Júlio César recorda participação em Mundial Sub-17 e dá recado a geração atual

Júlio César recorda participação em Mundial Sub-17 e dá recado a geração atual

Ídolo esteve em Brasília para evento de promoção da Copa do Mundo FIFA Sub-17 e falou sobre jogar pela Seleção Brasileira

Julio Cesar participa de evento da FIFA sobre Mundial Sub-17 Julio Cesar participa de evento da FIFA sobre Mundial Sub-17
Créditos: Bruno Pacheco /CBF

O ex-goleiro e ídolo da Seleção Brasileira, Júlio César, esteve em Brasília para participar de evento promovido pela FIFA sobre o Copa do Mundo Sub-17 2019. Na manhã desta quinta-feira (29), a entidade máxima do futebol reuniu técnicos das seleções participantes do Mundial e a imprensa para tratar de temas que envolvem a estrutura da competição. Classificado como um FIFA Legend, ou Lenda do Futebol, Júlio foi a atração principal do evento. Ao lado do taça que premiará o vencedor da edição 2019, o ex-camisa 1 do Brasil falou sobre o peso de vestir a camisa brasileira e recordou sua participação no Mundial Sub-17 de 1995, quando foi vice-campeão. 

– Com certeza é uma emoção muito grande ser convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira. Você pensa em ser jogador, passar por um clube, fazer um teste, ser federado ou atuar por algum time. Chegar até a Seleção Brasileira é uma coisa formidável. Ter participado do Mundial da categoria em 1995 foi algo especial para mim – relembrou o goleiro.

Em 1995, Júlio César esteve no Mundial Sub-17 do Equador, quando conquistou o vice-campeonato. Ele falou sobre aquela experiência e como os atletas podem aproveitar um torneio desse porte para construir uma carreira vitoriosa no futuro.

– O mais importante quando se tem 17 anos e está compondo uma Seleção Brasileira é ter controle emocional e psicológico grande, pois isso pode ser traiçoeiro. Pode mexer com o atleta. Achar que ele já é o tal, o grande jogador. Não é bem por aí. Já representei o Brasil com muitos colegas que não conseguiram vingar. Não vou dizer que foi por esse motivo, mas é uma coisa que tem que estar em alerta. Porém, com certeza, você fica com uma bagagem diferente dentro do clube, as pessoas te olham diferente, pois sabem que você tem alguma coisa de especial. O mais importante quando esses momentos chegam é manter os pés no chão – orienta.

O ídolo brasileiro já teve a oportunidade de jogar uma Copa do Mundo em casa, em 2014, e deu algumas dicas:

– Administrar bem a ansiedade e o nervosismo, que são normais e inevitáveis quando você joga um Mundial em casa. Sabemos que a cobrança é muito grande, mas espero que a comissão técnica prepare o ambiente para que os atletas possam desenvolver o melhor futebol dentro de campo.

Com o grande investimento dos clubes do Brasil no futebol de base, o país tem revelado cada vez mais jogadores. Percebendo a mudança na estrutura para os jovens, Júlio frisou a importância do processo.

– Acho que é importante investir na base, pois é o futuro do futebol. Hoje, você vê grandes clubes tendo uma gestão mais profissional do que amadora. Com isso, só quem tem a ganhar é o futebol brasileiro. Estamos melhorando bastante nesse aspecto – opinou.

O Mundial Sub-17 começa no dia 26 de outubro, quando o Brasil encara o Canadá, às 17h, no Bezerrão (Gama-DF). A competição também passa pelos estádios Olímpico e Serrinha (Goiânia-GO) e Kléber Andrade (Cariacica-ES). Os ingressos começam a ser vendidos nesta sexta-feira (30) no site da FIFA.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports