Dalla Déa elogia disciplina tática do Brasil Sub-17 diante da Itália

Dalla Déa elogia disciplina tática do Brasil Sub-17 diante da Itália

Técnico da Seleção valorizou comportamento tático da equipe contra os europeus e projetou duelo com a França

Brasil x Itália - quartas de final Copa do Mundo Sub-17 2019 Brasil x Itália - quartas de final Copa do Mundo Sub-17 2019
Créditos: Alexandre Loureiro/CBF

No maior desafio da Seleção Brasileira até aqui, um grande desempenho. Os meninos do Brasil mostraram força e derrotaram a Itália por 2 a 0 nas quartas de final do Mundial Sub-17. O técnico Guilherme Dalla Déa gostou do que viu.

Na entrevista coletiva após a partida, o treinador exaltou o comportamento da equipe dentro de campo. Sem o atacante Talles Magno e sem o meia Diego Rosa, Dalla Déa promoveu Pedro Lucas e Talles Costa ao time titular. E diante de um adversário fortíssimo, a Seleção soube ganhar o jogo.

- A nossa equipe mostrou uma disciplina tática fantástica. Nós sabemos que a maioria das seleções, quando saem vencendo, naturalmente descem um pouco mais o bloco e jogam de uma forma diferente. Tínhamos estudado muito a seleção da Itália. É uma equipe que se impõe muito na parte física, mas a gente conseguiu neutralizar - analisou.

A Seleção mostrou, ao longo dos 90 minutos, muita maturidade. Mesmo nos momentos mais complicados, soube se comportar, mostrou variações e controlou o adversário.

Segundo as estatísticas pós-jogo da FIFA, a Itália só conseguiu chutar duas bolas em direção ao gol brasileiro. Isso foi exaltado pelo técnico Dalla Déa, que creditou o dado à disciplina do Brasil.

- Eu tenho que parabenizar o grupo de atletas que aqui estão, são jogadores altamente inteligentes, de qualidade técnica. Estamos partindo para um quinto adversário, cada um deles com uma escola diferente. Temos adaptações táticas e os meninos mostraram sabedoria para enfrentar a Itália. Nós fomos muito precisos, tivemos 16 finalizações, praticamente a metade delas no gol. A Itália gosta de criar uma superioridade numérica por dentro, isso muitas vezes dificultou a nossa pressão.

Agora, a Itália já é passado. Nas semifinais, o Brasil enfrentará a França, outra tradicional equipe europeia. O jogo está marcado para a próxima quinta-feira, no Bezerrão, no Distrito Federal, às 20h.

Os franceses são os únicos que também têm 100% de aproveitamento no Mundial, além do próprio Brasil. Dalla Déa prevê um grande embate, mas confia na capacidade da Seleção.

- São duas seleções fortes, que chegam com 100% de aproveitamento. Esperamos demonstrar mais uma vez sabedoria e concentração como mostramos na partida de hoje.  França também tem que se preocupar, porque temos jogadores construtores, como o Yan vindo pelo lado, de repente o Lázaro, Talles Costa, Pedrinho. Temos que pensar estrategicamente para o jogo de quinta-feira.

Confira outros trechos da entrevista coletiva

Entrada de Pedro Lucas

Com o Pedrinho a gente ganha no meio-campo> Na partida de hoje ele mostrou a sabedoria que citamos ontem. Ele entrou muito tranquilo, porque sabe a importância de estar no nosso grupo.

Recuperação de Patryck

O Patryck, primeiramente, eu precisava preservar o atleta. Era preocupante, mas nosso departamento médico é fantástico. Nós sabíamos que ele estava 100% quando entrou em campo, fez uma grande partida. É uma coisa determinante na partida de hoje, mostramos a força mesmo errando muitos passes.

Posse de bola

Muitas vezes, o número de posse pode ser menor, como foi, e nós sermos efetivos. Muitas vezes não vamos conseguir controlar o jogo. Mas é importante saber sofrer sem tomar finalizações ou chutes a gol. Tivemos apenas duas finalizações no nosso gol em 95 minutos de partida. Isso mostra o equilíbrio que a nossa equipe tem. A gente sabe que tem jogadores de velocidade. Não vou abrir mão dessa construção. O Pedrinho é um jogador construtor, em alguns momentos a gente não conseguiu. O jogo contra a França vai ser diferente. É mais uma equipe europeia e vamos ter que saber jogar o jogo.

Apoio da torcida

Agradecer à cidade de Goiânia e todo seu entorno. Parabenizar a torcida, que foi fundamental. Quando você apresenta um futebol versátil, que é a nossa essência, a torcida vem. É natural ela participar junto. Saímos daqui agradecidos à cidade de Goiânia. Temos certeza que em Brasília a torcida vai nos acompanhar e passar essa energia positiva. Nós tivemos quatro dias de descanso, sabíamos que seria um jogo muito de embate físico. Agora é pensar em recuperar os nossos atletas.

Retorno de Yan

Yan é um jogador que a gente sabe que tem uma importância muito grande na nossa equipe. Mas ele, no lado direito entre ele e o Veron, eles têm uma combinação de jogadas. O Yan é um jogador muito ofensivo no último terço, com um bom enfrentamento. Todos os atletas que estão aqui são altamente versáteis. Podendo utilizar o Yan como lateral, como meio-campista. Na Copa do Mundo são apenas 21 atletas às vezes temos que priorizar a versatilidade.

Mudança tática de Peglow

Após o Sul-Americano, trouxemos novos jogadores para observarmos. O Peglow jogou muito no Sul-Americano pelo lado do campo. Com a chegada do Talles Magno, criamos essa relação entre os dois. Hoje ele voltou a atuar pelo lado, mas em alguns momentos eu pedi para ele vir por dentro. O Peglow hoje cumpriu taticamente o que nós pedimos. Ele soube dar o timing da nossa equipe, para que ela fosse mais compacta. Eu gostaria de enaltecer a linha defensiva. Os dois zagueiros foram agressivos ao portador da bola e mais uma vez a Seleção conseguiu jogar compactada.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports