Flamengo e Grêmio duelam por final da Libertadores nesta quarta-feira

Flamengo e Grêmio duelam por final da Libertadores nesta quarta-feira

Equipes entram em campo nesta quarta-feira para o segundo jogo da semifinal. Quem avançar encara o River na grande decisão

No Maraca, Flamengo e Grêmio duelam por uma vaga na decisão da Libertadores

Créditos: Jeferson Guareze/AGIF

Rubro-Negros ou Tricolores, quem vai manter vivo o sonho de reconquistar a América? Qual dos dois vai representar o país do futebol na final da Libertadores? Ao apito final desta quarta-feira (23), a resposta. Mas até lá, o dia vai ser daqueles em que as horas se arrastam e os minutos não passam. E quando os torcedores, enfim, tomarem as arquibancadas do Maracanã e o relógio marcar 21h30, Flamengo e Grêmio vão a campo para o tudo ou nada, pelo segundo e derradeiro confronto da semifinal do torneio. 

No placar agregado: 1 a 1. Quem vencer o duelo desta noite, avança. Um empate sem gols coloca os cariocas na final. Igualdades a partir de 2 a 2 classificam o Tricolor gaúcho. Enquanto um novo 1 a 1 leva a decisão para as penalidades. De um lado, o Fla aposta no fator casa e no bom momento dentro da temporada para conquistar a vaga. Do outro, o Grêmio chega a sua terceira semifinal consecutiva e quer fazer valer a fama de copeiro para se garantir na final.

+Ex-Fla e Grêmio, Tita prevê jogo franco no Maraca: "Os dois melhores"

Nada de tabu em 2019!

O Flamengo tem espantado um fantasma de cada vez nesta edição da Libertadores. Durante a primeira fase, o Grupo D, que tinha, além do Rubro-Negro, LDU-EQU, Peñarol-URU e San José-BOL, se desenhou como o mais equilibrado do torneio terminando com brasileiros, equatorianos e uruguaios empatados com 10 pontos. Por causa do saldo de gols, os cariocas avançaram às oitavas de final como líderes do grupo. No mata-mata, contra o Emelec-EQU, uma derrota por 2 a 0 no primeiro jogo deu contornos dramáticos para confronto no Maracanã. Mas, apoiado por mais de 65 mil torcedores, o Flamengo devolveu o resultado, carimbou a vaga nas penalidades e voltou às quartas de final, o que não acontecia desde 2010, para enfrentar o Internacional. Contra os Colorados, a torcida fez a diferença mais uma vez. No Maraca, o Rubro-Negro venceu o jogo de ida por 2 a 0. E foi para Porto Alegre precisando de um empate para avançar. Dito e feito. 1 a 1 no Beira-Rio e classificação carimbada para as semis. 

– A gente vem de vitórias, quebrando tabus e isso deixa o torcedor motivado. Eles gostam de ver o time jogando da forma que está. Maracanã é nossa casa, gostamos de ter a torcida do nosso lado. Quando une tudo isso, não que seja impossível, mas é bem difícil vencer a gente. Jogadores se sentem confiantes, e o ambiente faz o jogador se sentir em casa. Pode acontecer de tudo, mas que a gente gosta do Maracanã lotado não tenha dúvida. Dentro do seu campo, o Flamengo tem que impor o seu ritmo, respeitando o adversário. É 11 contra 11 – comentou o goleiro Diego Alves.

Diego Alves defendendo o Fla no primeiro duelo da semifinal da Libertadores Diego Alves defendendo o Fla no primeiro duelo da semifinal da Libertadores
Créditos: Alexandre Vidal/Flamengo

Uma aula de Libertadores

O começo da campanha tricolor no torneio foi abaixo das expectativas. Mas depois de uma classificação difícil na primeira fase, o Grêmio chegou a mais uma semifinal, com as credenciais de quem sabe jogar como poucos a Libertadores. No Grupo H, ao lado de Libertad-PAR, Universidad Católica-CHI e Rosario Central-ARG, o Tricolor só foi encontrar o caminho das vitórias na quarta rodada diante dos argentinos. A partir daí, a equipe comandada por Renato Gaúcho engatou uma sequência de cinco triunfos, incluindo os dois jogos das oitavas diante do Libertad. Na sequência, o Tricolor encarou o Palmeiras, pelas quartas de final. O rival brasileiro, que tinha feito a melhor campanha da fase de grupos, venceu o primeiro jogo em plena Arena do Grêmio por 1 a 0. No confronto de volta, o Verdão abriu o placar e o que parecia complicado tornou-se ainda mais improvável. Mas o Tricolor é Imortal. E com uma virada espetacular conquistou a vaga para as semifinais.

– A nossa equipe é muito experiente e está bem preparada. Estamos falando aqui do Grêmio, que vem trabalhando sério, respeitando os adversários. Na Libertadores nossa equipe tem tradição, sabe jogar a competição. E está todo mundo pronto para a gente fazer um grande jogo. Estamos acostumada a decidir Libertadores fora de casa. O adversário está bem, em bom momento, com jogadores de seleção como o Grêmio tem também. Será um bom espetáculo, um bom jogo, e espero sair com um grande resultado do Maracanã – analisou o lateral gremista, Cortez. 

Cortez em atuação durante o primeiro jogo da semifinal Cortez em atuação durante o primeiro jogo da semifinal
Créditos: Lucas Uebel/Grêmio

O classificado para a decisão vai encarar o River Plate-ARG em jogo único, no dia 23 de novembro, no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile.