Após vitória, Sandry quer Brasil com a mesma postura contra a Nova Zelândia

Após vitória, Sandry quer Brasil com a mesma postura contra a Nova Zelândia

Meia da Seleção Brasileira exaltou o ritmo de jogo imposto pelo time na goleada sobre o Canadá e projetou confronto com neozelandeses

Titulares foram para academia após a vitória na estreia do Mundial Sub-17. Sandry e Pedro Lucas Titulares foram para academia após a vitória na estreia do Mundial Sub-17. Sandry e Pedro Lucas
Créditos: Alexandre Loureiro/CBF

O trabalho não para na Seleção Sub-17. Após a vitória por 4 a 1 sobre o Canadá, os jogadores que não começaram a partida foram a campo para treinar neste domingo. Enquanto os titulares faziam uma atividade regenerativa na academia, os reservas tiveram um treino intenso no gramado no CT do Ceilândia.


Um dos três jogadores que entraram durante a partida contra o Canadá, o meia Sandry elogiou o desempenho brasileiro na estreia. Para ele, repetir esta atuação é a fórmula ideal para o duelo desta terça-feira, contra a Nova Zelândia.

- A gente fez uma boa partida, impôs nosso jogo, como o Guilherme (Dalla Déa) havia pedido. No segundo tempo, conseguimos manter a posse de bola. Os nossos analistas mandam antes das partidas o estilo de jogo deles. Mas tentamos sempre manter nosso ritmo. Nosso objetivo é sempre vencer, ainda mais com essa chance de classificação para a segunda fase - destacou o meio-campista.

Acionado durante o segundo tempo da vitória sobre o Canadá, Sandry pôde sentir na pele a atmosfera especial que a torcida brasileira proporcionou. Mais de 11 mil pessoas lutaram contra uma forte chuva para apoiar a Seleção na estreia do Mundial Sub-17:

- Arrepia, na base a gente não está acostumado com essa torcida. Eles nos ajudaram muito para nossa vitória. Nós também fizemos o jogo ficar fácil, controlamos o ritmo da partida e conseguimos sair com os três pontos.

O Brasil volta a campo na próxima terça-feira, contra a Nova Zelândia, no Bezerrão. Com o resultado sobre o Canadá, a Seleção é líder do grupo ao lado de Angola, mas com maior saldo de gols.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira