Artilheiro do ciclo olímpico, Matheus Cunha exalta coletividade da Seleção Brasileira

Artilheiro do ciclo olímpico, Matheus Cunha exalta coletividade da Seleção Brasileira

Maior goleador deste ciclo olímpico, com 16 gols marcados, Matheus Cunha ressalta a importância dos companheiros nos seus números individuais.

Coletiva de imprensa com Matheus Cunha, atacante da Seleção Olímpica Coletiva de imprensa com Matheus Cunha, atacante da Seleção Olímpica
Créditos: Divulgação / CBF

Neste ciclo olímpico ninguém balançou mais as redes pela Seleção Brasileira do que Matheus Cunha. Ao todo, foram 16 gols marcados que o elevaram ao posto de artilheiro deste período sob o comando do técnico André Jardine. Mas, de acordo com o atacante, o destaque individual de cada atleta é consequência do sucesso coletivo e da união da equipe.

Durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (2), Matheus Cunha exaltou a importância de seus companheiros de Seleção. Tranquilo em ser uma das principais esperanças de gol da Seleção Olímpica em Tóquio, o artilheiro da Canarinho pretende fazer o torcedor brasileiro vibrar ainda mais ao longo da trajetória da equipe em busca do bi olímpico.

“Isso é natural (pressão por gols). Eu, sem dúvidas, não seria o artilheiro desse ciclo olímpico sem a participação dos meus companheiros e de todos que participaram desse processo. Fico esperando que durante a Olimpíada seja da mesma forma (risos). Isso (expectativa) não atrapalha ninguém. O mais importante é que a gente entra para representar uma nação. Ainda mais sendo o Brasil, que com o futebol tem uma reputação muito grande. Então faremos o máximo para que possamos seguir bem e felizes, dando alegria aos torcedores. Com o grupo fechado, unido, que é o mais importante para, no final das contas, sairmos vitoriosos. Espero continuar também mantendo uma média de gols bacana por aqui”, declarou o atacante do Brasil.

O primeiro desafio da Seleção Olímpica na defesa do ouro olímpico é diante de um velho conhecido: a Alemanha. O duelo de estreia no torneio reeditará, inclusive, a final de 2016, no Maracanã, quando o Brasil conquistou a tão sonhada medalha de ouro pela primeira vez. Habituado ao futebol alemão, onde já atua há três temporadas consecutivas, Matheus Cunha garante que pretende ajudar a comissão técnica também fora de campo, com informações que possam ajudar durante a preparação para a partida.

“Sobre a Alemanha, sem dúvidas nenhuma, a gente conhece bem. Conheço alguns jogadores que podem ser convocados. A gente fica especulando alguns, já que não saiu a lista ainda (da Alemanha), as vezes mando mensagens para alguns companheiros de clube que possam estar lá (em Tóquio). Então sobre o futebol alemão estaremos sempre atentos, no que pudermos compartilhar para ajudar, dar informações, até por estar lá dentro. Eu e Paulinho já temos um certo tempo da Alemanha, então já conhecemos melhor a mentalidade deles. Mas acredito que o mais importante é a nossa Seleção. Fazendo o trabalho bem feito, com bastante respeito”, afirmou Matheus Cunha.

A Seleção Olímpica está concentrada em São Paulo. Na última quinta-feira (1º), os primeiros atletas se apresentaram para iniciar os treinamentos junto à comissão técnica. Por ora, André Jardine tem a sua disposição atletas que atuam fora do país.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Guaraná Antártica VIVO ITAÚ Mastercard GOL CIMED SEMP TCL FIAT Pague Menos BitCi 3 Corações Techno Gym Stat Sports Kin Analytics Globus