Raízes da Seleção: David Neres, de problema na escola a solução em campo

Raízes da Seleção: David Neres, de problema na escola a solução em campo

Jovem atacante da Seleção precisou driblar problemas no colégio para manter vivo o sonho de jogar futebol

David Neres no Raízes da Seleção David Neres no Raízes da Seleção
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

"Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração, toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão"... Os versos de Milton Nascimento e Fernando Brant foram escritos há mais de 50 anos, mas servem, até hoje, para explicar um espírito tipicamente brasileiro. Na Seleção Brasileira que disputa a Copa América, nenhum jogador representa melhor essa aura de moleque do que David Neres.

Aos 22 anos, o ponta traz para dentro de campo toda sua personalidade. Uma mistura de irreverência com um futebol leve por natureza. Quando Neres dribla, é como se estivesse rindo com as pernas, em uma expressão mais do que natural para ele. Mas, por trás desse perfil despreocupado, existia uma criança bem mais atentada. Era difícil entrar em uma dividida com o Dedê, como era conhecido no bairro de Perus, em São Paulo, durante a infância. O moleque era brabo, e, como ainda é em campo, não tinha medo de ninguém.

– Eu acho que eu sempre fui assim (descontraído). Quando eu era pequeno, era muito mais agitado, gostava de uma briga. Brigava todo dia. Na escola, na rua, eu não gostava de perder, de ser zoado. Tudo era motivo. Mas eu não entrava para perder. Se o cara fosse maior, tacava pedra (risos).

Jogando bola ou não, David Neres nunca teve uma personalidade comum. Sua carreira começou no São Paulo. Durante a passagem pelas categorias de base do Tricolor, no entanto, enfrentou dificuldades. A maior delas veio perto do momento em que se preparava para virar jogador profissional. Quando tinha apenas 17 anos, já morava no alojamento de Cotia, sede dos times de base do São Paulo. Mas ainda tinha que mostrar bom rendimento no colégio para se manter no Tricolor. Foi aí que um problema com a diretora da escola quase pôs tudo a perder.

Neres chegou atrasado em uma aula e os portões já estavam fechados. Junto com um amigo, foi chamado à diretoria. Em poucos minutos, a conversa com a diretora se transformou em uma discussão, que a levou a desconfiar dos dois. Em dado momento, segundo David, ela passou a levar a questão para o lado pessoal e não considerou mais as explicações dos jovens. A expulsão veio no mesmo dia. Sem estudar, ele não podia mais morar no alojamento de Cotia, e precisou se desdobrar para manter vivo o sonho de jogar futebol.

– Fiquei um tempo sem jogar por conta disso. Eu treinava todo dia com o time C, com os meninos de teste, e não podia jogar. Foi muito difícil para mim, ia, fazia um caminho longo (de Perus até Cotia), me dedicava, mas sabia que no fim de semana não poderia jogar. Pensei bastante em desistir, em ir embora do São Paulo, procurar outra equipe. Mas isso também me fortaleceu muito porque eu treinava com vontade, queria mostrar que eles estavam errados. Durante essa época, todo treino eu ia e mostrava que era um dos melhores – lembrou.

Esse percalço poderia ter feito David Neres ficar pelo caminho, mas só o fez mais forte. Foi por conta dos problemas no futebol que o atacante percebeu o quanto era importante crescer fora de campo também. Reintegrado depois de um tempo às divisões de base do São Paulo, teve a oportunidade e não desperdiçou. Virou profissional e se transformou em mais um dos grandes jogadores revelados em Cotia.

– A ficha caiu quando eu comecei a jogar mesmo no São Paulo. Antes, eu estava ali, treinava, mas pensava que era impossível chegar, que tinha muito jogador na minha frente, não só no São Paulo como no resto do mundo. Mas a partir dos 17, 18 anos, eu passei a acreditar, a focar no meu sonho – disse.

David Neres não demorou a mostrar a que veio no futebol. Depois de virar profissional, teve uma evolução meteórica na carreira. Foi convocado para defender a Seleção Brasileira Sub-20 no Sul-Americano de 2017. Transferiu-se para o futebol holandês, onde passou a jogar pelo Ajax. Foi lá que chamou a atenção do técnico Tite. Na última UEFA Champions League, brilhou no jogo que destronou o Real Madrid, então tricampeão do torneio, nas oitavas de final da competição.

Hoje na Seleção Brasileira para a Copa América, David Neres quer o título para brindar um momento especial em sua vida. Nem parece que, há cerca de cinco anos, estava na sala da diretoria para debater o seu atraso. De criador de problemas a solução, Dedê viu florescer seu sonho, e tenta dar sequência para que ele seja cada vez mais real.

– Todo jogador tem o sonho de jogar por sua Seleção. Estar aqui é fantástico. Espero que tudo isso seja coroado com um título, que seria algo inesquecível. Quero me manter jogando bem, dar o meu melhor aqui, para lá na frente representar o Brasil também.

Retrato David Neres David Neres quer título para coroar momento com a Seleção
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

PATROCINADORES

Seleção Brasileira nike guarana antarctica vivo itau mastercard voe gol bitci free fire kwai grupo cimed fiat pague menos semp tcl cafe 3 corações techno gym stats ports kin analytics globus brasil