Brasil conta com o talento de Igor para derrotar Chile e chegar à final da Copa América

Brasil conta com o talento de Igor para derrotar Chile e chegar à final da Copa América

Seleção enfrenta os chilenos neste sábado (28), às 16h30, pela semifinal do torneio continental

Brasil conta com o talento de Igor para derrotar Chile e chegar à final da Copa América Brasil conta com o talento de Igor para derrotar Chile e chegar à final da Copa América
Créditos: Staff Images/Conmebol

O Rei das Bicicletas. Se o pivô da seleção brasileira Igor quisesse abrir um negócio próprio em paralelo à sua carreira de jogador de beach soccer, esse nome seria perfeito. O desempenho do atacante do Flamengo-RJ na Copa América 2022 vem impressionando pelo seu talento em fazer lindos gols de bicicleta, um recurso bastante utilizado no futebol de areia, é verdade, mas nem sempre com a efetividade do camisa 9. Dos seus 5 gols marcados até agora na competição, 4 foram dessa forma e 1 de pênalti. Por isso, a Seleção Brasileira conta com ele para sair de campo com a vitória sobre o Chile neste sábado (28), às 16h30 (horário de Brasília), pela primeira semifinal da competição mais importante do continente. O Sportv transmite ao vivo e com exclusividade.

Com 23 gols marcados com a camisa canarinho desde que estreou pela Seleção, em setembro de 2018, Igor já provou seu talento nato para a posição. Não só pela habilidade e eficiência em fazer gols, mas também em servir seus companheiros, outra tarefa importante para quem atua no setor de ataque. Na Copa América já foram 6 assistências, além dos 5 gols marcados. Ou seja, dos 25 gols que o Brasil fez até o momento, Igor participou diretamente de 11, chegando à marca de 44% de presença nas jogadas que terminaram com a bola no fundo das redes adversárias.

“Todo jogador dá o máximo de si quando está lá dentro da arena. Comigo não é diferente. Em cada partida entro muito concentrado e focado no que o professor Marco Octavio quer que eu desempenhe em prol do time, e dou meu máximo para ser eficiente. Graças a Deus e com a ajuda dos meus companheiros, é claro, as coisas têm indo bem e os resultados positivos estão aparecendo. Que continue assim na partida contra o Chile”, disse o jogador com a maturidade de seus 34 anos, mirando o duelo da semifinal deste sábado.

Nascido em Niterói, cidade litorânea do estado do Rio de Janeiro, Igor também é professor de futevôlei na escola Team Águia do espaço Califórnia Beach Sports, no município de São Gonçalo, vizinho a Niterói. É lá que o pivô aproveita para refinar sua jogada mais letal, enquanto ensina aos seus alunos.

“O futevôlei exige uma leitura rápida da jogada com a bola no alto, além de treinar muito a habilidade de ajeitar a bola com o pé para o alto, matar a bola no peito, ter o controle com a cabeça também. Então eu executo esses movimentos muitas vezes nas minhas aulas. Como o piso é o mesmo, a areia, trago para o beach soccer esses gestos e consigo ajustar bem a altura da bola de acordo com a melhor posição para eu dar a bicicleta. Aí, se o pé pega certo na bola, complica demais para o goleiro adversário porque ela vai muito rápida”, explica o professor.

Agora, seus companheiros de time e toda a torcida brasileira espera que o pé do camisa 9 siga bem calibrado e que ajude ainda mais a Seleção Brasileira a chegar ao tricampeonato da Copa América de beach soccer.


Veja mais

PATROCINADORES

Seleção Brasileira