Gerson comemora evolução na Fiorentina: "Pronto para qualquer desafio"

Gerson comemora evolução na Fiorentina: "Pronto para qualquer desafio"

Em exclusiva ao site da CBF, Gerson falou sobre os anos na Itália e os planos para o futuro

Defendendo as cores da Fiorentina Gerson tem três gols e três assistências no Campeonato Italiano Defendendo as cores da Fiorentina Gerson tem três gols e três assistências no Campeonato Italiano
Créditos: Reprodução/Instagram

Não é o Canhotinha de Ouro. Mas também foi com o pé esquerdo que Gerson Santos da Silva apareceu para o futebol brasileiro vestindo a camisa do Fluminense. A velocidade que demonstra dentro de campo o acompanhou fora das quatro linhas e, das Laranjeiras, foi direto para a Roma, com apenas 18 anos.

— Na minha vida tudo aconteceu muito rápido. O bom desempenho na base do Flu, a ascensão para os profissionais e posteriormente a saída para a Roma. O futebol italiano é um futebol muito diferente do brasileiro. Um jogo mais pegado. Como todo e qualquer atleta, precisei de um tempo para a adaptação, mas hoje me sinto totalmente confortável e adaptado ao país e ao estilo de jogo.

O início da trajetória internacional não foi fácil e o meia sabia exatamente o que teria que enfrentar para conquistar seu espaço. E nem mesmo o pouco número de jogos disputados na primeira temporada o fez mudar de ideia.

— Nunca pensei em voltar ou desistir. Quando cheguei a Roma tinha preparado todo um projeto pra mim. O primeiro ano seria de adaptação com inserção em jogos dos profissionais e alguns nos juniores, o segundo eu teria mais oportunidade e participaria definitivamente do elenco profissional e o terceiro seria aquele que eu jogaria mais. No meu segundo ano participei ativamente de toda a campanha na Champions em que chegamos as semifinais. E agora tenho tido sequência aqui na Fiorentina. Foi tudo muito bem programado e definido. 

 

"Me sinto preparado para qualquer desafio. Taticamente sou um jogador muito mais completo hoje"

 

A persistência e o planejamento deram certo. Desde 2016 na Itália, Gerson aprendeu tudo que pôde e aplicou ao futebol e à vida. 

— Enxergo uma evolução notória. Como jogador e também como ser humano. Me sinto preparado para qualquer desafio. Taticamente sou um jogador muito mais completo hoje. Consigo exercer com facilidade diversas funções dentro de campo e em todas com o entendimento de jogo. O futebol italiano é uma grande escola. Sou muito grato por jogar aqui. Espero seguir evoluindo técnica e taticamente.

Na atual temporada, o meia trocou a Roma pela Fiorentina. Jogando por empréstimo no time de Florença, participou de 32 dos 34 jogos da equipe no Campeonato Italiano.

— É uma temporada até aqui muito boa. Além de sequência tenho tido boas atuações individuais e, como já havia acontecido na Roma, atuando e aprendendo outras funções dentro de campo. É uma das melhores temporadas minha na Itália. A recepção que tive do clube de maneira geral e dos torcedores facilitou muito minha adaptação. Sobre voltar a Roma ou continuar na Fiorentina, no momento não tenho pensado nisso. Quero terminar essa temporada da melhor maneira e depois sentar e pensar no futuro - disse o jogador, que também comentou sobre ter seu nome vinculado ao Flamengo, em dezembro de 2018. 

— Em relação a ter meu nome ligado a grandes equipes do futebol brasileiro é, sem dúvida, a demonstração de que o trabalho tem sido bem feito.

Gerson participou de 32 dos 34 jogos da Fiorentina no Campeonato Italiano, sendo titular em 25 Gerson participou de 32 dos 34 jogos da Fiorentina no Campeonato Italiano, sendo titular em 25
Créditos: Reprodução/Instagram

Mesmo sem saber qual o destino da próxima temporada, Gerson tem como meta um sonho:

— Tenho um objetivo bem claro de estar presente nas Olimpíadas de 2020 com a seleção brasileira. É, sem dúvida, meu grande sonho do momento. Estou focando em terminar bem essa temporada para me aproximar desse objetivo. Seria um grande sonho realizado representar a seleção em um torneio tão importante. Estive presente diversas vezes nas seleções de base e nutro esse sonho de representar meu país nas Olimpíadas.