Ferroviária goleia Universidad de Chile e avança na Libertadores Feminina 2020

Ferroviária goleia Universidad de Chile e avança na Libertadores Feminina 2020

Goleada das Guerreiras Grenás e empate sem gols no outro confronto da chave foi a combinação perfeita para que a equipe brasileira garantisse vaga nas quartas de final.

Elenco celebrando após classificação histórica na Libertadores Feminina 2020 Elenco celebrando após classificação histórica na Libertadores Feminina 2020
Créditos: Twitter/Conmebol Libertadores Feminina

A Ferroviária está classificada para as quartas de final da Libertadores Feminina 2020! Em rodada de tirar o fôlego, a equipe brasileira goleou o Universidad de Chile por 4 a 1 e contou com o empate sem gols no outro duelo de sua chave para garantir o avanço no torneio continental. Com a combinação favorável, as Guerreiras Grenás se classificaram na segunda colocação do Grupo D, no quesito gols pró e aguardam a definição de seu adversário no mata-mata, agendado para a próxima segunda-feira (15).

Melhor em quase todo o confronto, disputado no Estádio José Amalfitani, Buenos Aires, a Ferroviária batalhou até o fim mesmo com o cenário adverso da terceira e última rodada da Fase de Grupos. Destaque da Locomotiva na partida com dois gols marcados, a defensora Ana Alice exaltou o mérito do time brasileiro em acreditar até o último minuto.

“Muito feliz, a gente precisava desse resultado, sabíamos que seria muito difícil, mas a gente se uniu, fomos do início ao final, sem desistir em momento algum. Sabíamos que dependíamos de outro resultado, mas também fizemos a nossa parte. Agora deixaram chegar, vamos longe”, declarou Ana Alice, autora de dois dos quatro gols das Guerreiras Grenás na partida.

Empate em 0 a 0 entre Peñarol e Libertad Limpeño foi crucial para a classificação da Ferroviária Empate em 0 a 0 entre Peñarol e Libertad Limpeño foi crucial para a classificação da Ferroviária
Créditos: Twitter/Conmebol Libertadores Feminina

O jogo

Necessitando do resultado, a equipe da Ferroviária começou melhor a partida. Tomando a iniciativa, a primeira oportunidade do time brasileiro veio logo aos 7 minutos. Após receber na intermediária, Sochor chutou forte de longe e obrigou a goleira da Universidad de Chile a fazer boa defesa.

O ímpeto das Guerreiras Grenás, entretanto, abria brechas para a equipe chilena que, em belo contra-ataque, quase abriu o marcador. Na marca dos 9 minutos, em trama ofensiva veloz, a atacante Groff recebeu cruzamento rasteiro a finalizou forte para ótima defesa de Luciana, que espalmou para a linha de fundo.

Em cobrança de escanteio, aos 20 minutos, a Ferroviária quase chegou ao seu primeiro gol. Após bela batida, Carol chapou firme, mas a bola desviou na defensora e acabou amortecida nas mãos da goleira chilena. Logo após, aos 22, Lurdinha arrancou e bateu cruzado – Sochor fechou no segundo pau, mas não conseguiu chegar a tempo de empurrar para a rede.

As Guerreiras Grenás não jogavam a toalha e, aos 34, chegaram novamente com perigo. Após roubada de bola no campo ofensivo, Sochor atraiu a marcação e rolou para Aline Milene que, livre de frente para o gol, fuzilou por cima da meta chilena.

No minuto seguinte, o time brasileiro acertou o travessão. Após ótimo cruzamento oriundo de uma batida curta de escanteio, Carol Tavares testou firme no poste superior da arqueira Campos, que só pôde torcer no lance.

Na marca dos 41 minutos, enfim, saiu o grito entalado de gol. Após cobrança de escanteio de Sochor, Ana Alice subiu no terceiro andar para cabecear para o fundo da rede. 1 a 0 Ferroviária. Mas a alegria do time brasileiro durou pouco. Na primeira trama após o recomeço da partida, o Universidad de Chile empatou a disputa com belo de cavadinha da meia Oviedo. O empate prevaleceu até o final do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, correndo contra o tempo, não demorou para a Ferroviária oferecer perigo. Aos 2 minutos da segunda etapa, Sochor arrancou, invadiu a grande área e bateu cruzado – a bola passou rente à trave da goleira Campos. Três minutos depois, a Locomotiva atacou novamente. Após cobrança de escanteio de Rafa Mineira, Sochor testou buscando o ângulo, mas a bola foi pela linha de fundo.

Barrinha, aos 9 minutos acertou um verdadeiro foguete de fora da área, mas a goleira chilena espalmou. A arqueira não conseguiu evitar, porém, o que estava por vir. No minuto seguinte, Ana Alice balançou a rede pela segunda vez no jogo. Após bate e rebate na área, a zagueira encobriu Campos com um toque sutil para o gol. 2 a 1 para a equipe brasileira.

Aos 15, as Guerreiras Grenás ampliaram a vantagem. Em saída de bola equivocada da defesa chilena, Nicoly roubou e, já dentro da área, finalizou na saída da goleira, que nada pôde fazer. 3 a 1 Ferroviária. Com a necessidade de marcar mais gols para avançar na competição, a Locomotiva continuou a pressionar, mas com pouco êxito nas finalizações.

Na marca dos 32, a Universidad de Chile chegou com perigo pela primeira vez na etapa final. Em ótima jogada individual de Gutiérrez, Groff foi acionada cara a cara com Luciana, mas tocou para fora após a goleira brasileira abafar a finalização.

Já no fim da partida, aos 43, veio o gol salvador. Após confusão na grande área, Rafa Mineira chutou cruzado, a bola bateu na defensora chilena e morreu no fundo do gol. 4 a 1 para a Locomotiva.

A vitória por 4 a 1 somado com o empate em 0 a 0 no outro duelo do grupo entre Peñarol e Libertad Limpeño foi a combinação perfeita que manteve o time brasileiro vivo na Libertadores Feminina 2020. Com quatro pontos e na segunda colocação, a Ferroviária se classificou no quesito gols pró.