Brasil tem sua melhor campanha na história da Copa do Mundo Feminina Sub-20

Brasil tem sua melhor campanha na história da Copa do Mundo Feminina Sub-20

Com terceiro lugar conquistado diante da Holanda, Seleção igualou feito de 2006, mas superou números daquela edição

A Seleção Brasileira escreveu mais um capítulo de sua história na Costa Rica. O terceiro lugar na Copa do Mundo Feminina Sub-20, conquistado neste domingo (28), foi o melhor resultado do Brasil em todas as edições da competição. A posição iguala o feito de 2006, mas a campanha de 2022 ainda foi superior.

Ao todo, foram sete partidas, com cinco vitórias, um empate e uma derrota. O Brasil só não venceu o jogo de estreia, contra a Espanha (0 a 0), e a semifinal, contra o Japão (1 a 2). Curiosamente, as duas equipes foram as finalistas da Copa do Mundo, com as espanholas levando o título para casa.

Confira os grandes momentos da campanha da Seleção Brasileira na Copa do Mundo Feminina Sub-20!

#SempreJuntas


Do início ao fim da Copa do Mundo Feminina Sub-20, a Seleção Feminina mostrou toda sua união. E a coletividade da equipe foi regida sob um único lema: o #SempreJuntas. A mensagem ia da comissão técnica até as jogadoras e fazia do grupo todo uma coisa só. Foi assim que o Brasil soube se superar para conseguir um resultado histórico na Copa, com direito à melhor campanha de todos os tempos.

Disputa de terceiro lugar da Copa do Mundo Feminina Sub-20: Brasil x Holanda Mensagem de união e coletividade foi lema da Seleção Brasileira
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Zagueira artilheira


Um dos principais destaques do Brasil na Copa do Mundo Feminina Sub-20 foi a zagueira Tarciane. Ao lado de Lauren, a defensora formou uma das duplas mais respeitadas de toda a competição. Além de proteger a defesa, ela ainda ajudou o ataque brasileiro, com três gols marcados (dois deles na disputa do terceiro lugar, contra a Holanda). O desempenho rendeu a ela a Bola de Bronze da competição, dada à terceira melhor atleta de toda a Copa.

Disputa de terceiro lugar da Copa do Mundo Feminina Sub-20: Brasil x Holanda. Tarciane Tarciane foi premiada pela FIFA com a Bola de Bronze da Copa do Mundo
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Responsabilidade dividida


Apesar do brilho de Tarciane, a Seleção Brasileira dividiu bem os méritos ao longo da competição. Tanto que, com 13 gols marcados ao longo da competição, o Brasil teve nove jogadoras diferentes marcando: Aline, Ana Clara, Cris, Gi Fernandes, Mileninha, Pati, Priscila, Rafa Levis e Tarciane.

Semifinal da Copa do Mundo Feminina Sub-20: Brasil x Japão. Cris Cris marcou o gol diante do Japão
Créditos: Thais Magalhães/CBF

O comandante


O terceiro lugar na Copa do Mundo Feminina Sub-20 é fruto do trabalho de Jonas Urias e sua comissão técnica, com destaque especial para a auxiliar Jéssica Lima. O treinador conviveu com as dificuldades de um ciclo afetado completamente pela pandemia de coronavírus, mas soube seguir em frente para atingir seu maior objetivo: um resultado histórico para a Seleção Brasileira.

Disputa de terceiro lugar da Copa do Mundo Feminina Sub-20: Brasil x Holanda. Jonas Urias Jonas Urias, técnico da Seleção Feminina Sub-20
Créditos: Thais Magalhães/CBF

A campanha


Início com empate

Logo na estreia da Copa do Mundo, o Brasil tinha o que era tido como seu maior desafio na fase de grupos: a Espanha. Apesar da badalação ao redor da Fúria, a Seleção impôs seu jogo e, por pouco, não saiu com uma vitória de campo. O empate por 0 a 0 poderia ter sido um resultado melhor, mas mostrou que podia sonhar com coisas grandes na Costa Rica.

A primeira vitória

Na segunda rodada, veio uma importante e merecida vitória. Debaixo de muita chuva, o Brasil bateu a Austrália por 2 a 0 e encaminhou sua classificação para a próxima fase. Os gols da partida foram de Priscila e Aline, que abriram a contagem para o Brasil na Copa do Mundo.

Goleada para pegar no tranco

O último confronto da fase de grupos era contra as donas da casa. Mas a Seleção Brasileira não tomou conhecimento da Costa Rica. Com uma grande atuação, as comandadas de Jonas Urias aplicaram um 5 a 0 para carimbar a classificação para a segunda fase, que não vinha desde 2016. Rafa Levis (2), Mileninha, Pati e Aline marcaram.

Triunfo no clássico

Nas quartas de final, o Brasil enfrentou a Colômbia. As cafeteras tinham a força de Linda Caicedo, um dos maiores fenômenos do futebol feminino mundial. Melhor jogadora da última CONMEBOL Copa América, a colombiana tentou muito, mas não conseguiu superar a forte defesa brasileira, que mostrou toda sua solidez. De pênalti, Tarciane fez o único gol do jogo, garantindo a primeira classificação para as semifinais em 16 anos para o Brasil.

Um grande confronto

O duelo contra o Japão na semifinal prometia ser muito emocionante. Atuais campeãs mundiais, as japonesas buscavam defender o título, enquanto o Brasil sonhava com uma final inédita de Copa do Mundo Feminina Sub-20. A Seleção Brasileira lutou muito, chegou a empatar com o gol de Cris, mas acabou derrotada por 2 a 1, sofrendo o gol da derrota aos 38 minutos do segundo tempo.

O terceiro lugar

Após cair na semifinal, a Seleção Brasileira enfrentou a Holanda na disputa pelo terceiro lugar. E o Brasil conseguiu terminar a Copa do Mundo em uma nota alta. Com dois gols de Tarciane, um de Ana Clara e outro de Gi Fernandes, a Canarinho goleou as holandesas por 4 a 1 e garantiu o bronze, melhor resultado da história da Seleção em uma Copa do Mundo Feminina Sub-20 (igualando 2006).

PATROCINADORES

Seleção Brasileira Nike Guaraná Antartica Vivo Itaú Neoenergia Mastercard Gol Cimed Pague Menos TCL SEMP TechnoGym StatSports Kin Analytics Globus Italian Excellence