André Jardine celebra vaga após jogo com 'cara de final’ para a Seleção Brasileira

André Jardine celebra vaga após jogo com 'cara de final’ para a Seleção Brasileira

Treinador vê alto nível do México e destaca postura ofensiva da Seleção nos 120 minutos

Seleção Olímpica mediu forças com o México pela semifinal da Olimpíada de Tóquio 2020. Jardine Seleção Olímpica mediu forças com o México pela semifinal da Olimpíada de Tóquio 2020. Jardine
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Uma semi com cara de final na busca pelo bicampeonato olímpico. Assim o técnico André Jardine viu a classificação da Seleção Brasileira diante do México, nesta terça-feira (3), em Kashima. Depois de um empate sem gols, o Brasil precisou da disputa por pênaltis para se classificar.

Apesar do empate e do sofrimento para conseguir a vaga, Jardine frisou que  a Canarinho jamais deixou de buscar a vitória.

“O time do México tem um alto nível e, para nós, foi um jogo com cara de final. É uma equipe que se defende muito bem, muito perigosa nos ataques nos flancos, com atacantes muito rápidos e dribladores. Isso nos exigiu uma concentração muito grande para não falhar em nenhum momento”, disse, enaltecendo a postura brasileira diante das dificuldades impostas pelos mexicanos.

“Eles usam muito a bola longa, a bola raspada, a bola de pivô, não correm riscos atrás, então estamos de parabéns pelo jogo que fizemos, porque corremos poucos riscos. Procuramos o gol o tempo todo, fizemos por merecer, e a classificação nos pênaltis, na minha visão, coroa a equipe que procurou, desde o primeiro momento, passar de fase e vencer o jogo”, avaliou.

Após dominar a partida e pecar nas finalizações, a Seleção não deu chances ao goleiro Ochoa nas penalidades. Com batidas seguras, Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier converteram suas cobranças. Jardine admitiu que estava ansioso, mas acreditava que os atuais campeões mereciam defender o título em Yokohama.  

“Técnico sofre demais nessa hora, mas é o que falei para eles na preleção e foi esse o sentimento que tive: a gente se cobra muito para merecer. Ao final do jogo, o sentimento era de que a gente merecia passar. E, pelas minhas experiências, sempre que a gente atinge esse merecimento dentro do jogo, as coisas nos pênaltis acontecem também”, disse.

Para deixar Jardine ainda mais confiante e abrir vantagem no placar, o Brasil contou com uma defesa importante de Santos logo na primeira batida dos mexicanos. O goleiro também estava bem colocado quando a segunda cobrança, de Vásquez, acertou a trave, e fez defesas importantes durante a partida. O comandante não poupou elogios ao jogador.

“O Santos é um goleiro de Seleção Principal. Hoje, ela está muito bem servida nessa posição. Os três que lá estão são do mais alto nível e, para mim, o Santos vem junto, buscando seu espaço também. Essa oportunidade aqui mostra que ele tem nível para estar lá. Era o melhor goleiro que tínhamos à disposição e ele vai fazer a diferença”, concluiu.

O Brasil decide a Olimpíada de Tóquio no próximo sábado (7), às 8h30 (horário de Brasília). O adversário será Japão ou Espanha, que se enfrentam às 8h desta sexta.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol semp tcl free fire kwai grupo cimed fiat pague menos bitci cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil