Gabriel Jesus se prepara forte para encarar uma Argentina 'para cima'

Gabriel Jesus se prepara forte para encarar uma Argentina 'para cima'

Dono de autocrítica singular, jovem Gabriel Jesus se inspira no adversário Sérgio Aguero para evoluir como atacante e voltar a marcar gols pelo Brasil

Treino da Seleção Brasileira no Pacaembu. Gabriel Jesus

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Jesus é incansável. Nos treinos da Seleção Brasileira é um dos primeiros a ir para o campo e um dos últimos a sair. Está sempre querendo dar um chute a mais ao gol ou propor um desafio a algum companheiro. Tudo para ficar mais tempo com ela: a bola. Tanta dedicação tem uma explicação. O camisa 9 é dono de uma autocrítica não tão comum aos jovens de sua idade. Busca sempre se superar, evoluir e melhorar a cada dia. Sabe que só assim poderá ser mais efetivo nos jogos. 

Artilheiro da Seleção Brasileira sob o comando do técnico Tite, com 16 gols, Gabriel chegou a Copa América embalado pelos três gols e as boas atuações nos dois amistosos preparatórios do Brasil, contra Catar e Honduras. Ainda não marcou seu gol na Copa América. Mas protagonizou um dos momentos mais cruciais para o Brasil na competição. Com frieza e competência, converteu o último pênalti contra o Paraguai e garantiu a vaga nas semifinais.

Diante da Argentina, na próxima terça-feira (2), Gabriel terá mais uma oportunidade de mostrar que todo o trabalho intenso no dia a dia continuará o recompensando. E o exemplo vem do companheiro de Manchester City e adversário na semifinal da Copa América. O atacante argentino Sérgio Aguero.

– Hoje eu busco finalizar mais e venho treinando muito no meu clube e aqui na Seleção Brasileira. Foco muito para melhorar a minha finalização. Vejo lá meu clube mesmo, o próprio Aguero, que finaliza muito ao gol. É um dos melhores centroavantes – elogia.

Contra a Argentina, Gabriel espera que o Brasil possa impor o seu jogo e, principalmente, melhorar na pontaria. A Seleção Brasileira é a que mais cria situações de gol na competição. Mas em dois jogos ficou no 0 a 0, contra a Venezuela e Paraguai. Jesus acredita que os hermanos não ficarão só se defendendo, o que pode gerar mais oportunidades para o ataque canarinho.

– Tratam-se de duas seleções gigantes. Por causa do momento e por jogar em casa, nós temos mais pressão para ganhar. Mas a Argentina também precisa muito vencer. Não acredito que eles vêm para se defender. Tem jogadores de ataque muito bons. Eles virão para cima.

Gabriel começo a Copa América  como reserva e conquistou uma vaga no time titular jogando pelos lados do ataque, diferente do seu melhor momento na Seleção, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, quando jogava mais centralizado. Jesus admite se sentir bem jogando em qualquer posição no ataque, e fez um resumo de sua carreira para justificar essa facilidade.

– Eu comecei minha carreira jogando aberto na esquerda. Subi para o profissional e fui para a Seleção sub-20 jogando aberto. Com o Cuca (ex-técnico do Palmeiras) jogava de segundo atacante e logo virei centroavante. Depois fui para a ponta e tive rendimento melhor. Me sinto confortável jogando de ponta, mas estou à disposição do treinador. Consigo fazer as duas funções. Óbvio que tenho mais intimidade jogando nas pontas porque é onde joguei mais na minha carreira. Não tenho que escolher, não tenho preferência, onde o professor me colocar eu quero entrar e dar o meu melhor.

Gabriel Jesus e a Seleção Brasileira enfrentam a Argentina pela semifinal da Copa América nesta terça-feira (2), no Estádio do Mineirão, às 21h30.

PATROCINADORES

Seleção Brasileira