuela por 4 a 3, com dois gols de Diego Joshemar (1/16' e 2/15'), e Pablo Máximo (2/ 5' e 2/10'). Os marcadores do adversário, que saiu derrotado, foram Bryan Erick (2/7'), Carlos Angelo (2/9') e Abdon Anibal (2/12'). No jogo seguinte, fechando a tabela, empate. Os peruanos abriram o placar, com Juan Pablo, logo aos 8 minutos da primeira etapa. Dois minutos depois, Xavier Abram, camisa 10 da equipe peruana, ampliou. Contudo, 23 segundos depois, Wilson Alejandro diminuiu para os venezuelanos. Logo no início da segunda etapa Dario Javier empatou o confronto, mas Xavier Abram voltou a marcar e deixou a equipe peruana novamente na frente do marcador. Faltando 9 minutos para o fim do duelo, Luis Jose empatou novamente e deu números finais ao confronto, 3 a 3 para Venezuela e Peru. 

 

 

 


Veja mais

PATROCINADORES

Seleção Brasileira